Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Entre rivais, eleição é assunto proibido

Tucano Orlando Morando se encontra com petista Luiz Marinho


Rogério Santos
Do Diário do Grande ABC

12/03/2013 | 07:00


Eleição de 2016 foi assunto proibido, ontem, em encontro do deputado estadual Orlando Morando (PSDB) com o prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT). Eles protagonizaram o pleito de 2008, repleto de ataques de ambas as partes, quanto o petista venceu o tucano e assumiu o Paço. É possível que Morando enfrente um candidato indicato por Marinho daqui a três anos e meio, mas essa conjectura foi tabu na reunião.

"Esse encontro é uma demonstração de maturidade nas relações políticas, mesmo com as diferenças", considerou o prefeito. O deputado evitou fazer qualquer comentário político. "Vim aqui para tratar sobre a emenda", frisou.

Foi a primeira visita de Orlando Morando ao gabinete do petista desde 1° de janeiro de 2009, quando Marinho foi empossado chefe do Executivo. Acompanhado dos vereadores tucanos Hiroyuki Minami e Juarez Tudo Azul, o parlamentar estadual anunciou a liberação de emenda de R$ 300 mil para a cidade. Mesmo diante da rivalidade estabelecida entre PT e PSDB em âmbito nacional e o histórico de disputa entre os políticos, o prefeito afirmou que utilizará a verba.

O montante será usado para atender a solicitações dos vereadores tucanos para urbanização da Praça dos Professores, no bairro Nova Petrópolis, na manutenção do monumento em homenagem ao centenário da imigração japonesa em São Bernardo, próximo à Via Anchieta, e para obras de cobertura e aquecimento da piscina no Centro Recreativo Octávio Edgard de Oliveira, na Vila Marlene.

"O Marinho deu o compromisso de usar a emenda", comemorou Morando. O deputado evitou comentar emenda desperdiçada de R$ 500 mil enviada por ele para São Bernardo em 2010 para construção de uma creche.

Na época, a Prefeitura pediu mais prazo ao governo do Estado para elaborar o projeto, mas não informou se a solicitação foi feita antes ou depois do prazo, que expirou em 30 de junho daquele ano. O Paço justificou que a data limite foi postergada para encontrar local adequado para a escolinha. O valor também foi considerado baixo pela administração petista, que alegou a necessidade de R$ 3 milhões para construir o equipamento. A emenda nunca foi utilizada.

Ontem, Luiz Marinho afirmou que todo recurso para a cidade é bem-vindo. Disse que a revitalização da Praça dos Professores já estava prevista no OP (Orçamento Participativo) de 2013 e custará cerca de R$ 1 milhão. Mas as outras duas demandas (manutenção do monumento e cobertura de piscina) não estão programadas pela administração. "Neste caso vamos avaliar o que pode ser feito", alegou o petista.

Ao comentar a emenda de Morando não usada em 2010, o prefeito argumentou que ocasionalmente ocorrem problemas na liberação das emendas. "Os deputados muitas vezes não discutem conosco onde poderiam colaborar", justificou.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;