Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 11 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Somos vítimas da rotatividade

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos divulgou que...


Dgabc

01/12/2011 | 00:00


Artigo

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos divulgou que a rotatividade da mão de obra cresceu 8,7 pontos percentuais entre 2001 e 2010.

No ano passado, o índice de substituição de trabalhadores nas empresas brasileiras chegou a 53,8%, com 22,7 milhões de demissões. Descontando fatores alheios à vontade das empresas, como aposentadoria, morte ou demissão voluntária, a rotatividade ficou em 37,3%.

Segundo o Dieese, as empresas desligam empregados para contratar substitutos com salários menores. Em 2010, a remuneração média dos demitidos era de R$ 896, enquanto a dos substitutos ficou em R$ 829.

Os setores com maior rotatividade de mão de obra foram agricultura, com 98,3% de demissões e 74,4% por iniciativa dos empregadores, e a construção civil, com 86,2% de demitidos por vontade das empresas.

Na comparação com 25 países, o Brasil apresentou, em 2009, um dos mais curtos períodos médios de permanência no emprego: cinco anos. Apenas nos Estados Unidos o tempo médio de permanência no emprego é menor, 4,4 anos. Na Espanha, o trabalhador fica no mesmo emprego quase o dobro do tempo do trabalhador brasileiro: 9,6 anos. Na Itália, a média de permanência é 11,7 anos e na Polônia, 9,3 anos.

Ou seja, está mais do que chegado o momento histórico de a sociedade civil, através do Congresso Nacional, fazer valer o que nós, trabalhadores, já pregamos há muitos anos. É preciso controlar a rotatividade para acabar com a sangria desatada na renda da classe trabalhadora. Já está no Congresso Nacional a Convenção 158 da Organização Internacional do Trabalho que regulamenta e controla as demissões imotivadas. Temos que a todo momento tornar claro para os políticos que nos representam que cansamos de ser vítimas da insegurança no emprego que acelera a rotatividade por causa da irresponsabilidade dos empresários que usam a demissão arbitrária para economizar às nossas custas. E enquanto a Convenção 158 não é aprovada no Congresso Nacional só podemos entender que os políticos são cúmplices dos maus empresários.

Cícero Martinha é presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá.

Palavra do Leitor

Obra na Câmara

Que história mais suspeita: a obra na Câmara de São Bernardo poderá ser embargada, segundo o secretário de Obras do município, que também pedirá detalhes do projeto à mesa diretora da Casa (Política, dia 28). Reforma, demolição ou construção: a única certeza até agora é a respeito do descarte do resíduo sólido, que necessita de descarte apropriado e isso deve estar longe de acontecer. Foi necessária a denúncia de um filiado do Partido Verde para que tudo pudesse vir à tona. Aproveito para sugerir também explicação para o valor de R$ 28,4 milhões destinado para a reforma.

Andrea Diaz

São Bernardo

Resposta

Em resposta à carta do leitor Gércio Vidal (Integração, dia 27), a EMTU/SP informa que, em reunião realizada semana passada, ofereceu alternativa adicional à Prefeitura de Diadema com medidas para reequilibrar o contrato EMTU/SP 020/97 de Concessão do Corredor ABD e realizar as melhorias necessárias previstas no sistema, sem onerar os cerca de 40 mil usuários que realizam diariamente a integração livre no município. A proposta permitirá que o usuário beneficiário da integração não seja onerado com aumento de tarifas - objetivo primordial do governo do Estado de São Paulo. A Prefeitura de Diadema comprometeu-se a estudar a proposta e outro encontro entre as partes foi marcado para os próximos dias. Lembramos que, em 14 anos, os passageiros transferidos à época da assinatura do contrato de Concessão do Corredor ABD cresceram 24%, ocasionando necessidade de novos investimentos. Todas as melhorias correspondem a investimentos previstos de cerca de R$ 90 milhões.

EMTU/SP

Doador de sangue

Dia 25 de novembro se comemorou o Dia do Doador de Sangue. Impressionante a ausência anacrônica de solidariedade com um dos atos mais relevantes e sublimes quando o ser humano é o centro da prioridade. Fazem-se campanhas, chamadas, apelos e a resposta é sempre incipiente diante de carência eterna existente nos bancos de coletas do líquido da vida. Muitos têm o conhecimento e a consciência de que uma simples doação, que podemos fazer a cada dois meses, aproximadamente, possibilita salvar quatro vidas. Porém, pouquíssimos o fazem. Qual seria seu comportamento se ao invés de voluntário doador fosse você involuntário carente receptor e com risco de vida?

Cecél Garcia

Santo André

Concurso público

Depois da notícia da aprovação de um recém-nascido, outro que ainda não nasceu e mais de 21 pessoas com 71 anos no concurso de Diadema (Política, dia 29), daqui a pouco vão dizer que uma pessoa falecida entrará com pedido de recursos para a sua aprovação.

Roberto Saraiva Romera

São Bernardo

Mar de lama

Após tantas denúncias de corrupção, envolvendo inclusive a FAB, fica bem claro o motivo que levou o ministro Lupi a declarar em tom desafiador "saio só a bala". É evidente que uma afronta dessa só é feita quando se tem conhecimento do mar de lama que envolve o entorno. Todos, de cima para baixo, estão coniventes e usufruindo das facilidades e falcatruas que existem no setor público. Fica evidente também a falta de poder da presidente Dilma. Do jeito que as coisas vão, não existe eleição que vá resolver!

