Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 20 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Tour com Reali não terá 100% dos vereadores


Elaine Granconato
Do Diário do Grande ABC

22/06/2009 | 07:00


O convite foi estendido para os 17 vereadores de Diadema. Porém, pelo menos dois não participam hoje do tour de ônibus que o prefeito Mário Reali (PT) fará nas obras em execução na cidade, com saída às 9h do Paço. Da base aliada, Talabi Fahel (PSC) tem consulta médica exatamente no mesmo horário (9h) e lamentou. "Infelizmente, não poderei participar". Já da oposição, Lauro Michel (PSDB) foi taxativo: "Eu não vou. Quero ver é obra feita."

O roteiro não foi informado pela Prefeitura, mas o líder de governo na Câmara, Laércio Soares (PCdoB), afirmou que a visita será nas obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), principal bandeira do governo Lula. "Existem dúvidas do que se iniciou ou não, além de algumas críticas, por isso o prefeito irá mostrar", ressaltou o vereador da situação.

Pelo menos no site oficial do PAC traz a informação que são 16 obras de saneamento em execução no município. E em urbanização um dos destaques é o PAC Naval, que consiste em um conjunto de quatro intervenções e recurso federal de R$ 25,5 milhões - R$ 5 milhões são contrapartida da Prefeitura. O canteiro da Favela Naval, que abrigará 132 unidades, foi recentemente retomado por nova construtora contratada.

Mesmo com o convite e o passeio inusitado entre Executivo e Legislativo, o vereador tucano não se entusiasmou. "O PAC já estava previsto para ser feito. Quero acompanhar e cobrar o programa de governo do prefeito", alfinetou. E Michels ainda questionou a visita pelo fato de ser exatamente nas obras do PAC. "É movimentação política para o governo federal ou benefício mesmo para a cidade."

Para o vereador Milton Capel (PV), da base aliada ao prefeito, não se trata de campanha camuflada em prol do governo federal. "A visita é uma oportunidade para alguns vereadores que não andam na cidade", disparou o verde, sem, no entanto, revelar os nomes dos parlamentares os quais se referiu.

Wagner Feitoza, o Vaguinho do Conselho (PSB), não garantiu presença por conta de agenda, mas também não perdeu a chance da piada. "Os vereadores oposicionistas terão de pagar a passagem", indagou, arrancando risos de outros parlamentares.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tour com Reali não terá 100% dos vereadores

Elaine Granconato
Do Diário do Grande ABC

22/06/2009 | 07:00


O convite foi estendido para os 17 vereadores de Diadema. Porém, pelo menos dois não participam hoje do tour de ônibus que o prefeito Mário Reali (PT) fará nas obras em execução na cidade, com saída às 9h do Paço. Da base aliada, Talabi Fahel (PSC) tem consulta médica exatamente no mesmo horário (9h) e lamentou. "Infelizmente, não poderei participar". Já da oposição, Lauro Michel (PSDB) foi taxativo: "Eu não vou. Quero ver é obra feita."

O roteiro não foi informado pela Prefeitura, mas o líder de governo na Câmara, Laércio Soares (PCdoB), afirmou que a visita será nas obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), principal bandeira do governo Lula. "Existem dúvidas do que se iniciou ou não, além de algumas críticas, por isso o prefeito irá mostrar", ressaltou o vereador da situação.

Pelo menos no site oficial do PAC traz a informação que são 16 obras de saneamento em execução no município. E em urbanização um dos destaques é o PAC Naval, que consiste em um conjunto de quatro intervenções e recurso federal de R$ 25,5 milhões - R$ 5 milhões são contrapartida da Prefeitura. O canteiro da Favela Naval, que abrigará 132 unidades, foi recentemente retomado por nova construtora contratada.

Mesmo com o convite e o passeio inusitado entre Executivo e Legislativo, o vereador tucano não se entusiasmou. "O PAC já estava previsto para ser feito. Quero acompanhar e cobrar o programa de governo do prefeito", alfinetou. E Michels ainda questionou a visita pelo fato de ser exatamente nas obras do PAC. "É movimentação política para o governo federal ou benefício mesmo para a cidade."

Para o vereador Milton Capel (PV), da base aliada ao prefeito, não se trata de campanha camuflada em prol do governo federal. "A visita é uma oportunidade para alguns vereadores que não andam na cidade", disparou o verde, sem, no entanto, revelar os nomes dos parlamentares os quais se referiu.

Wagner Feitoza, o Vaguinho do Conselho (PSB), não garantiu presença por conta de agenda, mas também não perdeu a chance da piada. "Os vereadores oposicionistas terão de pagar a passagem", indagou, arrancando risos de outros parlamentares.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;