Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Alckmin garante Rodoanel pronto em três anos

Anel viário de 180 km ligará Grande ABC a oito rodovias


Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

20/07/2012 | 07:00


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), prometeu entregar até agosto de 2015 o Trecho Norte do Rodoanel, o último a ser finalizado. Com isso, o anel viário, com extensão de quase 180 quilômetros, ficará totalmente pronto para o tráfego. A via ligará o Grande ABC a oito rodovias que cortam a Região Metropolitana. O investimento em toda a obra é de aproximadamente R$ 17 bilhões.

A construção do Trecho Leste, que começou no ano passado, está prevista para ser concluída em março de 2014. Alckmin afirmou que a licitação para a asa Norte deve ser concluída entre setembro e outubro, quando serão iniciados os trabalhos. Ao contrário do segmento Leste, que está sendo construído pela concessionária SPMar, o tramo Norte será feito pelo Estado.

Em junho, o governador assinou contrato com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) para empréstimo de R$ 2 bilhões destinado à construção do trecho, que terá 44 quilômetros. "Aí fechamos os 180 quilômetros do Rodoanel, tirando o trânsito de passagem da Capital e melhorando a logística. Muitas empresas virão para as regiões, trazendo empregos e desenvolvimento", avalia o governador.

O tucano esteve ontem em canteiro de obras do Trecho Leste, em Suzano, para acompanhar o início da construção da segunda maior via elevada do Brasil, atrás apenas da Ponte Rio-Niterói. Para a construção das pistas suspensas, que somarão cerca de 12 quilômetros, será adotada tecnologia usada em obras marítimas.

Serão usados quatro equipamentos cantitravel, que permitem que as estacas sejam cravadas de forma aérea, sem necessidade de deslocamento de equipes pelo solo.

A estimativa é que a técnica reduza em 90% o impacto ambiental. "Quase não há, porque não mexe no solo, na várzea, bem como na micro e macro drenagem." Segundo o Estado, a tecnologia fará com que 22 mil toneladas de aço deixem de ser utilizadas, o que equivale a cerca de três torres Eiffel.

O diretor de engenharia da SPMar, José Alberto Bethônico, afirma que as obras do Trecho Leste estão dentro do planejamento previsto. "O cronograma previa que tínhamos de fazer 5% das obras no primeiro ano, que venceu em março." O diretor explica que cerca de 35% das áreas que terão de ser desapropriadas já tiveram a posse emitida. A concessionária prevê desapropriação de cerca de 600 áreas até o fim da obra. Bethônico informa que 60% do túnel Santa Luzia, em Ribeirão Pires, já foi escavado. Toda a pedra e terra removidas do local serão reaproveitadas na construção.

Pedágio urbano não tem data para chegar ao Grande ABC

Ainda não há previsão para a instalação do sistema Ponto-a-Ponto nas três rodovias concessionadas que cortam o Grande ABC, que permite a cobrança de pedágio conforme o trecho percorrido pelo usuário. Caso a tecnologia fosse instalada no Sistema Anchieta-Imigrantes, por exemplo, os motoristas que passassem pelos trechos urbanos das rodovias teriam de pagar tarifa, o que não acontece atualmente.

Segundo o governador Geraldo Alckmin (PSDB), ainda estão sendo feitos estudos para ampliação do sistema. Atualmente, três rodovias do Interior já têm o Ponto-a-Ponto. O tucano afirma que, no trecho entre Itatiba e Jundiaí, a tecnologia foi classificada como boa e ótima por 94% dos usuários. "Na Rodovia Santos Dumont, quem vai de Indaiatuba a Campinas pagava R$ 10,50 para ir e mais R$ 10,50 para voltar. Isso foi reduzido para R$ 4,20, praticamente 60% a menos."

Para que seja feita a cobrança eletrônica, são instalados chips no interior dos veículos. Ao longo da estrada, são espalhados pórticos com antenas, que captam a passagem e registram a cobrança. O sistema elimina a necessidade de barreiras e cabines de pedágio.

