Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 1 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Convênio beneficiará a quem tem dúvidas jurídicas

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Faculdade de Direito e poder público fazem parceria em prol de atendimento à população


Evaldo Novelini
Do Diário do Grande ABC

28/05/2017 | 07:00


 Por acreditar que o cidadão possui inúmeras dúvidas sobre procedimentos jurídicos – como, por exemplo, as implicações de se atrasar o pagamento de pensão alimentícia –, a direção da Faculdade de Direito de São Bernardo propôs realizar palestras nas escolas da rede municipal para orientar pais, alunos e funcionários.

“Levamos o projeto à Prefeitura de São Bernardo, que topou de imediato”, diz o diretor da instituição, Rodrigo Gago Freitas Vale Barbosa, 40 anos. O convênio entre faculdade e município será assinado em 8 de junho, durante solenidade marcada para as 11h no Cenforpe (Centro de Formação dos Profissionais de Educação).

A proposta prevê a realização de palestras nas cerca de 180 escolas municipais de São Bernardo, com entrada gratuita. Os colégios cedem o espaço físico e a Faculdade de Direito fornece especialistas em Direito para o esclarecimento de dúvidas de pais, alunos e funcionários.

Para tornar a experiência mais interessante, o conteúdo dos encontros pode ser previamente discutido entre coordenadores da faculdade e das escolas para que seja adequado às principais demandas da comunidade. Os ramos de família e previdenciário devem ser os mais requisitados, prevê Barbosa.

O convênio com a Prefeitura é o sexto programa comunitário da Faculdade de Direito, que já tem o Escritório-Escola, o Cartório Anexo do Juizado Especial Cível, o posto no Poupatempo, o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania e a Faculdade Aberta para a 3ª Idade. “Em dez anos, foram 500 mil atendimentos”, diz Barbosa.

Em tempo: atrasar o pagamento de pensão alimentícia, de acordo com o Código de Processo Civil, atualizado em 18 de março do ano passado, dá ao devedor prisão de um a três meses, em regime fechado, além de levá-lo a ter o nome incluído em cadastro de inadimplentes.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;