Fechar
Publicidade

Sábado, 21 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

S.Bernardo é 3ª cidade mais endividada do Brasil, aponta Tesouro Nacional

André Henriques/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Com dívida consolidada de R$ 2,3 bi, município do Grande ABC subiu cinco posições em quatro anos e fica atrás apenas de S.Paulo e Rio


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

01/08/2021 | 01:55


Com passivo consolidado líquido em R$ 2,36 bilhões apurado no ano passado, São Bernardo é o terceiro município mais endividado do País, conforme relatório de contas públicas do Tesouro Nacional, figurando atrás apenas das cidades de São Paulo (R$ 25,7 bilhões), que lidera o ranking geral, e do Rio de Janeiro (R$ 15,9 bilhões). O levantamento é referente ao exercício de 2020 realizado pelo painel Tesouro Transparente, ligado ao Ministério da Economia, extraído com dados oficiais do Siconfi (Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro).

A dívida consolidada envolve montante total das obrigações financeiras de cada ente federativo, assumidas por meio de contratos, convênios ou a partir de operações de crédito, ou seja, abrange todos os títulos públicos pendentes, empréstimos e financiamentos em andamento, além de precatórios judiciais. O município do Grande ABC, gerido pelo prefeito Orlando Morando (PSDB), surge à frente de grandes capitais do Brasil, como Belo Horizonte, em Minas Gerais (R$ 2,01 bilhões, quarta colocada no rol), Fortaleza, no Ceará (R$ 1,75 bilhão, sétima), Recife, em Pernambuco (R$ 1,44 bilhão, oitava), e Manaus, no Amazonas (R$ 1,4 bilhão).

No período compilado de quatro anos, entre 2017 e 2020, hiato que compreende ao primeiro mandato de Morando no poder do Executivo local, São Bernardo escalou cinco degraus – a elevação do passivo se dá em linha antagônica ao discurso de austeridade do tucano. No ano inaugural do intervalo anterior, a cidade apresentava débitos consolidados da ordem de R$ 1,22 bilhão, um aumento de 93,3%, ficando na oitava posição do quadro, tendo, inclusive, Santo André – chefiada pelo correligionário Paulo Serra – na colocação imediata à sua frente, que acumulava, à época, R$ 1,3 bilhão. O município andreense, contudo, ganhou fôlego e caiu para o 13º posto em 2020 ao registrar valor de R$ 872,6 milhões.

As demais grandes cidades que constam entre as dez primeiras da lista nacional são Campinas (R$ 2,01 bilhões), Guarulhos (R$ 1,96 bilhão) e Mauá (R$ 1,07 bilhão, atualmente comandada por Marcelo Oliveira, PT), que fecha esse pelotão (confira arte ao lado). No campo regional, Diadema foi herdada por José de Filippi Júnior (PT) com R$ 892,9 milhões, na 12ª posição. Ainda no rol dos 100 principais volumes brasileiros, São Caetano, nas mãos hoje de Tite Campanella (Cidadania), é mencionado na 64ª colocação, com quantia apontada em R$ 182,9 milhões.

Fora deste quadro indicado pelo painel do Tesouro, Ribeirão Pires, de Clóvis Volpi (PL), e Rio Grande da Serra, de Claudinho da Geladeira (PSDB), anotam R$ 75,7 milhões e R$ 52,8 milhões, respectivamente.

Questionada sobre os motivos da elevação dos débitos consolidados, a Prefeitura de São Bernardo alegou que o município “está entre as que mais investem em obras e serviços público do País”, de acordo com levantamento da FNP (Frente Nacional de Prefeitos). “Desde 2017, foram entregues obras fundamentais para a cidade, como o Piscinão do Paço, considerado o maior projeto de drenagem urbana do País, quatro viadutos, oito corredores de ônibus, dois hospitais, além de todo o investimento realizado no enfrentamento à Covid-19 ao longo de 2020 e 2021”, sustentou o governo, ao acrescentar que, além deste ponto, a variação cambial impactou diretamente no valor total da dívida, uma vez que o dólar em 2017 era da ordem de US$ 3,30 e em 2021 chegou a US$ 5,19. “O município dispõe de linhas de financiamento que garantem investimentos futuros”, emendou. A administração tucana reforçou, entretanto, que a taxa de endividamento está abaixo dos limites legais, estabelecidos em resolução do Senado Federal. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;