Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Corinthians supera Palmeiras nos pênaltis e leva 29º título do Paulistão

Reprodução/Instagram  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Time de Carille segura rival, controla ânimo e silencia Allianz; palmeirense reclamam pênalti invalidado


Anderson Fattori

09/04/2018 | 07:00


 Em final marcada por outra confusão de arbitragem, prevaleceu o futebol mais consistente do Corinthians, que venceu o Palmeiras por 1 a 0 no tempo normal – havia perdido a ida, em Itaquera, pelo mesmo placar –, anotou 4 a 3 na disputa de pênaltis e conquistou o Paulista pela 29ª vez, silenciando um Allianz Parque lotado.

O jogo ficou marcado por decisão conturbada do árbitro Marcelo Aparecido de Souza aos 26 minutos do segundo tempo. Ele havia marcado pênalti de Ralf sobre Dudu, em dividida na área, mas depois de oito minutos, muita reclamação e consulta ao quarto árbitro Adriano de Assis Miranda, voltou atrás deixando os palmeirenses inconformados.

Antes de tudo isso, com um minuto de jogo, o Corinthians abriu o placar em grande jogada de Mateus Vital, que driblou Antônio Carlos e cruzou para Rodriguinho marcar.Com o resultado que lhe assegurava pelo menos a disputa de pênaltis, o Alvinegro foi frio durante o jogo, segurou o ímpeto do Verdão e soube manter o controle mesmo com toda a pressão do estádio lotado.

Ciente da limitação técnica do time, Fábio Carille manteve o esquema sem homem de referência na área e com duas linhas na marcação. A ideia era congestionar o meio de campo e impedir que o Palmeiras, muito melhor tecnicamente, conseguisse criar jogadas.

Com mais de 70% do tempo com a bola nos pés, o Alviverde insistiu nas jogadas pelas laterais para abrir espaços, mas alguns de seus principais jogadores não estavam em bom dia, como Willian, Dudu e Lucas Limas, e isso comprometeu.

O resultado levou a decisão aos pênaltis e, desta vez, quem saiu como herói foi Cássio. Ele fez duas grandes defesas em cobranças de Dudu e Lucas Lima – Victor Luís, Marcos Rocha e Moisés converteram – e garantiu a conquista, já que do lado corintiano apenas Fagner errou, enquanto Danilo, Romero, Lucca e Maycon marcaram.

Com o resultado, o presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, exigiu que os jogadores, ainda revoltados com o quarteto de arbitragem, deixassem o gramado e evitassem o contato com a imprensa.

Fábio Carille promete ‘buscar mais coisas’
Fábio Carille deu mais uma demonstração de que tem o time do Corinthians nas mãos e conta com enorme parcela na conquista do bicampeonato paulista, em pleno Allianz Parque. No fim da partida, vencida pelo time alvinegro nos pênaltis por 4 a 3, após superar o rival por 1 a 0 no tempo normal, o treinador destacou a dificuldade que a equipe teve, principalmente no mata-mata, e prometeu mais conquistas para o restante da temporada.

“Ano passado ganhamos Paulista e Brasileiro e saímos na Copa do Brasil e na Sul-Americana sem perder. Isso é fruto de muito trabalho e entendimento. Nós, da comissão, discutimos sempre. Às vezes, algum jogador é prejudicado, como o Rodriguinho, que não tem um cara na frente e vem jogar com dois meias. É o trabalho de todos que faz a gente chegar aos títulos e vamos buscar mais coisas, pode ter certeza. Do nosso jeito, quietinho e trabalhando bastante”, assegurou o treinador corintiano, que recebeu banho de energético na entrevista. “Sou abençoado. Vocês já ouviram várias vezes isso nas minhas entrevistas. Tenho grupo maravilhoso, que compra a ideia, sabe das nossas dificuldades e procura cumprir da melhor forma possível”, ressaltou

O técnico destacou as dificuldades no mata-mata e lembrou que precisou vencer nos pênaltis os rivais São Paulo e Palmeiras para conseguir chegar ao título. “Temos de comemorar bastante. Nas quartas de final, semifinal, tivemos dois dias de preparação. Fiz questão de dar dois dias de folga para esses caras após a primeira final, pois era algo necessário. Foram 40 dias com viagem, jogo de Libertadores e tudo mais. Graças a Deus as coisas caminharam de forma positiva”, comemorou.

