Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Cai o homem forte do partido ultra-ortodoxo israelense


Do Diário do Grande ABC

12/07/2000 | 10:32


O poderoso partido ultra-ortodoxo israelense Shass ficou nesta quarta sem seu homem forte, o rabino Arieh Deri, ex-ministro do Interior, condenado a três anos de prisao por corrupçao, fraude e abuso de confiança.  

Os três juízes da Corte Suprema confirmaram um veredicto do tribunal distrital de Jerusalém, reduzindo em um ano a pena a que este último havia condenado o rabino Arieh Deri, que tinha a esperança de poder voltar à política.  

A Corte marcou para 13 de agosto o dia em que Deri, muito tempo considerado como um dos políticos mais influentes de Israel, iniciará o cumprimento de sua pena. Sua condenaçao o impedirá de ser ministro durante 10 anos.  

O veredicto provocou protestos de centenas de simpatizantes do ex-ministro, que se dirigiram à sala de audiências, entre eles vários deputados.  ``É inocente! Isto é uma vergonha'', gritavam centenas de membros do Shass reunidos no interior e exterior do Tribunal Supremo.  ``Aceito este veredicto com alegria e amor'', declarou por sua parte à imprensa o rabino Deri, aparentemente resignado.  ``Isto vem do céu. É uma prova do criador. Irei para a prisao, mesmo sabendo que os juízes se enganaram'', acentuou.

Mas seus seguidores estavam indignados com o fato de o presidente demissionário Ezer Weizman, judeu ashkenazi (originário do Leste da Europa), suspeito de corrupçao, ter escapado da açao da justiça.  ``A sentença é terrivelmente injusta. Perseguem Deri porque encarna as esperanças dos judeus sefarditas'' (orignários do Norte da Africa), declarou ao deputado David Azulai, do Shass.  

Com 17 deputados de um total de 120 no Parlamento, o Shass, que representa os sefarditas religiosos, é o terceiro partido do país e a chave de todas as coalizoes governamentais há dez anos.  

O Shass abandonou no último domingo o Governo para protestar contra as concessoes que o primeiro-ministro israelense Ehud Barak pretende fazer aos palestinos no encontro de Camp David, que começou terça.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cai o homem forte do partido ultra-ortodoxo israelense

Do Diário do Grande ABC

12/07/2000 | 10:32


O poderoso partido ultra-ortodoxo israelense Shass ficou nesta quarta sem seu homem forte, o rabino Arieh Deri, ex-ministro do Interior, condenado a três anos de prisao por corrupçao, fraude e abuso de confiança.  

Os três juízes da Corte Suprema confirmaram um veredicto do tribunal distrital de Jerusalém, reduzindo em um ano a pena a que este último havia condenado o rabino Arieh Deri, que tinha a esperança de poder voltar à política.  

A Corte marcou para 13 de agosto o dia em que Deri, muito tempo considerado como um dos políticos mais influentes de Israel, iniciará o cumprimento de sua pena. Sua condenaçao o impedirá de ser ministro durante 10 anos.  

O veredicto provocou protestos de centenas de simpatizantes do ex-ministro, que se dirigiram à sala de audiências, entre eles vários deputados.  ``É inocente! Isto é uma vergonha'', gritavam centenas de membros do Shass reunidos no interior e exterior do Tribunal Supremo.  ``Aceito este veredicto com alegria e amor'', declarou por sua parte à imprensa o rabino Deri, aparentemente resignado.  ``Isto vem do céu. É uma prova do criador. Irei para a prisao, mesmo sabendo que os juízes se enganaram'', acentuou.

Mas seus seguidores estavam indignados com o fato de o presidente demissionário Ezer Weizman, judeu ashkenazi (originário do Leste da Europa), suspeito de corrupçao, ter escapado da açao da justiça.  ``A sentença é terrivelmente injusta. Perseguem Deri porque encarna as esperanças dos judeus sefarditas'' (orignários do Norte da Africa), declarou ao deputado David Azulai, do Shass.  

Com 17 deputados de um total de 120 no Parlamento, o Shass, que representa os sefarditas religiosos, é o terceiro partido do país e a chave de todas as coalizoes governamentais há dez anos.  

O Shass abandonou no último domingo o Governo para protestar contra as concessoes que o primeiro-ministro israelense Ehud Barak pretende fazer aos palestinos no encontro de Camp David, que começou terça.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;