Fechar
Publicidade

Domingo, 23 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Comissão do Senado adia votação da alíquota do IR


Do Diário OnLine

16/12/2003 | 13:32


A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado adiou mais uma vez, nesta terça-feira, a votação do projeto de lei que prorroga a vigência da alíquota máxima de 27,5% do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF). O texto já foi aprovado na Câmara dos Deputados e, depois da sessão de hoje, teria apenas que ser sancionado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo o líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante (SP), o senador Mão Santa (PMDB) pediu vista do texto. Segundo Mercadante, agora o partido e os aliados deverão entrar com um pedido para que o projeto seja, na quinta-feira, levado direto ao plenário, ou seja, não passe pela CAE.

A alíquota máxima de 27,5% venceria neste ano e, a partir de janeiro de 2004, deveria ser reduzida para 25%. O governo, porém, trabalhou pela manutenção sob o argumento de que a redução provocaria uma perda de quase US$ 2 bilhões para os cofres da União.

O último reajuste da tabela do IR, de 17,5%, foi aprovado em dezembro de 2001, ainda no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso. O limite de isenção, então, passou de R$ 900 para R$ 1.058. Deste valor até R$ 2.115, a alíquota de contribuição ficou em 15%, e para aqueles que recebem mais de R$ 2.115, o desconto foi fixado em 27,5%.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Comissão do Senado adia votação da alíquota do IR

Do Diário OnLine

16/12/2003 | 13:32


A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado adiou mais uma vez, nesta terça-feira, a votação do projeto de lei que prorroga a vigência da alíquota máxima de 27,5% do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF). O texto já foi aprovado na Câmara dos Deputados e, depois da sessão de hoje, teria apenas que ser sancionado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo o líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante (SP), o senador Mão Santa (PMDB) pediu vista do texto. Segundo Mercadante, agora o partido e os aliados deverão entrar com um pedido para que o projeto seja, na quinta-feira, levado direto ao plenário, ou seja, não passe pela CAE.

A alíquota máxima de 27,5% venceria neste ano e, a partir de janeiro de 2004, deveria ser reduzida para 25%. O governo, porém, trabalhou pela manutenção sob o argumento de que a redução provocaria uma perda de quase US$ 2 bilhões para os cofres da União.

O último reajuste da tabela do IR, de 17,5%, foi aprovado em dezembro de 2001, ainda no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso. O limite de isenção, então, passou de R$ 900 para R$ 1.058. Deste valor até R$ 2.115, a alíquota de contribuição ficou em 15%, e para aqueles que recebem mais de R$ 2.115, o desconto foi fixado em 27,5%.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;