Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 15 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Argentina compara situação na Crimeia a Ilhas Malvinas

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Em 2013 os habitantes da ilha decidiram com 99,8% de aprovação a permanência no território britânico



20/03/2014 | 01:17


A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, declarou que os esforços para preservar a integridade territorial da Ucrânia após o referendo da Crimeia são dificultados pela hipocrisia dos EUA e da Grã-Bretanha.

Em discurso em Paris, Kirchner comparou o referendo na Crimeia ao ocorrido nas Ilhas Malvinas em 2013, quando a população local preferiu seguir como parte do território britânico.

A presidente da Argentina disse que para preservar a paz no mundo e o direito internacional não podem haver dois padrões distintos nas tomadas de decisões. "Não se pode estar de acordo com a integridade territorial na Crimeia e estar em desacordo com a integridade territorial das Malvinas na Argentina", afirmou.

Ainda que a maioria dos países latino-americanos apoiem a posição argentina nas Malvinas, os habitantes da ilha decidiram com 99,8% de aprovação a permanência no território britânico.

Kirchner lembrou que a Crimeia foi parte da União Soviética e que os argumentos do Ocidente perderam força por não haver apoiado a intenção da Argentina de anexar as Ilhas Malvinas.

A presidente insistiu que os países deixem de agir de acordo com os interesses dos mais fortes e pediu uma mudança de postura. "Por isso apoiamos a integridade territorial, por isso votamos como votamos no Conselho de Segurança (contra o referendo na Crimeia), mas pedimos que todos sejam coerentes e façam exatamente o mesmo", afirmou. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;