Fechar
Publicidade

Sábado, 24 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Donisete Braga lembra tragédia

Petista cobra respostas do vice de Vanessa Damo sobre explosão no Barão de Mauá


Mark Ribeiro
do Diário do Grande ABC

20/07/2012 | 07:00


Durante caminhada no Parque São Vicente, ontem, o deputado estadual e candidato a prefeito de Mauá pelo PT, Donisete Braga, cobrou que três agentes sejam responsabilizados pela explosão no Conjunto Residencial Barão de Mauá, em 2000, que deixou um operário morto. Segundo o petista, José Carlos Grecco, Leonel Damo e Alberto Pierro (respectivamente prefeito, vice e secretário de Saúde da gestão em que a obra foi liberada - 1993 a 1996) têm de dar respostas aos 7.000 moradores do condomínio sobre a maior tragédia do bairro.

Com o posicionamento, o petista atrela a deputada estadual Vanessa Damo (PMDB), tida como a sua principal adversária na eleição, ao episódio. Além de filha de Leonel, a peemedebista tem Pierro (PDT) como seu candidato a vice-prefeito.

Segundo Donisete, o então secretário tem de ser incluído na relação de responsáveis por não ter impedido a construção dos apartamentos em terreno contaminado por 44 substâncias tóxicas. O pedetista comandou a Saúde por 15 meses, até fevereiro de 1994, e já havia deixado o governo Grecco quando a obra começou, em 1996.

"O Pierro disse em outras ocasiões que possui uma dívida com a cidade e a que constatamos é esta: o maior crime ambiental da história do Estado", classificou o prefeiturável. Os moradores do condomínio movem ações por danos morais e materiais contra a Cofap (proprietária do terreno) e as construtoras Soma, Paulicoop e SQG, mas nada foi ressarcido.

Pierro rebateu o petista e se eximiu de responsabilidade. "Não tenho nada a ver com isso. Não assinei documento autorizando nada", garantiu. O pedetista criticou a tentativa de o adversário atrelar Vanessa ao caso. "A candidata é ela, que tem autonomia. Não é o Leonel nem o Grecco."

Na Assembleia, Vanessa Damo protocolou requerimento para a criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) sobre o Residencial Barão de Mauá. O pedido está na fila de espera. "Ela apresentou uma comissão que, se for viabilizada, será daqui dez anos. Foi mais um ato eleitoral do que propriamente para ajudar as pessoas do condomínio", criticou Donisete.

Durante a visita ao Parque São Vicente, o petista encontrou Wanessa Bomfim (PMDB), candidata a vereadora e aliada de Vanessa. No comitê da peemedebista, foi recebido com beijos e abraços.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Donisete Braga lembra tragédia

Petista cobra respostas do vice de Vanessa Damo sobre explosão no Barão de Mauá

Mark Ribeiro
do Diário do Grande ABC

20/07/2012 | 07:00


Durante caminhada no Parque São Vicente, ontem, o deputado estadual e candidato a prefeito de Mauá pelo PT, Donisete Braga, cobrou que três agentes sejam responsabilizados pela explosão no Conjunto Residencial Barão de Mauá, em 2000, que deixou um operário morto. Segundo o petista, José Carlos Grecco, Leonel Damo e Alberto Pierro (respectivamente prefeito, vice e secretário de Saúde da gestão em que a obra foi liberada - 1993 a 1996) têm de dar respostas aos 7.000 moradores do condomínio sobre a maior tragédia do bairro.

Com o posicionamento, o petista atrela a deputada estadual Vanessa Damo (PMDB), tida como a sua principal adversária na eleição, ao episódio. Além de filha de Leonel, a peemedebista tem Pierro (PDT) como seu candidato a vice-prefeito.

Segundo Donisete, o então secretário tem de ser incluído na relação de responsáveis por não ter impedido a construção dos apartamentos em terreno contaminado por 44 substâncias tóxicas. O pedetista comandou a Saúde por 15 meses, até fevereiro de 1994, e já havia deixado o governo Grecco quando a obra começou, em 1996.

"O Pierro disse em outras ocasiões que possui uma dívida com a cidade e a que constatamos é esta: o maior crime ambiental da história do Estado", classificou o prefeiturável. Os moradores do condomínio movem ações por danos morais e materiais contra a Cofap (proprietária do terreno) e as construtoras Soma, Paulicoop e SQG, mas nada foi ressarcido.

Pierro rebateu o petista e se eximiu de responsabilidade. "Não tenho nada a ver com isso. Não assinei documento autorizando nada", garantiu. O pedetista criticou a tentativa de o adversário atrelar Vanessa ao caso. "A candidata é ela, que tem autonomia. Não é o Leonel nem o Grecco."

Na Assembleia, Vanessa Damo protocolou requerimento para a criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) sobre o Residencial Barão de Mauá. O pedido está na fila de espera. "Ela apresentou uma comissão que, se for viabilizada, será daqui dez anos. Foi mais um ato eleitoral do que propriamente para ajudar as pessoas do condomínio", criticou Donisete.

Durante a visita ao Parque São Vicente, o petista encontrou Wanessa Bomfim (PMDB), candidata a vereadora e aliada de Vanessa. No comitê da peemedebista, foi recebido com beijos e abraços.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;