Fechar
Publicidade

Sábado, 6 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Presidente da Ponte usa chegada de técnico para provocar Guarani

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


25/02/2020 | 18:04


Em 16 de março, Guarani (Bugre) e Ponte Preta (Macaca)  farão um campeonato à parte no Paulistão. Isso porque os dois rivais vão se enfrentar na data no Brinco de Ouro da Princesa. E as provocações já começaram. O presidente do time alvinegro, Sebastião Arcanjo, aproveitou a contratação do técnico João Brigatti para alfinetar o arquirrival.

"Ao contrário do que muitos afirmam, eu tive a oportunidade de acompanhar a trajetória do João aqui na Ponte. Não que ele faça apenas a turma lá de baixo tremer, eu sei que eles vão tremer com a chegada do João, já estão tremendo. Mas não estou entre aqueles que acham que o João seja apenas um motivador. Se pensasse assim, ia recomendar livros de autoajuda para o nosso elenco. Fomos buscar pessoas que têm condição e já provaram isso", afirmou o mandatário.

O dirigente também não escondeu que Guto Ferreira era a primeira opção para a vaga deixada por Gilson Kleina. "Nós consultamos alguns treinadores que estavam disponíveis. Isso não é demérito, foi um critério que consideramos", justificou.

Como goleiro da Ponte Preta, João Brigatti disputou cinco dérbis contra o Guarani e, curiosamente, empatou todos. Como treinador, em 2018, empatou novamente, desta vez, por 0 a 0.

O técnico ainda tem um histórico de provocação. Em 2003, ainda como preparador de goleiros, estendeu a bandeira da Ponte no centro do gramado do Brinco de Ouro, gerando tumulto em que precisou ser protegido pela polícia.

Em 2018, quando era auxiliar de Dorival Junior, a Ponte venceu o Guarani por 3 a 2 e Brigatti saiu de campo batendo no símbolo do clube e apontando para a torcida adversária. Na ocasião, o presidente do clube bugrino, Palmeron Mendes Filho, considerou a atitude como "falta de respeito".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Presidente da Ponte usa chegada de técnico para provocar Guarani


25/02/2020 | 18:04


Em 16 de março, Guarani (Bugre) e Ponte Preta (Macaca)  farão um campeonato à parte no Paulistão. Isso porque os dois rivais vão se enfrentar na data no Brinco de Ouro da Princesa. E as provocações já começaram. O presidente do time alvinegro, Sebastião Arcanjo, aproveitou a contratação do técnico João Brigatti para alfinetar o arquirrival.

"Ao contrário do que muitos afirmam, eu tive a oportunidade de acompanhar a trajetória do João aqui na Ponte. Não que ele faça apenas a turma lá de baixo tremer, eu sei que eles vão tremer com a chegada do João, já estão tremendo. Mas não estou entre aqueles que acham que o João seja apenas um motivador. Se pensasse assim, ia recomendar livros de autoajuda para o nosso elenco. Fomos buscar pessoas que têm condição e já provaram isso", afirmou o mandatário.

O dirigente também não escondeu que Guto Ferreira era a primeira opção para a vaga deixada por Gilson Kleina. "Nós consultamos alguns treinadores que estavam disponíveis. Isso não é demérito, foi um critério que consideramos", justificou.

Como goleiro da Ponte Preta, João Brigatti disputou cinco dérbis contra o Guarani e, curiosamente, empatou todos. Como treinador, em 2018, empatou novamente, desta vez, por 0 a 0.

O técnico ainda tem um histórico de provocação. Em 2003, ainda como preparador de goleiros, estendeu a bandeira da Ponte no centro do gramado do Brinco de Ouro, gerando tumulto em que precisou ser protegido pela polícia.

Em 2018, quando era auxiliar de Dorival Junior, a Ponte venceu o Guarani por 3 a 2 e Brigatti saiu de campo batendo no símbolo do clube e apontando para a torcida adversária. Na ocasião, o presidente do clube bugrino, Palmeron Mendes Filho, considerou a atitude como "falta de respeito".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;