Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 14 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ministro defende importaçao de carne britânica na França


Do Diário do Grande ABC

06/10/1999 | 13:44


O ministro de Agricultura da França, Jean Glavany, declarou nesta quarta-feira que nao há motivos para que a França suspenda o embargo à carne bovina britânica.

No entanto, o ministro acrescentou que pode autorizar a entrada no país de carne britânica em trânsito a outros países, "porque desejamos demonstrar nossa boa vontade aos ingleses".

"Se podemos, assim o faremos", declarou o ministro ao comentar uma possível permissao à passagem da carne britânica rumo a outros países, sem precisar, no entanto, quando a medida poderia começar a vigorar.

Glavany enfatizou, porém, que nao havia motivos para que o governo mudasse de atitude sobre o embargo.

"Especialistas científicos manifestaram uma opiniao negativa. Em tais condiçoes, ninguém poderia imaginar que o governo a desconhecesse", acrescentou.

A Comissao Européia, com sede em Bruxelas, deu um prazo até sexta-feira à França para que apresente dados científicos que justifiquem a manutençao do embargo, declarou terça-feira Thea Emmerling, porta-voz da saúde pública da comissao.

Se a França nao der uma resposta satisfatória, o organismo executivo da UE poderia aprovar na próxima semana uma açao legal contra a França.

Anteriormente o ministro declarou que poderia iniciá-la a partir do dia 13 deste mês.

A Uniao Européia havia imposto um embargo à carne bovina britânica em março de 1996, devido às evidências científicas que vincularam a encefalopatia espongiforme bovina, conhecida como doença da vaca louca, com uma doença cerebral humana fatal, chamada Creutzfeldt Jakob.

As exportaçoes britânicas foram retomadas em agosto depois que foram completados os controles veterinários da UE.

Mesmo assim, França e Alemanha mantiveram o embargo. O primeiro-ministro da França, Lionel Jospin, reúne-se nesta terça-feira com os ministros da Agricultura, Jean Glavany, e da Saúde, Dominique Gillot, para avaliar a reaçao em Londres e Bruxelas à decisao francesa da semana passada de prolongar seu embargo às importaçoes de carne bovina britânica.

A expectativa é de que a reuniao sirva para analisar várias possibilidades, incluindo a suspensao de uma proibiçao que possibilitaria à carne bovina britânica entrar na França a caminho de outros países, segundo funcionários do governo.

A comissao executiva da Uniao Européia exigiu que a França suspendesse o embargo e ameaçou iniciar procedimentos legais contra o governo francês nos próximos dias.

A Gra-Bretanha e a Bélgica alegam que a posiçao francesa contraria uma decisao tomada em agosto pela Comissao Européia que determina o fim do embargo, que já dura três anos.

Mas o governo da França insiste que o embargo continuará valendo até que fique provado que nao existem mais riscos à saúde dos consumidores.

Os agricultores britânicos acusam o governo francês de querer controlar uma fatia maior do mercado para seus produtores de carne bovina.

A França foi, no passado, um dos maiores mercados para a carne bovina britânica.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ministro defende importaçao de carne britânica na França

Do Diário do Grande ABC

06/10/1999 | 13:44


O ministro de Agricultura da França, Jean Glavany, declarou nesta quarta-feira que nao há motivos para que a França suspenda o embargo à carne bovina britânica.

No entanto, o ministro acrescentou que pode autorizar a entrada no país de carne britânica em trânsito a outros países, "porque desejamos demonstrar nossa boa vontade aos ingleses".

"Se podemos, assim o faremos", declarou o ministro ao comentar uma possível permissao à passagem da carne britânica rumo a outros países, sem precisar, no entanto, quando a medida poderia começar a vigorar.

Glavany enfatizou, porém, que nao havia motivos para que o governo mudasse de atitude sobre o embargo.

"Especialistas científicos manifestaram uma opiniao negativa. Em tais condiçoes, ninguém poderia imaginar que o governo a desconhecesse", acrescentou.

A Comissao Européia, com sede em Bruxelas, deu um prazo até sexta-feira à França para que apresente dados científicos que justifiquem a manutençao do embargo, declarou terça-feira Thea Emmerling, porta-voz da saúde pública da comissao.

Se a França nao der uma resposta satisfatória, o organismo executivo da UE poderia aprovar na próxima semana uma açao legal contra a França.

Anteriormente o ministro declarou que poderia iniciá-la a partir do dia 13 deste mês.

A Uniao Européia havia imposto um embargo à carne bovina britânica em março de 1996, devido às evidências científicas que vincularam a encefalopatia espongiforme bovina, conhecida como doença da vaca louca, com uma doença cerebral humana fatal, chamada Creutzfeldt Jakob.

As exportaçoes britânicas foram retomadas em agosto depois que foram completados os controles veterinários da UE.

Mesmo assim, França e Alemanha mantiveram o embargo. O primeiro-ministro da França, Lionel Jospin, reúne-se nesta terça-feira com os ministros da Agricultura, Jean Glavany, e da Saúde, Dominique Gillot, para avaliar a reaçao em Londres e Bruxelas à decisao francesa da semana passada de prolongar seu embargo às importaçoes de carne bovina britânica.

A expectativa é de que a reuniao sirva para analisar várias possibilidades, incluindo a suspensao de uma proibiçao que possibilitaria à carne bovina britânica entrar na França a caminho de outros países, segundo funcionários do governo.

A comissao executiva da Uniao Européia exigiu que a França suspendesse o embargo e ameaçou iniciar procedimentos legais contra o governo francês nos próximos dias.

A Gra-Bretanha e a Bélgica alegam que a posiçao francesa contraria uma decisao tomada em agosto pela Comissao Européia que determina o fim do embargo, que já dura três anos.

Mas o governo da França insiste que o embargo continuará valendo até que fique provado que nao existem mais riscos à saúde dos consumidores.

Os agricultores britânicos acusam o governo francês de querer controlar uma fatia maior do mercado para seus produtores de carne bovina.

A França foi, no passado, um dos maiores mercados para a carne bovina britânica.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;