Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 30 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Kiko é convidado ao conselho da Emae

Marina Brandão/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ex-prefeito de Rio Grande da Serra vai ao governo do Estado; ele negocia retorno ao PSDB


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

04/04/2015 | 07:00


Ex-prefeito de Rio Grande da Serra, Adler Kiko Teixeira (PSC) vai integrar o conselho da Emae (Empresa Metropolitana de Águas e Energia), órgão vinculado ao governo do Estado. Seu nome foi apresentado ao colegiado da entidade no mês passado e depende apenas de crivo formal para ser publicado no Diário Oficial do Estado.

Concomitantemente à ida ao governo estadual, Kiko voltou a receber sondagens de lideranças tucanas para retornar ao PSDB. Ele deixou a sigla pela qual foi prefeito de Rio Grande entre 2005 e 2012 antes da eleição do ano passado, acreditando que o PSC teria linha de corte mais baixa e, assim, abriria possibilidade de eleição a deputado federal. O político conquistou 31.720 votos e ficou como segundo suplente do PSC, com baixa perspectiva de assumir mandato parlamentar.

Kiko garantiu que a indicação ao conselho da Emae não está atrelada ao possível regresso ao PSDB. “Recebi com muita honra esse convite (ao Emae). As duas coisas não estão vinculadas. Não é toma lá, dá cá”, discorreu o ex-chefe do Executivo, que também já participou da Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo).

Sobre a volta ao PSDB, Kiko disse que “seu coração é tucano”. “Foi o partido em que me amoldei politicamente. Meu coração está lá, é tucano, é peessedebista. Quando fui ao PSC, todos os dirigentes sabiam da minha relação com o PSDB. Não escondi. Se houver convocação do partido, voltarei.”

Kiko argumentou que seu projeto político se mantém em buscar o comando da Prefeitura de Ribeirão Pires em 2016. Afirmou que levou essa posição ao governador Geraldo Alckmin (PSDB), em reunião realizada em janeiro. “Externei minha vontade. Mas estou à disposição do governador. Se ele quiser que eu saia candidato em Ribeirão, terei maior prazer em ser o representante na cidade. Tenho muita afinidade com Ribeirão, muitos amigos”, comentou o ainda social-cristão, que ressaltou ter conversas com lideranças locais, como o vereador Gabriel Roncon (PR) e o presidente do PSDB de Ribeirão Pires, Cézar de Carvalho.

A declaração de que quer ser candidato em Ribeirão tenta pôr fim à especulação de que Kiko tentaria recuperar o comando de Rio Grande da Serra, onde seu pupilo, o hoje prefeito Gabriel Maranhão (PSDB), sofre nas pesquisas de intenções de voto. No levantamento do DGABC Pesquisas, publicado no dia 1º de fevereiro pelo Diário, Maranhão é superado pelo ex-vereador oposicionista Claudinho da Geladeira (PT) – o petista, aliás, já lançou pré-candidatura ao Paço. No cenário em que Kiko assume a candidatura governista, Claudinho pouco ameaça.

A eleição em Ribeirão Pires tende a ser bastante concorrida. O prefeito Saulo Benevides (PMDB), que busca reeleição, não aparece como favorito e tem de lidar com bons percentuais de voto do ex-prefeito Clóvis Volpi (PTB), o ex-vice-prefeito Edinaldo de Menezes, o Dedé (PPS) e um representante do PT.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;