Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Schäuble descarta opção de desconto para dívida da Grécia



16/07/2015 | 05:24


O ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, levantou dúvidas hoje sobre o futuro da Grécia na zona do euro ao declarar que muitos economistas acreditam que o país precisa receber um desconto sobre sua dívida, algo que ele afirma não ser legalmente possível enquanto Atenas fizer parte do bloco.

Schäuble, a autoridade mais influente do governo da chanceler Angela Merkel, também enfatizou, por outro lado, que os integrantes da zona do euro têm o dever de começar a negociar com a Grécia sobre os termos do novo pacote de resgate anunciado no começo da semana, desde que Atenas cumpra as condições com as quais se comprometeu.

O ministro alemão, que falou à rádio Deutschlandfunk, indicou ainda acreditar que uma saída temporária da Grécia da zona do euro, proposta que ele fez no último fim de semana, poderia ser a melhor opção para os gregos. "Talvez, seria o melhor caminho para a Grécia", disse.

Schäuble também notou que situação da Grécia é "extraordinariamente difícil", em vista da dívida já elevada do país e da necessidade de um novo pacote de ajuda.

"Eu não sei, ninguém sabe no momento como isso será possível sem um desconto (na dívida grega). E todo mundo sabe que um desconto é incompatível com a filiação à união monetária", disse Schäuble. "Mas vamos nos engajar nas negociações (sobre um terceiro pacote), faremos todos os esforços, mas devemos respeitar as regras", acrescentou.

O desconto, que em inglês é conhecido pelo termo "haircut", envolveria uma diminuição no valor de face de bônus do governo grego. Em várias ocasiões, o Fundo Monetário Internacional (FMI) defendeu um alívio adicional para a dívida da Grécia, de maneira a torná-la mais sustentável.

Schäuble também comentou que a aprovação pelo Parlamento grego, ontem à noite, das medidas de austeridade que balizam o pacote de resgate foi um importante passo. As medidas incluem cortes de gastos e aumentos de impostos.

Na última segunda-feira, líderes da zona do euro concordaram em fornecer at 86 bilhões de euros (US$ 94,5 bilhões) em novos empréstimos para a Grécia, sob a condição de que Atenas implemente uma série de amplas reformas. Fonte: Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Schäuble descarta opção de desconto para dívida da Grécia


16/07/2015 | 05:24


O ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, levantou dúvidas hoje sobre o futuro da Grécia na zona do euro ao declarar que muitos economistas acreditam que o país precisa receber um desconto sobre sua dívida, algo que ele afirma não ser legalmente possível enquanto Atenas fizer parte do bloco.

Schäuble, a autoridade mais influente do governo da chanceler Angela Merkel, também enfatizou, por outro lado, que os integrantes da zona do euro têm o dever de começar a negociar com a Grécia sobre os termos do novo pacote de resgate anunciado no começo da semana, desde que Atenas cumpra as condições com as quais se comprometeu.

O ministro alemão, que falou à rádio Deutschlandfunk, indicou ainda acreditar que uma saída temporária da Grécia da zona do euro, proposta que ele fez no último fim de semana, poderia ser a melhor opção para os gregos. "Talvez, seria o melhor caminho para a Grécia", disse.

Schäuble também notou que situação da Grécia é "extraordinariamente difícil", em vista da dívida já elevada do país e da necessidade de um novo pacote de ajuda.

"Eu não sei, ninguém sabe no momento como isso será possível sem um desconto (na dívida grega). E todo mundo sabe que um desconto é incompatível com a filiação à união monetária", disse Schäuble. "Mas vamos nos engajar nas negociações (sobre um terceiro pacote), faremos todos os esforços, mas devemos respeitar as regras", acrescentou.

O desconto, que em inglês é conhecido pelo termo "haircut", envolveria uma diminuição no valor de face de bônus do governo grego. Em várias ocasiões, o Fundo Monetário Internacional (FMI) defendeu um alívio adicional para a dívida da Grécia, de maneira a torná-la mais sustentável.

Schäuble também comentou que a aprovação pelo Parlamento grego, ontem à noite, das medidas de austeridade que balizam o pacote de resgate foi um importante passo. As medidas incluem cortes de gastos e aumentos de impostos.

Na última segunda-feira, líderes da zona do euro concordaram em fornecer at 86 bilhões de euros (US$ 94,5 bilhões) em novos empréstimos para a Grécia, sob a condição de que Atenas implemente uma série de amplas reformas. Fonte: Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;