ÍNDIO TIBIRIÇÁ

A Secretaria de Transportes e Logística informou que, após a entrega do Trecho Leste do Rodoanel, irá estudar a necessidade de duplicação da Rodovia Índio Tibiriçá (SP-031), que liga São Bernardo a Suzano, passando por Santo André e Ribeirão Pires. A justificativa é que o anel viário pode diminuir a demanda da via. A estrada registrou aumento no número de mortes no primeiro semestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alckmin garante Rodoanel pronto em três anos

Anel viário de 180 km ligará Grande ABC a oito rodovias

Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

20/07/2012 | 07:00


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), prometeu entregar até agosto de 2015 o Trecho Norte do Rodoanel, o último a ser finalizado. Com isso, o anel viário, com extensão de quase 180 quilômetros, ficará totalmente pronto para o tráfego. A via ligará o Grande ABC a oito rodovias que cortam a Região Metropolitana. O investimento em toda a obra é de aproximadamente R$ 17 bilhões.

A construção do Trecho Leste, que começou no ano passado, está prevista para ser concluída em março de 2014. Alckmin afirmou que a licitação para a asa Norte deve ser concluída entre setembro e outubro, quando serão iniciados os trabalhos. Ao contrário do segmento Leste, que está sendo construído pela concessionária SPMar, o tramo Norte será feito pelo Estado.

Em junho, o governador assinou contrato com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) para empréstimo de R$ 2 bilhões destinado à construção do trecho, que terá 44 quilômetros. "Aí fechamos os 180 quilômetros do Rodoanel, tirando o trânsito de passagem da Capital e melhorando a logística. Muitas empresas virão para as regiões, trazendo empregos e desenvolvimento", avalia o governador.

O tucano esteve ontem em canteiro de obras do Trecho Leste, em Suzano, para acompanhar o início da construção da segunda maior via elevada do Brasil, atrás apenas da Ponte Rio-Niterói. Para a construção das pistas suspensas, que somarão cerca de 12 quilômetros, será adotada tecnologia usada em obras marítimas.

Serão usados quatro equipamentos cantitravel, que permitem que as estacas sejam cravadas de forma aérea, sem necessidade de deslocamento de equipes pelo solo.

A estimativa é que a técnica reduza em 90% o impacto ambiental. "Quase não há, porque não mexe no solo, na várzea, bem como na micro e macro drenagem." Segundo o Estado, a tecnologia fará com que 22 mil toneladas de aço deixem de ser utilizadas, o que equivale a cerca de três torres Eiffel.

O diretor de engenharia da SPMar, José Alberto Bethônico, afirma que as obras do Trecho Leste estão dentro do planejamento previsto. "O cronograma previa que tínhamos de fazer 5% das obras no primeiro ano, que venceu em março." O diretor explica que cerca de 35% das áreas que terão de ser desapropriadas já tiveram a posse emitida. A concessionária prevê desapropriação de cerca de 600 áreas até o fim da obra. Bethônico informa que 60% do túnel Santa Luzia, em Ribeirão Pires, já foi escavado. Toda a pedra e terra removidas do local serão reaproveitadas na construção.

Pedágio urbano não tem data para chegar ao Grande ABC

Ainda não há previsão para a instalação do sistema Ponto-a-Ponto nas três rodovias concessionadas que cortam o Grande ABC, que permite a cobrança de pedágio conforme o trecho percorrido pelo usuário. Caso a tecnologia fosse instalada no Sistema Anchieta-Imigrantes, por exemplo, os motoristas que passassem pelos trechos urbanos das rodovias teriam de pagar tarifa, o que não acontece atualmente.

Segundo o governador Geraldo Alckmin (PSDB), ainda estão sendo feitos estudos para ampliação do sistema. Atualmente, três rodovias do Interior já têm o Ponto-a-Ponto. O tucano afirma que, no trecho entre Itatiba e Jundiaí, a tecnologia foi classificada como boa e ótima por 94% dos usuários. "Na Rodovia Santos Dumont, quem vai de Indaiatuba a Campinas pagava R$ 10,50 para ir e mais R$ 10,50 para voltar. Isso foi reduzido para R$ 4,20, praticamente 60% a menos."

Para que seja feita a cobrança eletrônica, são instalados chips no interior dos veículos. Ao longo da estrada, são espalhados pórticos com antenas, que captam a passagem e registram a cobrança. O sistema elimina a necessidade de barreiras e cabines de pedágio.

ÍNDIO TIBIRIÇÁ

A Secretaria de Transportes e Logística informou que, após a entrega do Trecho Leste do Rodoanel, irá estudar a necessidade de duplicação da Rodovia Índio Tibiriçá (SP-031), que liga São Bernardo a Suzano, passando por Santo André e Ribeirão Pires. A justificativa é que o anel viário pode diminuir a demanda da via. A estrada registrou aumento no número de mortes no primeiro semestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;