Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

MP apreende mais papéis na Fundação

Ministério Público Estadual flagrou dez sacos de papel picado no departamento financeiro da Fundação


Bruno Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

08/05/2008 | 07:02


O Ministério Público Estadual flagrou no início da noite de ontem dez sacos de papel picado no departamento financeiro da Fundação Santo André. Os documentos eram do reitor Odair Bermelho, investigado por suspeita de peculato e falsificação de documentos e teriam sido destruídos durante a tarde. Segundo a Fundação os papéis eram particulares e referentes ao período em que o reitor era professor.

O Gaerco (Grupo de Atuação Especial Regional para Prevenção e Repressão ao Crime Organizado) obteve um mandado de busca e apreensão após a denúncia da destruição dos papéis. O oficial de Justiça que cumpriu o mandado, porém, não conseguiu identificar o conteúdo dos documentos, todos eles picotados em tiras.

O oficial apreendeu um dos sacos para análise, escolhido aleatoriamente no meio da pilha. Alguns papéis que não haviam sido destruídos também foram levados. Eles continham provas e trabalhos acadêmicos do período em que Bermelho era o coordenador do departamento de ciências sociais e comunicação.

A Fundação Santo André informou que os papéis picotados seriam provas escolares de alunos, trabalhos de conclusão de cursos e material usado por Bermelho para a defesa da tese dele de doutorado. Não haveria documentos da reitoria. Os papéis teriam sido destruídos em uma limpeza a pedido de uma das faxineiras do centro universitário, pois o material ocupava muito espaço e acumulava sujeira.

A promotoria, no entanto, informou que tal atitude seria, no mínimo, incoerente com a atual situação do reitor. A própria advogada da Fundação, Daniela Victor, afirmou que o momento para tal ação havia sido inoportuno.

INVESTIGAÇÃO
Sobre o dossiê que aponta adulteração de notas fiscais, o Gaerco informou que obteve respostas de algumas das empresas que emitiram as notas suspeitas para Bermelho. Segundo a promotoria, ainda não houve nenhuma informação que contradissesse as denúncias contra o reitor.

Os promotores continuam colhendo depoimentos de testemunhas e pretendem convocar o reitor para prestar esclarecimentos no fim da investigação - cuja estimativa de conclusão é de dois meses.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

MP apreende mais papéis na Fundação

Ministério Público Estadual flagrou dez sacos de papel picado no departamento financeiro da Fundação

Bruno Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

08/05/2008 | 07:02


O Ministério Público Estadual flagrou no início da noite de ontem dez sacos de papel picado no departamento financeiro da Fundação Santo André. Os documentos eram do reitor Odair Bermelho, investigado por suspeita de peculato e falsificação de documentos e teriam sido destruídos durante a tarde. Segundo a Fundação os papéis eram particulares e referentes ao período em que o reitor era professor.

O Gaerco (Grupo de Atuação Especial Regional para Prevenção e Repressão ao Crime Organizado) obteve um mandado de busca e apreensão após a denúncia da destruição dos papéis. O oficial de Justiça que cumpriu o mandado, porém, não conseguiu identificar o conteúdo dos documentos, todos eles picotados em tiras.

O oficial apreendeu um dos sacos para análise, escolhido aleatoriamente no meio da pilha. Alguns papéis que não haviam sido destruídos também foram levados. Eles continham provas e trabalhos acadêmicos do período em que Bermelho era o coordenador do departamento de ciências sociais e comunicação.

A Fundação Santo André informou que os papéis picotados seriam provas escolares de alunos, trabalhos de conclusão de cursos e material usado por Bermelho para a defesa da tese dele de doutorado. Não haveria documentos da reitoria. Os papéis teriam sido destruídos em uma limpeza a pedido de uma das faxineiras do centro universitário, pois o material ocupava muito espaço e acumulava sujeira.

A promotoria, no entanto, informou que tal atitude seria, no mínimo, incoerente com a atual situação do reitor. A própria advogada da Fundação, Daniela Victor, afirmou que o momento para tal ação havia sido inoportuno.

INVESTIGAÇÃO
Sobre o dossiê que aponta adulteração de notas fiscais, o Gaerco informou que obteve respostas de algumas das empresas que emitiram as notas suspeitas para Bermelho. Segundo a promotoria, ainda não houve nenhuma informação que contradissesse as denúncias contra o reitor.

Os promotores continuam colhendo depoimentos de testemunhas e pretendem convocar o reitor para prestar esclarecimentos no fim da investigação - cuja estimativa de conclusão é de dois meses.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;