Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Marfrig confirma centro de distribuição em Itupeva

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Trabalhadores da unidade do Jardim Cambuí, em Sto.André, mantêm paralisação das atividades


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

17/01/2020 | 00:01


A Marfrig Global Foods confirmou que vai transferir ainda neste mês a operação do centro de distribuição localizado no Jardim Cambuí, em Santo André, para Itupeva, no Interior, onde a companhia mantém atuação. Ontem, o Sindicato dos Empregados em Empresas de Industrialização Alimentícia de São Paulo e Região se reuniu com representantes da empresa para apresentar pauta de reivindicações. A paralisação na unidade da região continua.

De acordo com a Marfrig, a mudança acontece com “objetivo de otimizar as atividades de distribuição no Estado de São Paulo e racionalização dos custos”. Com a adequação serão gerados 50 novos postos de trabalho na unidade e parte dos colaboradores de Santo André será transferida para Itupeva.

De acordo com o vice-presidente do sindicato, Rubens Gomes, a entidade pleiteou que mais trabalhadores fossem convidados para essas novas vagas. “Eles convidaram pessoas de cargo de liderança e alguns aceitaram, mas nós queremos que isso seja estendido a mais trabalhadores do chão de fábrica.”

Além disso, a entidade solicitou que a empresa arque com cursos de qualificação para trabalhadores, além de um salário nominal por ano trabalhado e multa de cerca de R$ 1.700, conforme a convenção coletiva por causa da PLR (Participação de Lucros e Resultados). “Também pedimos 12 meses de manutenção de vale-alimentação, convênio médico e assistência odontológica”, disse Gomes. A entidade deve conversar novamente com a empresa hoje.

Questionada, a Prefeitura de Santo André informou que não foi oficialmente comunicada pela empresa. “Caso a informação se confirme, a administração lamenta a decisão tomada e trabalha, desde o início da gestão, para colaborar com as empresas ao desburocratizar e simplificar os serviços, além de estar sempre de portas abertas para atender às demandas dos empresários dispostos a investir na cidade.”  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Marfrig confirma centro de distribuição em Itupeva

Trabalhadores da unidade do Jardim Cambuí, em Sto.André, mantêm paralisação das atividades

Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

17/01/2020 | 00:01


A Marfrig Global Foods confirmou que vai transferir ainda neste mês a operação do centro de distribuição localizado no Jardim Cambuí, em Santo André, para Itupeva, no Interior, onde a companhia mantém atuação. Ontem, o Sindicato dos Empregados em Empresas de Industrialização Alimentícia de São Paulo e Região se reuniu com representantes da empresa para apresentar pauta de reivindicações. A paralisação na unidade da região continua.

De acordo com a Marfrig, a mudança acontece com “objetivo de otimizar as atividades de distribuição no Estado de São Paulo e racionalização dos custos”. Com a adequação serão gerados 50 novos postos de trabalho na unidade e parte dos colaboradores de Santo André será transferida para Itupeva.

De acordo com o vice-presidente do sindicato, Rubens Gomes, a entidade pleiteou que mais trabalhadores fossem convidados para essas novas vagas. “Eles convidaram pessoas de cargo de liderança e alguns aceitaram, mas nós queremos que isso seja estendido a mais trabalhadores do chão de fábrica.”

Além disso, a entidade solicitou que a empresa arque com cursos de qualificação para trabalhadores, além de um salário nominal por ano trabalhado e multa de cerca de R$ 1.700, conforme a convenção coletiva por causa da PLR (Participação de Lucros e Resultados). “Também pedimos 12 meses de manutenção de vale-alimentação, convênio médico e assistência odontológica”, disse Gomes. A entidade deve conversar novamente com a empresa hoje.

Questionada, a Prefeitura de Santo André informou que não foi oficialmente comunicada pela empresa. “Caso a informação se confirme, a administração lamenta a decisão tomada e trabalha, desde o início da gestão, para colaborar com as empresas ao desburocratizar e simplificar os serviços, além de estar sempre de portas abertas para atender às demandas dos empresários dispostos a investir na cidade.”  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;