Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 18 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Questao palestina volta a ser debatida este domingo


Do Diário do Grande ABC

18/12/1999 | 14:04


A reuniao do primeiro-ministro israelense Ehud Barak com Yaser Arafat, prevista para este domingo em Jericó, cidade da Cisjordânia, está destinada a acalmar a preocupaçao do líder palestino em relaçao ao destino de seu povo, depois do reatamento das discussoes sírio-israelenses.

A reuniao de cúpula de Jericó será a primeira a se celebrar nesse enclave autônomo da Cisjordânia, já que até agora os encontros de Arafat e Barak se realizavam em Erez, um ponto de passagem entre Israel e a Faixa de Gaza.

Segundo o secretário geral da Presidência palestina, Tayeb Abdelrahim, a reuniao acontecerá depois do reatamento esta semana em Washington das negociaçoes sírio-israelenses, suspensas há quatro anos.

De acordo com a rádio pública israelense, Barak tentará tranqüilizar Arafat, já acalmado pelo presidente Bill Clinton, quinta-feira. O presidente americano disse a Arafat que os Estados Unidos nao deixarao de lado a questao palestina.

Em comunicado publicado depois de uma reuniao do gabinete palestino na noite de sexta-feira, a liderança palestina qualificou as posiçoes israelenses nas negociaçoes de ``violaçao clara dos acordos de Sharm el-Sheij e de Oslo'', firmados respectivamente dias 5 de setembro de 1999 e 13 de setembro de 1993. ``O governo israelense quer pular as etapas interinas dos acordos de paz (que prevêem retiradas militares da Cisjordânia). Pedimos que se retire de todos os territórios ocupados e que respeite o princípio de terras em troca da paz'', acrescenta o comunicado.

Barak e Arafat tentarao solucionar suas divergências em relaçao à retirada israelense da Cisjordânia, segundo a rádio.

Segundo o acordo de Sharm el Sheij, Israel tinha que ter transferido dia 15 de novembro o controle total aos palestinos de 2% da Cisjordânia e ter repassado os poderes civis de outros 3%. Mas o presidente da Autoridade Palestina negou-se a firmar os documentos que lhe foram submetidos, preferindo que Israel evacue setores mais povoados e com uma continuidade territorial entre a cidade autônoma de Ramalá e a regiao localizada ao norte de Jerusalém.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;