Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Salles encampa ação
de Pinheirinho por CPI

Pedetista assinou manifesto no calçadão da Oliveira Lima por
abertura de uma nova comissão para passar Semasa a limpo


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

28/07/2012 | 07:41


Encampando manifestação do vereador Luiz Carlos Pinheiro, o Pinheirinho (DEM), o candidato ao Paço de Santo André pelo PDT, Raimundo Salles, apoiou oficialmente ontem a abertura de nova CPI do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André). Em caminhada pelo tradicional calçadão da Rua Coronel Oliveira Lima, o pedetista aderiu ao abaixo-assinado na barraca instalada pelo parlamentar que visa colher assinaturas para pressionar investigação sobre denúncias de corrupção na autarquia.

Salles considerou que o episódio, ainda sob investigação na Polícia Civil, ficou sem respostas a algumas indagações no Legislativo. A primeira CPI foi encerrada sem punições. Segundo o prefeiturável, as denúncias foram gravíssimas e faltou a busca do prefeito Aidan Ravin (PTB) por justiça. "Existe a indignação dos inocentes. Até hoje não sei se o Aidan está processando o (Antônio) Calixto Júnior", disse, em referência ao advogado que atuava no Semasa mesmo sem ser funcionário e afirmou à CPI que há uma quadrilha em Santo André - documento entregue à Polícia dizia que ele trabalhava no local a pedido do prefeito. "Se ele não reagiu processualmente, à altura, em relação a esse caso é porque temia alguma coisa."

Em três dias de captação de adeptos, o movimento denominado Operação Vassoura Neles - em alusão a campanha realizada pelo ex-presidente Jânio Quadros - colheu perto de 1.000 assinaturas. Pinheirinho assinalou que a ‘lamaceira' da autarquia necessita ser passada a limpo, o que não ocorreu na primeira apuração, que averiguou suposta venda de licenças ambientais. "A investigação tem de ser séria, ir a fundo, por isso foi mudado o objeto da apuração. Vários funcionários fizeram denúncias e não fariam se não houvesse verdade. Eu me sinto amarrado."

Por aderir a CPI, o DEM ameaça pedir mandato do vereador pelo argumento de infidelidade partidária. "Eles querem que eu retire minha assinatura, mas não vou retroceder." O presidente do DEM, Antônio Feijó, cobra mudança de postura do parlamentar e é acusado de participar do suposto esquema.

O requerimento de CPI já chegou a ser aprovado em sessão legislativa. Numa manobra, a oposição comandou a apreciação do projeto em momento em que não havia vereadores da sustentação no plenário. Em decorrência disso, o presidente da Câmara, José de Araújo (PMDB), condicionou a validade da sessão ao crivo do departamento jurídico da Casa, que, mesmo após quase dois meses, não deu parecer sobre o caso.

Aidan encarou o movimento como puramente eleitoreiro. Segundo o petebista, a apuração passou pela CPI e está nas mãos do Ministério Público, além da polícia, e até agora nada ficou materializado em provas. "É criar situação que não existe. Lamento, pois DEM está na nossa coligação. Só pergunto por que mexer novamente nisso? Parece ser coisa pequena."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Salles encampa ação
de Pinheirinho por CPI

Pedetista assinou manifesto no calçadão da Oliveira Lima por
abertura de uma nova comissão para passar Semasa a limpo

Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

28/07/2012 | 07:41


Encampando manifestação do vereador Luiz Carlos Pinheiro, o Pinheirinho (DEM), o candidato ao Paço de Santo André pelo PDT, Raimundo Salles, apoiou oficialmente ontem a abertura de nova CPI do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André). Em caminhada pelo tradicional calçadão da Rua Coronel Oliveira Lima, o pedetista aderiu ao abaixo-assinado na barraca instalada pelo parlamentar que visa colher assinaturas para pressionar investigação sobre denúncias de corrupção na autarquia.

Salles considerou que o episódio, ainda sob investigação na Polícia Civil, ficou sem respostas a algumas indagações no Legislativo. A primeira CPI foi encerrada sem punições. Segundo o prefeiturável, as denúncias foram gravíssimas e faltou a busca do prefeito Aidan Ravin (PTB) por justiça. "Existe a indignação dos inocentes. Até hoje não sei se o Aidan está processando o (Antônio) Calixto Júnior", disse, em referência ao advogado que atuava no Semasa mesmo sem ser funcionário e afirmou à CPI que há uma quadrilha em Santo André - documento entregue à Polícia dizia que ele trabalhava no local a pedido do prefeito. "Se ele não reagiu processualmente, à altura, em relação a esse caso é porque temia alguma coisa."

Em três dias de captação de adeptos, o movimento denominado Operação Vassoura Neles - em alusão a campanha realizada pelo ex-presidente Jânio Quadros - colheu perto de 1.000 assinaturas. Pinheirinho assinalou que a ‘lamaceira' da autarquia necessita ser passada a limpo, o que não ocorreu na primeira apuração, que averiguou suposta venda de licenças ambientais. "A investigação tem de ser séria, ir a fundo, por isso foi mudado o objeto da apuração. Vários funcionários fizeram denúncias e não fariam se não houvesse verdade. Eu me sinto amarrado."

Por aderir a CPI, o DEM ameaça pedir mandato do vereador pelo argumento de infidelidade partidária. "Eles querem que eu retire minha assinatura, mas não vou retroceder." O presidente do DEM, Antônio Feijó, cobra mudança de postura do parlamentar e é acusado de participar do suposto esquema.

O requerimento de CPI já chegou a ser aprovado em sessão legislativa. Numa manobra, a oposição comandou a apreciação do projeto em momento em que não havia vereadores da sustentação no plenário. Em decorrência disso, o presidente da Câmara, José de Araújo (PMDB), condicionou a validade da sessão ao crivo do departamento jurídico da Casa, que, mesmo após quase dois meses, não deu parecer sobre o caso.

Aidan encarou o movimento como puramente eleitoreiro. Segundo o petebista, a apuração passou pela CPI e está nas mãos do Ministério Público, além da polícia, e até agora nada ficou materializado em provas. "É criar situação que não existe. Lamento, pois DEM está na nossa coligação. Só pergunto por que mexer novamente nisso? Parece ser coisa pequena."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;