Fechar
Publicidade

Sábado, 8 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

PTB de São Caetano tenta retomar protagonismo

Ricardo Trida 25/8/15 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Pela 1ª vez longe dos holofotes políticos da cidade, partido mira pleito de 2018 para se recuperar em 2020


Humberto Domiciano
do Diário do Grande ABC

30/12/2017 | 07:00


Fora da Câmara de São Caetano pela primeira vez desde que foi recriado, em 1980, o PTB começa a planejar estratégias para tentar retornar ao protagonismo no município.

Na visão de Jorge Salgado, presidente do partido na cidade, a aposta será na entrada de quadros novos. “Sempre tivemos um trabalho acima da média e estamos reformulando o PTB, que hoje conta com quase 3.000 filiados. No cenário nacional, com muitos partidos sofrendo uma situação complicada, a nossa sigla não foi afetada e vem despontando como uma grande opção”, defendeu.

De acordo com o ex-vereador, o município deve ter pelo menos um candidato a federal e um a estadual. “Ainda faremos uma reunião com o presidente (estadual e deputado paulista) Campos Machado, mas a tendência é que possamos lançar candidaturas até como um primeiro passo para o projeto de 2020”, prosseguiu.

Ao longo do processo eleitoral de 2016, o PTB viveu um racha interno sobre o apoio às chapas majoritárias. Parte dos filiados gostaria de seguir com o atual prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) e outro bancou apoio ao ex-chefe do Executivo Paulo Pinheiro (PMDB), que teve Jorge Salgado como vice.

Nas eleições do ano passado, a sigla também optou por fazer coligação com o Solidariedade e a chapa proporcional acabou sendo impugnada pela Justiça Eleitoral. Com isso, o ex-presidente da Câmara Paulo Bottura (que teve 1.494 votos) e o candidato Caio Salgado (com 1.411 votos), filho de Jorge, teriam conseguido cadeiras no Legislativo.

Outro ponto que afetou o desempenho da legenda no último pleito, na visão de Jorge Salgado, foi a opção de lideranças como os ex-vereadores Gersio Sartori, que apoiou a mulher, Neide Sartori (PSDB), e Flávio Rstom de não disputar o pleito.

Em São Caetano, o PTB comandou o Executivo entre 1983 e 2012 e, no período, Walter Braido, Luiz Tortorello, Antônio Dall’Anese e José Auricchio Júnior exerceram o cargo pela legenda.

A hegemonia foi quebrada justamente por um ex-petebista. Paulo Pinheiro, então vereador da legenda, tentava ser o sucessor de Auricchio em 2012, mas o então prefeito, nas fileiras do PTB, optou por Regina Maura Zetone (à época no PTB, hoje no PSDB). Pinheiro migrou para o PMDB e derrotou Regina. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

PTB de São Caetano tenta retomar protagonismo

Pela 1ª vez longe dos holofotes políticos da cidade, partido mira pleito de 2018 para se recuperar em 2020

Humberto Domiciano
do Diário do Grande ABC

30/12/2017 | 07:00


Fora da Câmara de São Caetano pela primeira vez desde que foi recriado, em 1980, o PTB começa a planejar estratégias para tentar retornar ao protagonismo no município.

Na visão de Jorge Salgado, presidente do partido na cidade, a aposta será na entrada de quadros novos. “Sempre tivemos um trabalho acima da média e estamos reformulando o PTB, que hoje conta com quase 3.000 filiados. No cenário nacional, com muitos partidos sofrendo uma situação complicada, a nossa sigla não foi afetada e vem despontando como uma grande opção”, defendeu.

De acordo com o ex-vereador, o município deve ter pelo menos um candidato a federal e um a estadual. “Ainda faremos uma reunião com o presidente (estadual e deputado paulista) Campos Machado, mas a tendência é que possamos lançar candidaturas até como um primeiro passo para o projeto de 2020”, prosseguiu.

Ao longo do processo eleitoral de 2016, o PTB viveu um racha interno sobre o apoio às chapas majoritárias. Parte dos filiados gostaria de seguir com o atual prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) e outro bancou apoio ao ex-chefe do Executivo Paulo Pinheiro (PMDB), que teve Jorge Salgado como vice.

Nas eleições do ano passado, a sigla também optou por fazer coligação com o Solidariedade e a chapa proporcional acabou sendo impugnada pela Justiça Eleitoral. Com isso, o ex-presidente da Câmara Paulo Bottura (que teve 1.494 votos) e o candidato Caio Salgado (com 1.411 votos), filho de Jorge, teriam conseguido cadeiras no Legislativo.

Outro ponto que afetou o desempenho da legenda no último pleito, na visão de Jorge Salgado, foi a opção de lideranças como os ex-vereadores Gersio Sartori, que apoiou a mulher, Neide Sartori (PSDB), e Flávio Rstom de não disputar o pleito.

Em São Caetano, o PTB comandou o Executivo entre 1983 e 2012 e, no período, Walter Braido, Luiz Tortorello, Antônio Dall’Anese e José Auricchio Júnior exerceram o cargo pela legenda.

A hegemonia foi quebrada justamente por um ex-petebista. Paulo Pinheiro, então vereador da legenda, tentava ser o sucessor de Auricchio em 2012, mas o então prefeito, nas fileiras do PTB, optou por Regina Maura Zetone (à época no PTB, hoje no PSDB). Pinheiro migrou para o PMDB e derrotou Regina. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;