Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Metalúrgicas reduzem jornada de trabalho


Mariana Oliveira
Do Diário do Grande ABC

25/06/2005 | 07:53


Metalúrgicos de duas empresas, uma de São Bernardo e outra de Diadema, conquistaram nesta semana a redução de jornada de trabalho semanal de 42 horas para 40 horas sem alteração salarial. A produtora de peças estampadas Delga, de Diadema, e a Krupp Módulos Automotivos - multinacional que atua em montagem de suspensões dentro da fábrica da Volkswagen -, de São Bernardo, se juntam às mais de 1,8 mil empresas do Grande ABC que já têm jornada reduzida de 40 horas. A jornada trabalhista oficial no Brasil é de 44 horas.

\r\n\r\n

Na Krupp, a redução da jornada dos 60 funcionários terá início no próximo dia 4 de julho. A advogada da empresa, Leda Maria Costa Chagas, afirmou que, em princípio, não devem ocorrer novas contratações. "Tudo vai depender da necessidade, mas será preciso um período para avaliação", afirmou. Segundo ela, outra unidade da Krupp em Curitiba (PR) também terá a jornada reduzida para 40 horas. "Não podemos dizer que todos os funcionários da Krupp no Brasil terão a jornada reduzida, pois a negociação é separada para cada unidade", completou.

\r\n\r\n

De acordo com o diretor do sindicato Murilo Donizete, a redução da jornada para 40 horas está em discussão há dois anos. "Em 2002, conseguimos diminuir de 44 horas para 42 horas. Pouco tempo depois iniciou-se discussão de redução para 40 horas. A empresa queria que a nova jornada começasse em janeiro de 2006, mas conseguimos com que fosse antecipada."

\r\n\r\n

Já os 660 trabalhadores da Delga só começam a trabalhar com a jornada reduzida para 40 horas a partir de novembro próximo, sendo que a implantação ocorrerá em quatro etapas - meia hora por semestre. "Estamos negociando com a Delga há quase cinco anos. Primeiro conseguimos reduzir de 44 horas para 42 horas, e agora chegamos a 40 horas. Acredito que isso deverá gerar novas contratações", afirmou o diretor do sindicato José Mourão.",1]);//-->

As duas empresas, que reúnem 720 trabalhadores, fecharam acordo no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (filiado à CUT). "Essa é uma bandeira de luta antiga da CUT e que estamos conseguindo implantar aos poucos. Atualmente, 82% das empresas da categoria em São Bernardo e Diadema já trabalham 40 horas por semana. Nossa intenção é que 100% dos metalúrgicos estejam com a jornada reduzida em pouco tempo. Com isso, pretendemos aumentar o tempo de lazer e a qualidade de vida dos trabalhadores", disse o diretor do sindicato Rafael Marques.

Na Krupp, a redução da jornada dos 60 funcionários terá início no próximo dia 4 de julho. A advogada da empresa, Leda Maria Costa Chagas, afirmou que, em princípio, não devem ocorrer novas contratações. "Tudo vai depender da necessidade, mas será preciso um período para avaliação", afirmou. Segundo ela, outra unidade da Krupp em Curitiba (PR) também terá a jornada reduzida para 40 horas. "Não podemos dizer que todos os funcionários da Krupp no Brasil terão a jornada reduzida, pois a negociação é separada para cada unidade", completou.

De acordo com o diretor do sindicato Murilo Donizete, a redução da jornada para 40 horas está em discussão há dois anos. "Em 2002, conseguimos diminuir de 44 horas para 42 horas. Pouco tempo depois iniciou-se discussão de redução para 40 horas. A empresa queria que a nova jornada começasse em janeiro de 2006, mas conseguimos com que fosse antecipada."

