Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Emoção marca despedida de Mamãe Clory

Enterro foi realizado no cemitério Jardim das Colinas, em São Bernardo


Angela Martins
Do Diário do Grande ABC

23/11/2011 | 07:00


Lágrimas e muita emoção marcaram a despedida de Clory Fagundes Marques, conhecida como Mamãe Clory, que morreu na madrugada de anteontem, vítima de complicações gastrointestinais. Nos últimos meses, ela lutava contra câncer no estômago. Com pelo menos 1.000 filhos entre biológicos e adotivos, além de cerca de 300 netos, 60 bisnetos e 32 tataranetos, a gaúcha natural da cidade de Alegrete fundou a Associação Cristã Verdade e Luz, que em São Bernardo atende 180 crianças de zero a 4 anos, dez idosos internados no asilo, além de inúmeras pessoas que passam pelos cursos de gestante e capacitação.

O enterro ocorreu por volta das 11h de ontem, no Cemitério Jardim da Colina, em São Bernardo. O corpo da benemérita foi velado no Teatro Cacilda Becker, no Paço Municipal, de onde foi levado em cortejo em carro aberto.

"Ela era um símbolo para o trabalho social, tanto para São Bernardo quanto para todo o Brasil. Certamente é uma perda muito grande, mas como sempre trabalhou em equipe, seu legado terá continuidade", destaca o diretor presidente da Fundação Criança, Ariel de Castro Alves.

De acordo com a família, por volta de 600 pessoas acompanharam o enterro. Os filhos que Mamãe Clory criou e amou prestaram as últimas homenagens. "Fui para o orfanato com 1 ano e 8 meses, juntamente com meus cinco irmãos. Minha mãe tinha falecido e meu pai não podia cuidar de todos nós. Ela sempre foi muito boa e carinhosa. É difícil se despedir", afirma o operador de empilhadeira Adilson dos Santos, 40.

Os que trabalhavam na instituição também fizeram questão de lembrar a personalidade doce de Mamãe Clory. "Aprendi muito com ela, para quem não importava se somos ricos ou pobres, todos são iguais", garante a educadora Liana da Silva, 25. Segundo o presidente da associação e filho biológico de Mamãe Clory, César Luiz Fagundes Marques, o trabalho social vai continuar. "Com certeza vamos levar a mensagem desta guerreira e lutar para manter seu sonho."

A música preferida da gaúcha, a canção de Roberto Carlos Eu Quero Mais foi entoada durante o cortejo. Mamãe Clory foi enterrada sob salva de palmas. Assim como ela desejava em vida a todos na hora da despedida, ficam as palavras: Paz e Luz, Mamãe Clory.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Emoção marca despedida de Mamãe Clory

Enterro foi realizado no cemitério Jardim das Colinas, em São Bernardo

Angela Martins
Do Diário do Grande ABC

23/11/2011 | 07:00


Lágrimas e muita emoção marcaram a despedida de Clory Fagundes Marques, conhecida como Mamãe Clory, que morreu na madrugada de anteontem, vítima de complicações gastrointestinais. Nos últimos meses, ela lutava contra câncer no estômago. Com pelo menos 1.000 filhos entre biológicos e adotivos, além de cerca de 300 netos, 60 bisnetos e 32 tataranetos, a gaúcha natural da cidade de Alegrete fundou a Associação Cristã Verdade e Luz, que em São Bernardo atende 180 crianças de zero a 4 anos, dez idosos internados no asilo, além de inúmeras pessoas que passam pelos cursos de gestante e capacitação.

O enterro ocorreu por volta das 11h de ontem, no Cemitério Jardim da Colina, em São Bernardo. O corpo da benemérita foi velado no Teatro Cacilda Becker, no Paço Municipal, de onde foi levado em cortejo em carro aberto.

"Ela era um símbolo para o trabalho social, tanto para São Bernardo quanto para todo o Brasil. Certamente é uma perda muito grande, mas como sempre trabalhou em equipe, seu legado terá continuidade", destaca o diretor presidente da Fundação Criança, Ariel de Castro Alves.

De acordo com a família, por volta de 600 pessoas acompanharam o enterro. Os filhos que Mamãe Clory criou e amou prestaram as últimas homenagens. "Fui para o orfanato com 1 ano e 8 meses, juntamente com meus cinco irmãos. Minha mãe tinha falecido e meu pai não podia cuidar de todos nós. Ela sempre foi muito boa e carinhosa. É difícil se despedir", afirma o operador de empilhadeira Adilson dos Santos, 40.

Os que trabalhavam na instituição também fizeram questão de lembrar a personalidade doce de Mamãe Clory. "Aprendi muito com ela, para quem não importava se somos ricos ou pobres, todos são iguais", garante a educadora Liana da Silva, 25. Segundo o presidente da associação e filho biológico de Mamãe Clory, César Luiz Fagundes Marques, o trabalho social vai continuar. "Com certeza vamos levar a mensagem desta guerreira e lutar para manter seu sonho."

A música preferida da gaúcha, a canção de Roberto Carlos Eu Quero Mais foi entoada durante o cortejo. Mamãe Clory foi enterrada sob salva de palmas. Assim como ela desejava em vida a todos na hora da despedida, ficam as palavras: Paz e Luz, Mamãe Clory.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;