Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 23 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Governo de Sto.André abre licitação para construir ponte

Marina Brandão/Arquivo DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Travessia ficará próxima à antiga estrutura; custo é de R$ 4,8 mi e entra de contrapartida ao BID


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

22/06/2018 | 07:00


O governo do prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), lançou ontem licitação, na modalidade concorrência internacional, para viabilizar construção de ponte na Avenida dos Estados – altura da unidade do Sesi (Serviço Social da Indústria), perto da travessia danificada –, na região do bairro Santa Terezinha. As obras sobre o Rio Tamanduateí envolvem custo total no valor de R$ 4,8 milhões, com a utilização de recursos próprios, que, segundo acordo formal, servirão de contrapartida para o financiamento junto ao BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

O aporte municipal investido nesta intervenção entra, portanto, conforme as tratativas, como parte da compensação ao empréstimo de US$ 25 milhões (R$ 94 milhões na cotação de ontem), a ser firmado com a instituição bancária. A travessia ficará próxima à estrutura que foi demolida no ano passado, logo no primeiro mês da administração tucana, depois da verificação de comprometimento irreversível. Na ocasião do solapamento, a gestão andreense considerou a obra inviável técnica e economicamente e decidiu que a área permaneceria interditada até que a cidade fosse contemplada pelo projeto do BID.

“A ponte não é exatamente no mesmo local (da outra, demolida), embora tenha modelo semelhante, amplitude idêntica, já aceita na oportunidade das negociações como contrapartida. Ficará um pouco mais para frente, perto da passarela. O distanciamento (desta intervenção) servirá justamente para encaixar o projeto do BID, que tem, inclusive, o alargamento da rotatória (em frente ao Viaduto Castelo Branco), duas alças em formato de X e alteamento da avenida”, pontuou o prefeito. O Paço terá de aplicar com recursos municipais a mesma quantia da operação de crédito com o banco a título de compensação.

O certame, publicado formalmente nos Atos Oficiais, foi aberto pelo Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André). O projeto desenvolvido dentro da autarquia abrange que a ponte seja na direção da Rua Bartolomeu de Gusmão, na região de Santa Terezinha, e seus acessos cruzem a Praça Samuel de Castro Neves. A passagem terá 26 metros de comprimento, sendo composta por três faixas de rolamento. Em uma das laterais haverá ainda uma passagem de pedestres.

A abertura dos envelopes tem data agendada para 23 de julho. A estimativa de Paulo Serra é que a contratação, após período de eventuais contestações e “dentro da normalidade”, seja homologada ainda em agosto, e com previsão de conclusão das obras entre cinco e seis meses. “Previsão de entrega é, no mais tardar, começo de 2019”. A vencedora da licitação também deverá realizar adaptações no viário do entorno, além da adequação do sistema de microdrenagem para o escoamento das águas de chuva.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Governo de Sto.André abre licitação para construir ponte

Travessia ficará próxima à antiga estrutura; custo é de R$ 4,8 mi e entra de contrapartida ao BID

Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

22/06/2018 | 07:00


O governo do prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), lançou ontem licitação, na modalidade concorrência internacional, para viabilizar construção de ponte na Avenida dos Estados – altura da unidade do Sesi (Serviço Social da Indústria), perto da travessia danificada –, na região do bairro Santa Terezinha. As obras sobre o Rio Tamanduateí envolvem custo total no valor de R$ 4,8 milhões, com a utilização de recursos próprios, que, segundo acordo formal, servirão de contrapartida para o financiamento junto ao BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

O aporte municipal investido nesta intervenção entra, portanto, conforme as tratativas, como parte da compensação ao empréstimo de US$ 25 milhões (R$ 94 milhões na cotação de ontem), a ser firmado com a instituição bancária. A travessia ficará próxima à estrutura que foi demolida no ano passado, logo no primeiro mês da administração tucana, depois da verificação de comprometimento irreversível. Na ocasião do solapamento, a gestão andreense considerou a obra inviável técnica e economicamente e decidiu que a área permaneceria interditada até que a cidade fosse contemplada pelo projeto do BID.

“A ponte não é exatamente no mesmo local (da outra, demolida), embora tenha modelo semelhante, amplitude idêntica, já aceita na oportunidade das negociações como contrapartida. Ficará um pouco mais para frente, perto da passarela. O distanciamento (desta intervenção) servirá justamente para encaixar o projeto do BID, que tem, inclusive, o alargamento da rotatória (em frente ao Viaduto Castelo Branco), duas alças em formato de X e alteamento da avenida”, pontuou o prefeito. O Paço terá de aplicar com recursos municipais a mesma quantia da operação de crédito com o banco a título de compensação.

O certame, publicado formalmente nos Atos Oficiais, foi aberto pelo Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André). O projeto desenvolvido dentro da autarquia abrange que a ponte seja na direção da Rua Bartolomeu de Gusmão, na região de Santa Terezinha, e seus acessos cruzem a Praça Samuel de Castro Neves. A passagem terá 26 metros de comprimento, sendo composta por três faixas de rolamento. Em uma das laterais haverá ainda uma passagem de pedestres.

A abertura dos envelopes tem data agendada para 23 de julho. A estimativa de Paulo Serra é que a contratação, após período de eventuais contestações e “dentro da normalidade”, seja homologada ainda em agosto, e com previsão de conclusão das obras entre cinco e seis meses. “Previsão de entrega é, no mais tardar, começo de 2019”. A vencedora da licitação também deverá realizar adaptações no viário do entorno, além da adequação do sistema de microdrenagem para o escoamento das águas de chuva.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;