Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Bruninho diz que tem 'muita vontade' de defender a seleção de vôlei em Paris

Divulgação/FIVB/Fotos Públicas  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


09/08/2021 | 16:02


Após o frustrante quarto lugar na Olimpíada de Tóquio, a seleção brasileira masculina de vôlei desembarcou em São Paulo nesta segunda-feira (9). A equipe foca sua atenção para o Campeonato Sul-Americano, disputado no início de setembro, mas já pensa nos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024.

Renan Dal Zotto e Bruninho falaram sobre o futuro da seleção. O treinador afirmou que já conversou com a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) e que deve seguir no cargo. "Já tive a oportunidade de conversar com a CBV. A princípio, tudo ok. Vamos dar continuidade", avisou o técnico.

Já o experiente levantador, de 35 anos, manifestou sua vontade de continuar. Após a derrota para a Argentina na disputa pelo bronze, ele havia dito que era cedo pra fazer uma projeção sobre seu futuro na seleção. Mas garantiu estar empolgado e com "muita vontade" de conquistar a sua quarta medalha olímpica em Paris.

"Estou empolgado com o que tenho pela frente. Em setembro vou para a Itália, tenho contrato com o Modena. Faltam três anos para a próxima Olimpíada. Quero no dia a dia me manter no alto nível, tentar melhorar cada vez mais, evoluir. Vou deixar isso aí nas mãos do Renan que é o chefe. Por mim, eu tenho muita vontade ainda de conquistar mais uma medalha olímpica", assegurou o atleta, ouro na Rio-2016, e prata em Pequim-2008 e Londres-2012.

Um dos destaques do Brasil em Tóquio, Lucarelli também confirmou o desejo de seguir na equipe. O ponteiro de 29 anos vai defender o Volley Lube, da Itália, na próxima temporada.

"Meus planos continuam na seleção. Eu me sinto muito bem aqui. Espero poder contribuir, que isso é o mais importante. O momento que eu não estiver mais contribuindo dentro de quadra é o momento de parar, mas ainda acho que tenho coisas para doar para a seleção. Enquanto isso for possível, vou continuar representando o país", avaliou.

O central Lucão, de 35 anos, é outro atleta que já havia mostrado interesse em continuar. Já o oposto Wallace avisara que seu ciclo na seleção se encerrou após a participação em Tóquio. No Sul-Americano, parte do grupo que disputou a Olimpíada vai ganhar um descanso, caso do ponteiro Leal.

Renan pode usar a competição para dar rodagem a jovens jogadores pensando na renovação da equipe. O elenco se reapresenta na próxima semana no Centro de Treinamento da CBV, em Saquarema, no Rio de Janeiro, para iniciar a preparação para o torneio que dá vaga no Mundial aos dois primeiros colocados. A competição será disputada entre 1º e 5 de setembro, em Brasília.

"Vamos ter o Sul-Americano daqui a três semanas. Já nos apresentaremos em Saquarema na semana que vem com um grupo bastante diferente. Alguns precisam descansar, outros precisam se recuperar fisicamente. Leal já estava planejado voltar a Cuba para documentações. Então não vai ser possível ele jogar o Sul-Americano. Wallace já deu sinais de que estaria chegando no momento de repensar", resumiu Renan.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;