Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 19 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Violência e direitos humanos serão discutidos em seminário



22/06/2009 | 07:00


Como combater a violência sem violar os direitos humanos? Esse é o tema do VI Seminário Nacional de Psicologia e Direitos Humanos: nenhuma forma de violência vale a pena, aberto domingo e que encerra amanhã, em Brasília.

Três eixos norteiam as discussões: violências institucional e nos locais de isolamento, intolerância às diversidades culturais, sexuais e raciais e criminalização dos movimentos sociais. A conferência de abertura foi com o filósofo e sociólogo Edgar Morin, diretor emérito do CNRS (Centro Nacional de Investigação Científica da França).

Hoje, para falar de violência institucional e nos presídios, estarão entre os palestrantes a socióloga Julita Lemgruber, e a advogada Maria Amélia Teles, diretora da União de Mulheres de São Paulo, coordenadora do projeto Promotoras Legais Populares.

Amanhã, Gabriela Leite, socióloga, ex-prostituta, presidente da ONG DaVida e coordenadora da Daspu, grife criada com as prostitutas da região da Praça Tirandentes, no Rio de Janeiro, debaterá intolerância às diversidades culturais, sexuais e raciais.

O último debate será sobre criminalização dos direitos sociais, com a psicóloga Vera Vital Brasil, da equipe de assistência psicológica do Grupo Tortura Nunca Mais, entre outros.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Violência e direitos humanos serão discutidos em seminário


22/06/2009 | 07:00


Como combater a violência sem violar os direitos humanos? Esse é o tema do VI Seminário Nacional de Psicologia e Direitos Humanos: nenhuma forma de violência vale a pena, aberto domingo e que encerra amanhã, em Brasília.

Três eixos norteiam as discussões: violências institucional e nos locais de isolamento, intolerância às diversidades culturais, sexuais e raciais e criminalização dos movimentos sociais. A conferência de abertura foi com o filósofo e sociólogo Edgar Morin, diretor emérito do CNRS (Centro Nacional de Investigação Científica da França).

Hoje, para falar de violência institucional e nos presídios, estarão entre os palestrantes a socióloga Julita Lemgruber, e a advogada Maria Amélia Teles, diretora da União de Mulheres de São Paulo, coordenadora do projeto Promotoras Legais Populares.

Amanhã, Gabriela Leite, socióloga, ex-prostituta, presidente da ONG DaVida e coordenadora da Daspu, grife criada com as prostitutas da região da Praça Tirandentes, no Rio de Janeiro, debaterá intolerância às diversidades culturais, sexuais e raciais.

O último debate será sobre criminalização dos direitos sociais, com a psicóloga Vera Vital Brasil, da equipe de assistência psicológica do Grupo Tortura Nunca Mais, entre outros.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;