Fechar
Publicidade

Domingo, 1 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Atila ganha fôlego com a Lara

Nario Barbosa/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Prefeito de Mauá tem até segunda para pagar débitos e evitar paralisação da coleta de lixo


Júnior Carvalho
Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

16/12/2017 | 07:00


O governo do prefeito Atila Jacomussi (PSB), de Mauá, conseguiu adiar pelo menos até segunda-feira eventual interrupção da coleta de lixo na cidade, ameaçada pela Lara Central de Tratamento de Resíduos Sólidos, responsável pelos serviços, por falta de pagamento. O núcleo duro do Paço e a empresa se reunirão na segunda para negociar os débitos, segundo informou o secretário João Gaspar (PCdoB, Governo).

Na quarta-feira, a Lara enviou uma carta dando ultimato ao governo Atila quanto ao pagamento das dívidas. A fatura mensal gira em torno de R$ 3,3 milhões. Esse valor refere-se aos pagamentos do contrato vigente, somado às parcelas de dívidas de acordos celebrados no passado e negociadas pelo ex-prefeito Donisete Braga (PT, 2013-2016).

No documento endereçado ao Paço, a Lara estabeleceu prazo de 48 horas – encerrou ontem – para que o município quitasse seus débitos, sob pena de a firma paralisar a atividade. Por se tratar de serviço essencial, ao menos 30% da atuação teria de ser garantida.

Na notificação, a Lara se escora no inciso 15, artigo 78º da Lei de Licitações (8.666/93), que assegura às terceirizadas o direito de suspender a prestação de serviços quando atrasos de pagamentos superem 90 dias. “Cumpre-nos salientar que o fiel pagamento em dia do contrato trata-se de conduta essencial a ser adotada pela municipalista, uma vez que os valores recebidos são destinados ao pagamento de salários e encargos, bem como a ainda custear a manutenção dos veículos operacionais, aterro e equipamentos necessários, além de arcar com o custo do combustível dos caminhões utilizados diariamente para a execução do contrato”, destaca a empresa.

O Diário procurou insistentemente os responsáveis pela firma na tarde de ontem, mas a companhia não respondeu aos questionamentos. O dono da Lara é Wagner Damo, sobrinho do ex-prefeito Leonel Damo (sem partido).

Enquanto ganha tempo para negociar com a Lara, Atila também insistirá com a Câmara para emplacar a criação da taxa do lixo. O chefe do Executivo alega internamente que o tributo, cobrado em algumas cidades do Grande ABC, é essencial para custear o acordo com a Lara. Vários vereadores da base governista, porém, estão irredutíveis e avisaram que não aprovarão a medida. Se Atila conseguir consenso entre os aliados, o presidente da Câmara, Admir Jacomussi (PRP), pai do prefeito, está ciente de que terá de suspender o recesso parlamentar, que começou oficialmente ontem. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;