Em relação à polêmica atuação do árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, Fábio Carille evitou entrar em polêmicas. “Me falaram que o Ralf pega primeiro na bola. Estou falando o que me disseram, depois posso ver a imagem e mudar de opinião”, disse. “Se o Palmeiras empata com pênalti que não foi? Ficaria sujo o título? Se não foi, que bom... a gente poderia ficar mais chateado se fosse pênalti e o juiz não deu”, completou. (das Agências)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Corinthians supera Palmeiras nos pênaltis e leva 29º título do Paulistão

Time de Carille segura rival, controla ânimo e silencia Allianz; palmeirense reclamam pênalti invalidado

Anderson Fattori

09/04/2018 | 07:00


 Em final marcada por outra confusão de arbitragem, prevaleceu o futebol mais consistente do Corinthians, que venceu o Palmeiras por 1 a 0 no tempo normal – havia perdido a ida, em Itaquera, pelo mesmo placar –, anotou 4 a 3 na disputa de pênaltis e conquistou o Paulista pela 29ª vez, silenciando um Allianz Parque lotado.

O jogo ficou marcado por decisão conturbada do árbitro Marcelo Aparecido de Souza aos 26 minutos do segundo tempo. Ele havia marcado pênalti de Ralf sobre Dudu, em dividida na área, mas depois de oito minutos, muita reclamação e consulta ao quarto árbitro Adriano de Assis Miranda, voltou atrás deixando os palmeirenses inconformados.

Antes de tudo isso, com um minuto de jogo, o Corinthians abriu o placar em grande jogada de Mateus Vital, que driblou Antônio Carlos e cruzou para Rodriguinho marcar.Com o resultado que lhe assegurava pelo menos a disputa de pênaltis, o Alvinegro foi frio durante o jogo, segurou o ímpeto do Verdão e soube manter o controle mesmo com toda a pressão do estádio lotado.

Ciente da limitação técnica do time, Fábio Carille manteve o esquema sem homem de referência na área e com duas linhas na marcação. A ideia era congestionar o meio de campo e impedir que o Palmeiras, muito melhor tecnicamente, conseguisse criar jogadas.

Com mais de 70% do tempo com a bola nos pés, o Alviverde insistiu nas jogadas pelas laterais para abrir espaços, mas alguns de seus principais jogadores não estavam em bom dia, como Willian, Dudu e Lucas Limas, e isso comprometeu.

O resultado levou a decisão aos pênaltis e, desta vez, quem saiu como herói foi Cássio. Ele fez duas grandes defesas em cobranças de Dudu e Lucas Lima – Victor Luís, Marcos Rocha e Moisés converteram – e garantiu a conquista, já que do lado corintiano apenas Fagner errou, enquanto Danilo, Romero, Lucca e Maycon marcaram.

Com o resultado, o presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, exigiu que os jogadores, ainda revoltados com o quarteto de arbitragem, deixassem o gramado e evitassem o contato com a imprensa.

Fábio Carille promete ‘buscar mais coisas’
Fábio Carille deu mais uma demonstração de que tem o time do Corinthians nas mãos e conta com enorme parcela na conquista do bicampeonato paulista, em pleno Allianz Parque. No fim da partida, vencida pelo time alvinegro nos pênaltis por 4 a 3, após superar o rival por 1 a 0 no tempo normal, o treinador destacou a dificuldade que a equipe teve, principalmente no mata-mata, e prometeu mais conquistas para o restante da temporada.

“Ano passado ganhamos Paulista e Brasileiro e saímos na Copa do Brasil e na Sul-Americana sem perder. Isso é fruto de muito trabalho e entendimento. Nós, da comissão, discutimos sempre. Às vezes, algum jogador é prejudicado, como o Rodriguinho, que não tem um cara na frente e vem jogar com dois meias. É o trabalho de todos que faz a gente chegar aos títulos e vamos buscar mais coisas, pode ter certeza. Do nosso jeito, quietinho e trabalhando bastante”, assegurou o treinador corintiano, que recebeu banho de energético na entrevista. “Sou abençoado. Vocês já ouviram várias vezes isso nas minhas entrevistas. Tenho grupo maravilhoso, que compra a ideia, sabe das nossas dificuldades e procura cumprir da melhor forma possível”, ressaltou

O técnico destacou as dificuldades no mata-mata e lembrou que precisou vencer nos pênaltis os rivais São Paulo e Palmeiras para conseguir chegar ao título. “Temos de comemorar bastante. Nas quartas de final, semifinal, tivemos dois dias de preparação. Fiz questão de dar dois dias de folga para esses caras após a primeira final, pois era algo necessário. Foram 40 dias com viagem, jogo de Libertadores e tudo mais. Graças a Deus as coisas caminharam de forma positiva”, comemorou.

Em relação à polêmica atuação do árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, Fábio Carille evitou entrar em polêmicas. “Me falaram que o Ralf pega primeiro na bola. Estou falando o que me disseram, depois posso ver a imagem e mudar de opinião”, disse. “Se o Palmeiras empata com pênalti que não foi? Ficaria sujo o título? Se não foi, que bom... a gente poderia ficar mais chateado se fosse pênalti e o juiz não deu”, completou. (das Agências)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;