Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Preso padre acusado de abuso sexual em Bauru



14/06/2005 | 00:02


O padre José Eduardo Balikian, 38 anos, que trabalhou por um ano e meio como pároco da Igreja de Santo Antônio, uma das principais paróquias de Marília, a 450 quilômetros de São Paulo, está preso na cadeia pública de Gália, sob a acusação de abuso sexual contra duas irmãs menores, de 15 e 16 anos de idade.

Ele foi preso na última sexta-feira, em Londrina (PR), onde se encontrava escondido na casa de um amigo, depois de ser acusado pelo pai das adolescentes. O pai, que pediu para ter sua identidade preservada, entregou à polícia 150 e-mails enviados às filhas pelo religioso, que declarava amor e marcava encontros. A delegada Rosana Camacho, que preside o inquérito instaurado no último dia 7, disse que pediu a prisão diante da possibilidade de o acusado fugir antes das investigações.

O pai das vítimas disse que sua família é tradicionalmente religiosa, tendo nas gerações anteriores ajudado a construir a igreja. Segundo ele, o padre freqüentava sua casa, assim como a de outras famílias da paróquia. Ele afirmou que levou o caso à polícia e ao bispo local após flagrar o padre e uma de suas filhas em frente de um drive-in. Segundo ele, durante discussão, o padre o ameaçou.

Segundo o pai das meninas, José Eduardo Balikian teria se valido de informações de confessionário e de sua condição eclesiástica para seduzir as duas adolescentes.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Preso padre acusado de abuso sexual em Bauru


14/06/2005 | 00:02


O padre José Eduardo Balikian, 38 anos, que trabalhou por um ano e meio como pároco da Igreja de Santo Antônio, uma das principais paróquias de Marília, a 450 quilômetros de São Paulo, está preso na cadeia pública de Gália, sob a acusação de abuso sexual contra duas irmãs menores, de 15 e 16 anos de idade.

Ele foi preso na última sexta-feira, em Londrina (PR), onde se encontrava escondido na casa de um amigo, depois de ser acusado pelo pai das adolescentes. O pai, que pediu para ter sua identidade preservada, entregou à polícia 150 e-mails enviados às filhas pelo religioso, que declarava amor e marcava encontros. A delegada Rosana Camacho, que preside o inquérito instaurado no último dia 7, disse que pediu a prisão diante da possibilidade de o acusado fugir antes das investigações.

O pai das vítimas disse que sua família é tradicionalmente religiosa, tendo nas gerações anteriores ajudado a construir a igreja. Segundo ele, o padre freqüentava sua casa, assim como a de outras famílias da paróquia. Ele afirmou que levou o caso à polícia e ao bispo local após flagrar o padre e uma de suas filhas em frente de um drive-in. Segundo ele, durante discussão, o padre o ameaçou.

Segundo o pai das meninas, José Eduardo Balikian teria se valido de informações de confessionário e de sua condição eclesiástica para seduzir as duas adolescentes.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;