Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 21 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Desobediência a sinal pode ter causado acidente em Londres


Do Diário do Grande ABC

06/10/1999 | 11:17


A desobediência ao sinal vermelho, disparado pela companhia ferroviária pode ter sido a causa do acidente que até o presente momento feriu 160 pessoas e matou 27.

A negligência por parte dos motoristas vem sendo discutida por autoridades que afirmam dizer que no momento do acidente, uma luz indicativa vermelha foi acionada e que os mesmos a ignoraram.

Oito trens nos últimos anos agiram da mesma maneira, desobedecendo o sinal e resultando em acidentes.

Os trens durante a colisao formaram uma bola de fogo na qual dezenas de pessoas, incluindo os 2 motoristas, morreram na hora.

O número de feridos era de 154 no qual 49 permanecem em estado grave. Conforme declaraçoes de autoridades locais, 26 corpos foram retirados na hora sendo que mais corpos poderao ser encontrados.

Um homem que estava em um balcao próximo a linha férrea, declarou que o trem menor vido de Paddington atingiu rapidamente o outro nao dando tempo para que o Express freiasse.

" O express nao conseguiu parar. Eu escutei o barulho dos freios gritando." declarou bush Hamdi.

Investigadores da segurança estavam examinando na noite de terça-feira os computadores e os alarmes de segurança dos trens envolvidos na catástrofe e descobriram que o trem que estava deixando Londres ultrapassou o sinal vermelho de segurança.

Os motoristas freqüentemente reportam que quando o sinal 109 é ignorado geralmente acidentes acabam ocorrendo vítimas das imprudências.

Recentemente em 1993 ocorreu um acidente semelhante a este no qual o motorista ignorou o sinal vermelho e causou um acidente. A empresas envolvida era a Thames Trains.

A justificativa que os motorista encontram na nao obediência ao sinal, seria a falta de visibilidade e a falta de clareza dos sinais.

No entanto, as indústrias responsáveis por esses esquemas de segurança afirmam em dizer que o acidente ocorrido em Fevereiro de 1998 nao foi falta de aviso.

De um outro lado, a opiniao pública pressiona Tony Blair para que exija destas empresas as melhoras prometidas durante a privatizaçao da British Rail em 1996 e 1997.

Os protestos se multiplicam, já que estas entidades empresariais têm muitos benefícios.

Os sindicatos criticam há tempo sua despreocupaçao em questoes de segurança e afirmam que a sacrificam para aumentar ainda mais os lucros.

De fato, depois do acidente ferroviário de terça-feira, suas contaçoes na bolsa caíram, talvez pelos prováveis investimentos em

O departamento do ministro britânico do Transporte, John Prescott, ameaçou recentemente a Railtrack com uma multa de 40 milhoes de libras esterlinas (66 milhoes de dólares) se nao se esforçar para acabar com os atrasos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Desobediência a sinal pode ter causado acidente em Londres

Do Diário do Grande ABC

06/10/1999 | 11:17


A desobediência ao sinal vermelho, disparado pela companhia ferroviária pode ter sido a causa do acidente que até o presente momento feriu 160 pessoas e matou 27.

A negligência por parte dos motoristas vem sendo discutida por autoridades que afirmam dizer que no momento do acidente, uma luz indicativa vermelha foi acionada e que os mesmos a ignoraram.

Oito trens nos últimos anos agiram da mesma maneira, desobedecendo o sinal e resultando em acidentes.

Os trens durante a colisao formaram uma bola de fogo na qual dezenas de pessoas, incluindo os 2 motoristas, morreram na hora.

O número de feridos era de 154 no qual 49 permanecem em estado grave. Conforme declaraçoes de autoridades locais, 26 corpos foram retirados na hora sendo que mais corpos poderao ser encontrados.

Um homem que estava em um balcao próximo a linha férrea, declarou que o trem menor vido de Paddington atingiu rapidamente o outro nao dando tempo para que o Express freiasse.

" O express nao conseguiu parar. Eu escutei o barulho dos freios gritando." declarou bush Hamdi.

Investigadores da segurança estavam examinando na noite de terça-feira os computadores e os alarmes de segurança dos trens envolvidos na catástrofe e descobriram que o trem que estava deixando Londres ultrapassou o sinal vermelho de segurança.

Os motoristas freqüentemente reportam que quando o sinal 109 é ignorado geralmente acidentes acabam ocorrendo vítimas das imprudências.

Recentemente em 1993 ocorreu um acidente semelhante a este no qual o motorista ignorou o sinal vermelho e causou um acidente. A empresas envolvida era a Thames Trains.

A justificativa que os motorista encontram na nao obediência ao sinal, seria a falta de visibilidade e a falta de clareza dos sinais.

No entanto, as indústrias responsáveis por esses esquemas de segurança afirmam em dizer que o acidente ocorrido em Fevereiro de 1998 nao foi falta de aviso.

De um outro lado, a opiniao pública pressiona Tony Blair para que exija destas empresas as melhoras prometidas durante a privatizaçao da British Rail em 1996 e 1997.

Os protestos se multiplicam, já que estas entidades empresariais têm muitos benefícios.

Os sindicatos criticam há tempo sua despreocupaçao em questoes de segurança e afirmam que a sacrificam para aumentar ainda mais os lucros.

De fato, depois do acidente ferroviário de terça-feira, suas contaçoes na bolsa caíram, talvez pelos prováveis investimentos em

O departamento do ministro britânico do Transporte, John Prescott, ameaçou recentemente a Railtrack com uma multa de 40 milhoes de libras esterlinas (66 milhoes de dólares) se nao se esforçar para acabar com os atrasos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;