Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Ex-vice de Atila, Orosco reverte condenação no TRE

Presidente do PMDB teve registro rejeitado em Mauá e saiu da chapa do socialista no pleito


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

22/11/2016 | 07:00


Por três votos a dois, o TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) aceitou recurso do presidente do PMDB de Mauá, José Carlos Orosco Júnior, contra indeferimento de sua candidatura a vice na chapa do prefeito eleito, Atila Jacomussi (PSB).

Em setembro, a Justiça Eleitoral de Mauá rejeitou o registro de Orosco ao acolher argumentação do Ministério Público Eleitoral, que buscou enquadrar o peemedebista na Lei da Ficha Limpa. Para a promotoria, ele havia infringido a Lei Eleitoral ao, em 2014, ter efetuado doação acima do limite para a campanha de sua mulher, Vanessa Damo (PMDB), que concorria ao cargo de deputada estadual.

A defesa de Orosco argumentou no TRE-SP que a doação, feita por meio da Orosco Holding Empreendimentos Imobiliários – empresa do presidente do PMDB –, seguiu os parâmetros legais e que não impedia a candidatura dele ao lado de Atila Jacomussi. O recurso foi acolhido ontem. O MP pode recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

“Essa punição não tinha nenhuma lógica. Foi uma condenação de cunho político. A eleição era curta, não poderíamos correr risco de fazer com que um processo político como esse pudesse trazer algum tipo de prejuízo para a campanha do Atila. Por isso decidi dar lugar para a dona Alaíde (Damo, PMDB). Mais importante do que eu virar vice-prefeito era tirar Mauá das garras do Donisete Braga (PT, prefeito de Mauá). Ele está sugando a cidade. Ainda bem meu objetivo foi cumprido”, argumentou Orosco. “A Justiça foi feita”, emendou.

Durante a campanha, Orosco decidiu sair da chapa de Atila e deu lugar a Alaíde Damo, mãe de Vanessa. Quando saiu a condenação em primeira instância, Donisete, que buscava a reeleição, tentou tirar proveito eleitoral do caso.

“Quero deixar claro que o ficha suja é o Donisete Braga, citado na Lava Jato, na Máfia do Asfalto, réu por improbidade administrativa e com escândalo de superfaturamento em seu governo. Vanessa e eu temos passado limpo. Ele quer a maldade e o povo de Mauá deu recado para ele nas urnas”, finalizou Orosco. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;