Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Livros da Prefeitura vão para o ferro-velho


Luciano Cavenagui
Do Diário do Grande ABC

15/02/2008 | 07:00


Livros do Centro de Formação de Professores Clarice Lispector, da Prefeitura de Santo André, são vendidos para um ferro-velho que destina o material para reciclagem. As publicações, que poderiam ser doadas para bibliotecas, escolas, cursinhos comunitários e outras entidades são vendidas a R$ 0,15 o quilo. A Prefeitura afirmou em nota que não tinha conhecimento e que vai apurar o fato.

O ferro-velho fica na Rua Tirol, no Parque das Nações, a poucos metros do centro da Prefeitura. A reportagem encontrou ontem no local aproximadamente 500 kg de livros, o que corresponde a centenas de unidades.

A maioria das publicações está em bom estado de conservação e poderia figurar em qualquer prateleira. Havia ontem dezenas de livros de literatura em excelente estado, com títulos de leitura obrigatória em diversos vestibulares, como Dom Casmurro, de Machado de Assis, Iracema, de José de Alencar e Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto, entre outros.

“Desde dezembro do ano passado uma pessoa da Prefeitura vem aqui e traz os livros. Teve uma vez que fez até cinco viagens com um carrinho. Na semana retrasada, foram cerca de 500 kg, que ainda estão aqui. Já trouxeram até remessas do governo federal”, afirmou ontem um funcionário do ferro-velho, que pediu para não ser identificado.

Além de literatura, foram achados livros de química, biologia, matemática, entre outros, muitos deles destinados para o ensino infanto-juvenil com o logotipo da Prefeitura. Grande parte desses livros era da gestão do prefeito Celso Daniel (entre 1997 e 2000).

De acordo com um funcionário da administração, o dinheiro arrecadado com a venda vai para um funcionário da biblioteca do Centro. “A ordem para vender os livros vem dos superiores”, contou um empregado do ferro-velho. Os 500 kg encontrados ontem renderam R$ 75.

No município existem 14 bibliotecas públicas. Neste mês não há campanha de doação de livros.

Na sede da Prefeitura e do Centro de Formação, atendentes disseram que “doações são bem aceitas” e que as publicações são destinadas para “bibliotecas e outras entidades”. Colaborou Adriana Ferraz


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Livros da Prefeitura vão para o ferro-velho

Luciano Cavenagui
Do Diário do Grande ABC

15/02/2008 | 07:00


Livros do Centro de Formação de Professores Clarice Lispector, da Prefeitura de Santo André, são vendidos para um ferro-velho que destina o material para reciclagem. As publicações, que poderiam ser doadas para bibliotecas, escolas, cursinhos comunitários e outras entidades são vendidas a R$ 0,15 o quilo. A Prefeitura afirmou em nota que não tinha conhecimento e que vai apurar o fato.

O ferro-velho fica na Rua Tirol, no Parque das Nações, a poucos metros do centro da Prefeitura. A reportagem encontrou ontem no local aproximadamente 500 kg de livros, o que corresponde a centenas de unidades.

A maioria das publicações está em bom estado de conservação e poderia figurar em qualquer prateleira. Havia ontem dezenas de livros de literatura em excelente estado, com títulos de leitura obrigatória em diversos vestibulares, como Dom Casmurro, de Machado de Assis, Iracema, de José de Alencar e Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto, entre outros.

“Desde dezembro do ano passado uma pessoa da Prefeitura vem aqui e traz os livros. Teve uma vez que fez até cinco viagens com um carrinho. Na semana retrasada, foram cerca de 500 kg, que ainda estão aqui. Já trouxeram até remessas do governo federal”, afirmou ontem um funcionário do ferro-velho, que pediu para não ser identificado.

Além de literatura, foram achados livros de química, biologia, matemática, entre outros, muitos deles destinados para o ensino infanto-juvenil com o logotipo da Prefeitura. Grande parte desses livros era da gestão do prefeito Celso Daniel (entre 1997 e 2000).

De acordo com um funcionário da administração, o dinheiro arrecadado com a venda vai para um funcionário da biblioteca do Centro. “A ordem para vender os livros vem dos superiores”, contou um empregado do ferro-velho. Os 500 kg encontrados ontem renderam R$ 75.

No município existem 14 bibliotecas públicas. Neste mês não há campanha de doação de livros.

Na sede da Prefeitura e do Centro de Formação, atendentes disseram que “doações são bem aceitas” e que as publicações são destinadas para “bibliotecas e outras entidades”. Colaborou Adriana Ferraz

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;