José Carlos Costa

Capital



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Somos vítimas da rotatividade

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos divulgou que...

Dgabc

01/12/2011 | 00:00


Artigo

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos divulgou que a rotatividade da mão de obra cresceu 8,7 pontos percentuais entre 2001 e 2010.

No ano passado, o índice de substituição de trabalhadores nas empresas brasileiras chegou a 53,8%, com 22,7 milhões de demissões. Descontando fatores alheios à vontade das empresas, como aposentadoria, morte ou demissão voluntária, a rotatividade ficou em 37,3%.

Segundo o Dieese, as empresas desligam empregados para contratar substitutos com salários menores. Em 2010, a remuneração média dos demitidos era de R$ 896, enquanto a dos substitutos ficou em R$ 829.

Os setores com maior rotatividade de mão de obra foram agricultura, com 98,3% de demissões e 74,4% por iniciativa dos empregadores, e a construção civil, com 86,2% de demitidos por vontade das empresas.

Na comparação com 25 países, o Brasil apresentou, em 2009, um dos mais curtos períodos médios de permanência no emprego: cinco anos. Apenas nos Estados Unidos o tempo médio de permanência no emprego é menor, 4,4 anos. Na Espanha, o trabalhador fica no mesmo emprego quase o dobro do tempo do trabalhador brasileiro: 9,6 anos. Na Itália, a média de permanência é 11,7 anos e na Polônia, 9,3 anos.

Ou seja, está mais do que chegado o momento histórico de a sociedade civil, através do Congresso Nacional, fazer valer o que nós, trabalhadores, já pregamos há muitos anos. É preciso controlar a rotatividade para acabar com a sangria desatada na renda da classe trabalhadora. Já está no Congresso Nacional a Convenção 158 da Organização Internacional do Trabalho que regulamenta e controla as demissões imotivadas. Temos que a todo momento tornar claro para os políticos que nos representam que cansamos de ser vítimas da insegurança no emprego que acelera a rotatividade por causa da irresponsabilidade dos empresários que usam a demissão arbitrária para economizar às nossas custas. E enquanto a Convenção 158 não é aprovada no Congresso Nacional só podemos entender que os políticos são cúmplices dos maus empresários.

Cícero Martinha é presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá.

Palavra do Leitor

Obra na Câmara

Que história mais suspeita: a obra na Câmara de São Bernardo poderá ser embargada, segundo o secretário de Obras do município, que também pedirá detalhes do projeto à mesa diretora da Casa (Política, dia 28). Reforma, demolição ou construção: a única certeza até agora é a respeito do descarte do resíduo sólido, que necessita de descarte apropriado e isso deve estar longe de acontecer. Foi necessária a denúncia de um filiado do Partido Verde para que tudo pudesse vir à tona. Aproveito para sugerir também explicação para o valor de R$ 28,4 milhões destinado para a reforma.

Andrea Diaz

São Bernardo

Resposta

Em resposta à carta do leitor Gércio Vidal (Integração, dia 27), a EMTU/SP informa que, em reunião realizada semana passada, ofereceu alternativa adicional à Prefeitura de Diadema com medidas para reequilibrar o contrato EMTU/SP 020/97 de Concessão do Corredor ABD e realizar as melhorias necessárias previstas no sistema, sem onerar os cerca de 40 mil usuários que realizam diariamente a integração livre no município. A proposta permitirá que o usuário beneficiário da integração não seja onerado com aumento de tarifas - objetivo primordial do governo do Estado de São Paulo. A Prefeitura de Diadema comprometeu-se a estudar a proposta e outro encontro entre as partes foi marcado para os próximos dias. Lembramos que, em 14 anos, os passageiros transferidos à época da assinatura do contrato de Concessão do Corredor ABD cresceram 24%, ocasionando necessidade de novos investimentos. Todas as melhorias correspondem a investimentos previstos de cerca de R$ 90 milhões.

EMTU/SP

Doador de sangue

Dia 25 de novembro se comemorou o Dia do Doador de Sangue. Impressionante a ausência anacrônica de solidariedade com um dos atos mais relevantes e sublimes quando o ser humano é o centro da prioridade. Fazem-se campanhas, chamadas, apelos e a resposta é sempre incipiente diante de carência eterna existente nos bancos de coletas do líquido da vida. Muitos têm o conhecimento e a consciência de que uma simples doação, que podemos fazer a cada dois meses, aproximadamente, possibilita salvar quatro vidas. Porém, pouquíssimos o fazem. Qual seria seu comportamento se ao invés de voluntário doador fosse você involuntário carente receptor e com risco de vida?

Cecél Garcia

Santo André

Concurso público

Depois da notícia da aprovação de um recém-nascido, outro que ainda não nasceu e mais de 21 pessoas com 71 anos no concurso de Diadema (Política, dia 29), daqui a pouco vão dizer que uma pessoa falecida entrará com pedido de recursos para a sua aprovação.

Roberto Saraiva Romera

São Bernardo

Mar de lama

Após tantas denúncias de corrupção, envolvendo inclusive a FAB, fica bem claro o motivo que levou o ministro Lupi a declarar em tom desafiador "saio só a bala". É evidente que uma afronta dessa só é feita quando se tem conhecimento do mar de lama que envolve o entorno. Todos, de cima para baixo, estão coniventes e usufruindo das facilidades e falcatruas que existem no setor público. Fica evidente também a falta de poder da presidente Dilma. Do jeito que as coisas vão, não existe eleição que vá resolver!

José Carlos Costa

Capital

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;