Fechar
Publicidade

Sábado, 16 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Alemães fazem a festa em restaurante


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

14/06/2010 | 07:02


Torcedores da seleção alemã acompanharam o jogo no restaurante típico Franz, em São Caetano, e entre garfadas e goladas, comemoraram a goleada por 4 a 0.

Bisneto de alemã (que veio ao Brasil para fugir da guerra), o designer Guilherme Bauer Fonseca, 23 anos, aproveitou a proximidade com a hora do almoço para comer e assistir sua segunda seleção jogar, acompanhado da analista de RH Amanda Fernandes de Freitas, 23. "Quando o Brasil não está em campo, torço pela Alemanha. Está no sangue. É minha segunda pátria", comentou o torcedor, devidamente trajado com camisa referente ao país germânico.

Pelo que viu do jogo, Bauer fez comparações e tirou conclusões. "Está muito mais forte (Alemanha) do que a Argentina. Tem um time mais entrosado, então acredito que tem tudo para chegar à final. É uma grande candidata."

Já o filho de alemã Danilo Defelice (que carrega o sobrenome italiano, mas descende da família Arndt), exaltou a superação da equipe. "A seleção saiu desacreditada da Alemanha tanto pela imprensa quanto pela torcida e está surpreendendo", explicou.

"Torço primeiramente pelo Brasil, mas o coração fala mais alto. É emocionante ver a Alemanha jogar", emendou o descendente, que acredita que a seleção chega, no mínimo, entre as quatro primeiras. "Em 18 participações em Copas foram sete finais. Então merece respeito", completou Defelice.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alemães fazem a festa em restaurante

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

14/06/2010 | 07:02


Torcedores da seleção alemã acompanharam o jogo no restaurante típico Franz, em São Caetano, e entre garfadas e goladas, comemoraram a goleada por 4 a 0.

Bisneto de alemã (que veio ao Brasil para fugir da guerra), o designer Guilherme Bauer Fonseca, 23 anos, aproveitou a proximidade com a hora do almoço para comer e assistir sua segunda seleção jogar, acompanhado da analista de RH Amanda Fernandes de Freitas, 23. "Quando o Brasil não está em campo, torço pela Alemanha. Está no sangue. É minha segunda pátria", comentou o torcedor, devidamente trajado com camisa referente ao país germânico.

Pelo que viu do jogo, Bauer fez comparações e tirou conclusões. "Está muito mais forte (Alemanha) do que a Argentina. Tem um time mais entrosado, então acredito que tem tudo para chegar à final. É uma grande candidata."

Já o filho de alemã Danilo Defelice (que carrega o sobrenome italiano, mas descende da família Arndt), exaltou a superação da equipe. "A seleção saiu desacreditada da Alemanha tanto pela imprensa quanto pela torcida e está surpreendendo", explicou.

"Torço primeiramente pelo Brasil, mas o coração fala mais alto. É emocionante ver a Alemanha jogar", emendou o descendente, que acredita que a seleção chega, no mínimo, entre as quatro primeiras. "Em 18 participações em Copas foram sete finais. Então merece respeito", completou Defelice.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;