Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Pádua lança candidatura ao Paço de São Caetano

André Henriques/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ex-articulador político apresenta projeto pelo PTB dizendo ser representante do tortorelismo


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

25/02/2016 | 07:00


Com passagens pelas gestões de Walter Braido (1973-1977 e 1983-1988), de Luiz Olinto Tortorello (1989-1992 e 1997-2004), de José Auricchio Júnior (PSDB, 2005-2012) e de Paulo Pinheiro (PMDB), Pádua Tortorello anunciou ontem que é pré-candidato a prefeito de São Caetano pelo PTB.

Em visita ao Diário com a cúpula do partido na cidade, Pádua se colocou como terceira via no pleito de outubro com objetivo de “resgate das políticas tortorelistas”, em referência às gestões de seu irmão, morto em 2004. Por enquanto, o cenário apresenta polarização de Pinheiro e Auricchio.

“Temos condições de vencer. O PTB tem tradição, o povo em São Caetano adora o número 14 (legenda petebista). Acho que vamos começar com boa margem. Não digo começar lá em cima, e nem queremos isso. Mas vamos subir e ganhar a eleição”, disse Pádua, que pode, pela primeira vez, disputar o comando do Palácio da Cerâmica.

O petebista teve funções políticas de destaque nos governos de Braido, Tortorello e Pinheiro. Com Auricchio, o rompimento ocorreu ainda no primeiro semestre da gestão. Até por isso, o agora pré-candidato não poupou críticas ao tucano. “O PTB, no período auricchista, foi esquecido. O Auricchio largou o partido e deixou as bases do partido para o PSDB.”

Pádua esteve no governo de Pinheiro até o começo de 2014, quando se envolveu em polêmico episódio com o vereador Chico Bento (PP). Chico foi candidato a presidente da Câmara com apoio do Palácio da Cerâmica, perdeu para Paulo Bottura (PTB) e culpou a articulação de Pádua – teria até ameaçado com uma peixeira. A situação foi contornada, mas Pádua não resgatou o posto de articulador político do peemedebista.

Atual mandatário do PTB em São Caetano, Paulo Bottura declarou que lançar Pádua como pré-candidato também é atender a um chamamento do presidente paulista do PTB, deputado estadual Campos Machado. “Nosso presidente Campos Machado definiu linha de conduta. (Pádua) É o nome preferido da executiva. Tem tradição tortorelista, noção grande da parte administrativa de uma prefeitura, trabalhou muito no Executivo, com quase 40 anos de dedicação.”

A orientação pela candidatura própria foi dada por Campos em reunião no começo do mês – no mesmo encontro, o cacique petebista oficializou convite de filiação ao secretário de Governo de Pinheiro, Nilson Bonome (PMDB). Bottura admitiu, entretanto, que se a pré-candidatura de Pádua não decolar, o plano pode ser revisto. “A política é muito dinâmica. Vamos trabalhar muito para isso acontecer. Façamos de conta que não alcancemos o índice e aí o partido terá de compor. Vamos discutir de que forma vai ser e estamos abertos a tudo. Mas, agora, a candidatura é própria.”

O PTB esteve à frente das administrações em São Caetano até 2012, quando Pinheiro bateu a então candidata petebista Regina Maura Zetone. Atualmente o partido conta com três vereadores – Bottura, Gersio Sartori e Flávio Rstom – e, recentemente, acertou a filiação do ex-deputado estadual Marquinho Tortorello, filho de Luiz Olinto Tortorello – outro filho do prefeito, Luiz Capovilla Tortorello está no PEN e apoia candidatura do ex-vereador Gilberto Costa (PEN) ao Paço. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;