Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 4 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Estado libera R$ 4,2 mi para turismo de Ribeirão

Recursos serão destinados à revitalização do Parque Oriental, que vai entrar em nova rota


da Redação

09/04/2018 | 07:00


 O prefeito de Ribeirão Pires, Adler Kiko Teixeira (PSB), assinou convênio que deve assegurar investimento da ordem de R$ 4,2 milhões para viabilizar projeto de estímulo à atividade turística do município. Os recursos, por meio do Dadetur (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos) – órgão ligado ao governo paulista –, serão destinados à revitalização do Parque Oriental, ponto que tende a fazer parte de nova rota turística da cidade.

Com a adesão, Ribeirão contabiliza cerca de R$ 10 milhões de repasses junto ao Dadetur para aplicar no setor. Na semana passada, Kiko, havia anunciado R$ 3 milhões para a implantação da segunda etapa do Boulevard Gastronômico – complementando a primeira fase –, em processo de licitação.

Situado às margens da Represa Billings, o parque, que atualmente não encontra-se em funcionamento, tem área de 100 mil metros quadrados. A proposta reestruturar o local, tendo a temática oriental. Deste ponto sairão os passeios de barco (trimarã) até o Templo Luz do Oriente, onde está situada a Torre de Miroku. O espaço estará ligado, ainda, ao Boulevard Gastronômico, na região central da cidade.

Impasses junto ao governo do Estado impediram transferências durante quase dois anos. O Paço necessitou regularizar a situação do município com o órgão para voltar a receber aportes, como estância turística. “Análises de documentações referentes aos convênios e contratos firmados pela Prefeitura foram realizados. Neste processo, erros graves foram identificados, como a falta de licenças junto aos órgãos competentes para a construção do Teleférico, além de falhas relacionadas ao convênio do Parque Temático”, citou o Paço.

A regularização incluiu a devolução de R$ 416 mil ao Estado. A gestão de Saulo Benevides (MDB) teria usado para comprar parte dos equipamentos do Teleférico – que nunca foram entregues pela empresa ao município.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Estado libera R$ 4,2 mi para turismo de Ribeirão

Recursos serão destinados à revitalização do Parque Oriental, que vai entrar em nova rota

da Redação

09/04/2018 | 07:00


 O prefeito de Ribeirão Pires, Adler Kiko Teixeira (PSB), assinou convênio que deve assegurar investimento da ordem de R$ 4,2 milhões para viabilizar projeto de estímulo à atividade turística do município. Os recursos, por meio do Dadetur (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos) – órgão ligado ao governo paulista –, serão destinados à revitalização do Parque Oriental, ponto que tende a fazer parte de nova rota turística da cidade.

Com a adesão, Ribeirão contabiliza cerca de R$ 10 milhões de repasses junto ao Dadetur para aplicar no setor. Na semana passada, Kiko, havia anunciado R$ 3 milhões para a implantação da segunda etapa do Boulevard Gastronômico – complementando a primeira fase –, em processo de licitação.

Situado às margens da Represa Billings, o parque, que atualmente não encontra-se em funcionamento, tem área de 100 mil metros quadrados. A proposta reestruturar o local, tendo a temática oriental. Deste ponto sairão os passeios de barco (trimarã) até o Templo Luz do Oriente, onde está situada a Torre de Miroku. O espaço estará ligado, ainda, ao Boulevard Gastronômico, na região central da cidade.

Impasses junto ao governo do Estado impediram transferências durante quase dois anos. O Paço necessitou regularizar a situação do município com o órgão para voltar a receber aportes, como estância turística. “Análises de documentações referentes aos convênios e contratos firmados pela Prefeitura foram realizados. Neste processo, erros graves foram identificados, como a falta de licenças junto aos órgãos competentes para a construção do Teleférico, além de falhas relacionadas ao convênio do Parque Temático”, citou o Paço.

A regularização incluiu a devolução de R$ 416 mil ao Estado. A gestão de Saulo Benevides (MDB) teria usado para comprar parte dos equipamentos do Teleférico – que nunca foram entregues pela empresa ao município.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;