Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ex-mulher de Romário defende irmão em depoimento na Polinter



02/09/2005 | 00:01


A apresentadora e ex-mulher do atacante Romário, Mônica Santoro, defendeu nesta quinta-feira, em depoimento na Polinter (Polícia Estadual do Rio) o irmão Marcelo. Ele é acusado de apresentar o sobrinho Romarinho ao chefe do tráfico na Rocinha, Erismar Rodrigues Moreira, o Bem-te-vi.

Mônica negou que tivesse conhecimento das visitas do filho e do irmão à favela. “Ficou comprovado que meu irmão não tem nenhuma ligação ilícita”, disse ela, que não quis dizer se sabia ou não do encontro do filho com o traficante. “Não quero expor meus filhos”, afirmou. Mônica confessou ter medo de que o episódio seja usado contra ela na batalha judicial que trava com Romário pela guarda dos dois filhos do casal.

“Quem tem filhos sempre tem medo”, disse, abatida, de óculos escuros e com a voz embargada. “Já dei declaração ao Juizado de Menores, foi tudo esclarecido. A pena maior foi a sentimental”, disse ela, que responde a inquérito do Ministério Público por abandono de menor.

A inspetora-chefe do Serviço de Inteligência da Polinter, Marina Maggessi, que tomou o depoimento de Mônica, disse que ela não sabia que Marcelo havia promovido o encontro entre o menino e o traficante: “Foi o depoimento de uma mãe, muito sincero.”

A inspetora disse acreditar na versão de Mônica, de que não sabia das visitas do filho à favela. E considerou natural que ela defendesse o irmão. Maggessi é a responsável pela investigação que descobriu que Marcelo levou Romarinho à favela da Rocinha diversas vezes, para encontrar Bem-te-vi, de quem é amigo.

Segundo mostraram conversas grampeadas pelos investigadores, o menino acabou se afeiçoando ao bandido, a ponto de considerá-lo um ídolo. Na semana passada, o juiz Marco José Couto, do Juizado da Infância e Juventude do Rio determinou o imediato afastamento de Marcelo dos filhos de Romário e Mônica, Romarinho e Moniquinha. A Romário cabe fiscalizar se houve mesmo o afastamento.  


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ex-mulher de Romário defende irmão em depoimento na Polinter


02/09/2005 | 00:01


A apresentadora e ex-mulher do atacante Romário, Mônica Santoro, defendeu nesta quinta-feira, em depoimento na Polinter (Polícia Estadual do Rio) o irmão Marcelo. Ele é acusado de apresentar o sobrinho Romarinho ao chefe do tráfico na Rocinha, Erismar Rodrigues Moreira, o Bem-te-vi.

Mônica negou que tivesse conhecimento das visitas do filho e do irmão à favela. “Ficou comprovado que meu irmão não tem nenhuma ligação ilícita”, disse ela, que não quis dizer se sabia ou não do encontro do filho com o traficante. “Não quero expor meus filhos”, afirmou. Mônica confessou ter medo de que o episódio seja usado contra ela na batalha judicial que trava com Romário pela guarda dos dois filhos do casal.

“Quem tem filhos sempre tem medo”, disse, abatida, de óculos escuros e com a voz embargada. “Já dei declaração ao Juizado de Menores, foi tudo esclarecido. A pena maior foi a sentimental”, disse ela, que responde a inquérito do Ministério Público por abandono de menor.

A inspetora-chefe do Serviço de Inteligência da Polinter, Marina Maggessi, que tomou o depoimento de Mônica, disse que ela não sabia que Marcelo havia promovido o encontro entre o menino e o traficante: “Foi o depoimento de uma mãe, muito sincero.”

A inspetora disse acreditar na versão de Mônica, de que não sabia das visitas do filho à favela. E considerou natural que ela defendesse o irmão. Maggessi é a responsável pela investigação que descobriu que Marcelo levou Romarinho à favela da Rocinha diversas vezes, para encontrar Bem-te-vi, de quem é amigo.

Segundo mostraram conversas grampeadas pelos investigadores, o menino acabou se afeiçoando ao bandido, a ponto de considerá-lo um ídolo. Na semana passada, o juiz Marco José Couto, do Juizado da Infância e Juventude do Rio determinou o imediato afastamento de Marcelo dos filhos de Romário e Mônica, Romarinho e Moniquinha. A Romário cabe fiscalizar se houve mesmo o afastamento.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;