Já os 660 trabalhadores da Delga só começam a trabalhar com a jornada reduzida para 40 horas a partir de novembro próximo, sendo que a implantação ocorrerá em quatro etapas - meia hora por semestre. "Estamos negociando com a Delga há quase cinco anos. Primeiro conseguimos reduzir de 44 horas para 42 horas, e agora chegamos a 40 horas. Acredito que isso deverá gerar novas contratações", afirmou o diretor do sindicato José Mourão.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Metalúrgicas reduzem jornada de trabalho

Mariana Oliveira
Do Diário do Grande ABC

25/06/2005 | 07:53


Metalúrgicos de duas empresas, uma de São Bernardo e outra de Diadema, conquistaram nesta semana a redução de jornada de trabalho semanal de 42 horas para 40 horas sem alteração salarial. A produtora de peças estampadas Delga, de Diadema, e a Krupp Módulos Automotivos - multinacional que atua em montagem de suspensões dentro da fábrica da Volkswagen -, de São Bernardo, se juntam às mais de 1,8 mil empresas do Grande ABC que já têm jornada reduzida de 40 horas. A jornada trabalhista oficial no Brasil é de 44 horas.

\r\n\r\n

Na Krupp, a redução da jornada dos 60 funcionários terá início no próximo dia 4 de julho. A advogada da empresa, Leda Maria Costa Chagas, afirmou que, em princípio, não devem ocorrer novas contratações. "Tudo vai depender da necessidade, mas será preciso um período para avaliação", afirmou. Segundo ela, outra unidade da Krupp em Curitiba (PR) também terá a jornada reduzida para 40 horas. "Não podemos dizer que todos os funcionários da Krupp no Brasil terão a jornada reduzida, pois a negociação é separada para cada unidade", completou.

\r\n\r\n

De acordo com o diretor do sindicato Murilo Donizete, a redução da jornada para 40 horas está em discussão há dois anos. "Em 2002, conseguimos diminuir de 44 horas para 42 horas. Pouco tempo depois iniciou-se discussão de redução para 40 horas. A empresa queria que a nova jornada começasse em janeiro de 2006, mas conseguimos com que fosse antecipada."

\r\n\r\n

Já os 660 trabalhadores da Delga só começam a trabalhar com a jornada reduzida para 40 horas a partir de novembro próximo, sendo que a implantação ocorrerá em quatro etapas - meia hora por semestre. "Estamos negociando com a Delga há quase cinco anos. Primeiro conseguimos reduzir de 44 horas para 42 horas, e agora chegamos a 40 horas. Acredito que isso deverá gerar novas contratações", afirmou o diretor do sindicato José Mourão.",1]);//-->

As duas empresas, que reúnem 720 trabalhadores, fecharam acordo no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (filiado à CUT). "Essa é uma bandeira de luta antiga da CUT e que estamos conseguindo implantar aos poucos. Atualmente, 82% das empresas da categoria em São Bernardo e Diadema já trabalham 40 horas por semana. Nossa intenção é que 100% dos metalúrgicos estejam com a jornada reduzida em pouco tempo. Com isso, pretendemos aumentar o tempo de lazer e a qualidade de vida dos trabalhadores", disse o diretor do sindicato Rafael Marques.

Na Krupp, a redução da jornada dos 60 funcionários terá início no próximo dia 4 de julho. A advogada da empresa, Leda Maria Costa Chagas, afirmou que, em princípio, não devem ocorrer novas contratações. "Tudo vai depender da necessidade, mas será preciso um período para avaliação", afirmou. Segundo ela, outra unidade da Krupp em Curitiba (PR) também terá a jornada reduzida para 40 horas. "Não podemos dizer que todos os funcionários da Krupp no Brasil terão a jornada reduzida, pois a negociação é separada para cada unidade", completou.

De acordo com o diretor do sindicato Murilo Donizete, a redução da jornada para 40 horas está em discussão há dois anos. "Em 2002, conseguimos diminuir de 44 horas para 42 horas. Pouco tempo depois iniciou-se discussão de redução para 40 horas. A empresa queria que a nova jornada começasse em janeiro de 2006, mas conseguimos com que fosse antecipada."

Já os 660 trabalhadores da Delga só começam a trabalhar com a jornada reduzida para 40 horas a partir de novembro próximo, sendo que a implantação ocorrerá em quatro etapas - meia hora por semestre. "Estamos negociando com a Delga há quase cinco anos. Primeiro conseguimos reduzir de 44 horas para 42 horas, e agora chegamos a 40 horas. Acredito que isso deverá gerar novas contratações", afirmou o diretor do sindicato José Mourão.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;