Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Enem aponta vantagem do 'aluno rico' sobre o 'aluno pobre'


Do Diário OnLine

13/07/2004 | 16:33


Dados do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio)/2003 apontam que os estudantes com acesso a melhores condições socioeconômicas têm desempenho superior em comparação aos alunos menos favorecidos. Os jovens que passaram por cursos de língua estrangeira, informática e pré-vestibular tiveram desempenho 17 pontos superior àqueles que tiveram pouca ou nenhuma oportunidade de usufruir das mesmas atividades extracurriculares - 62 a 45 (na média), dentro de uma escala de 0 a 100 pontos.

Impacto ainda maior no desempenho dos estudantes foi constatado nos dados referentes ao bem-estar residencial. Jovens que vivem em famílias com bens associados ao poder socioeconômico - como TV, computador, acesso à Internet, carro e telefone - chegaram a obter 22 pontos a mais do que aqueles desprovidos ou com pouco acesso a esses itens relacionados ao bem-estar - 63 a 41, na média

As condições oferecidas pela escola também pesaram no desempenho final do aluno. A média dos participantes que estudaram em instituições com melhor infra-estrutura foi de 55 pontos, sete acima dos estudantes de escolas menos providas.

A qualidade das instituições foi determinada pela avaliação que os alunos fizeram das condições das salas de aula, da biblioteca, dos laboratórios, do acesso a computadores e da segurança. Também foram considerados fatores como a iniciativa da escola, a atenção e o respeito dos funcionários, a realização de atividades culturais, respeito à liberdade de expressão e preocupação com os problemas pessoais e familiares.

Interesse - Além dos fatores materiais, o Enem apontou que o alunos interessados em leitura e em conhecer os temas da atualidade também levam vantagem.

O estudante inteirado nos acontecimentos da política nacional e internacional, da economia e nas questões sociais e ambientais teve 55 pontos, contra 46 daqueles que mostraram menos interesse. A associação da prova aos temas da atualidade ajuda a explicar o melhor desempenho dos 'antenados'.

Os alunos que lêem com freqüência jornais, revistas e livros tiveram, em média, sete pontos a mais que os colegas sem os mesmos hábitos de leitura: 53 a 46. A estrutura do Enem também ajuda os 'alunos-leitores', pois a formulação de questões com base em situações-problema e temas da atualidade reforça a importância da leitura na resolução da prova.

Os dados apresentados nesta terça-feira foram obtidos a partir do cruzamento dos resultados do Enem/2003 e das respostas dos participantes ao questionário socioeconômico. O estudo faz parte de um conjunto de indicadores relacionados às condições socioeconômicas dos alunos que o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), ligado ao MEC (Ministério da Educação), está elaborando.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;