Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

São Caetano tem boa manutenção na área de cultura


Nelson Albuquerque
Do Diário do Grande ABC

24/02/2001 | 16:04


A conformação da área cultural em São Caetano é, talvez, uma das mais diferentes na região. Dois órgãos já existentes e subsidiados pela Prefeitura movimentam a política cultural pública no município: a Fundarte (Fundação das Artes) e a Fundação Pró-Memória. Ambos respondem ao Depec (Departamento de Educação e Cultura), dirigido por Maria Helena Cadioli, mas quem comanda as fundações historicamente tem liberdade para gerenciar.

Com a reeleição de Luiz Tortorello, a historiadora e filósofa Sônia Maria Franco Xavier assume a Fundação Pró-Memória, após duas décadas à frente do Museu Histórico Municipal de São Caetano.

Já o maestro da Orquestra Filarmônica da cidade, Antonio Carlos Neves Pinto, continua na direção da Fundarte, cargo assumido em 1999. Sua história na entidade já dura 26 anos, dos quais dez como aluno e os outros 16 como funcionário.

No ano passado, os dois teatros do município (Paulo Machado de Carvalho e Santos Dumont) passaram a ser administrados pela Fundarte. Com isso, além de manter sua vocação de formadora de artistas (hoje com 1.875 alunos), passou também a cuidar de parte da agenda cultural da cidade.

Pró-Memória - Em dois anos, as ruas de São Caetano ganharão uma nova função: corredores de museu. É essa, pelo menos, a proposta de um projeto que a Fundação Pró-Memória está realizando em parceria com o MAE (Museu de Arqueologia e Etnologia) da USP (Universidade de São Paulo), para restaurar e sinalizar pontos artísticos e a arquitetura da cidade. À frente da entidade está, desde janeiro, a historiadora e filósofa Sônia Maria Franco Xavier.

Depois de quase 20 anos como titular do Museu Histórico Municipal de São Caetano, Sônia foi nomeada para dirigir a Pró-Memória, onde pretende criar grupos especializados em pesquisa e exposições, além de fortalecer a divulgação. Uma nova atribuição da entidade é a administração da Pinacoteca, que será inaugurada ainda este ano. Publicações, como a revista Raízes, continuam na pauta de atividades, além da realização de exposições.

O calendário de mostras está fechado até junho. Haverá eventos comemorativos aos 50 anos do Rotary de São Caetano (maio) e sobre a história do circo (abril), entre outros. Em junho, mês em que a Pró-Memória completa 10 anos de existência, acontecerá um evento lembrando a data e, também, a exposição Falando de Amor, que trará uma coleção de cartas de amor antigas.

Leia trechos da entrevista com Neves Pinto e Sônia Xavier



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

São Caetano tem boa manutenção na área de cultura

Nelson Albuquerque
Do Diário do Grande ABC

24/02/2001 | 16:04


A conformação da área cultural em São Caetano é, talvez, uma das mais diferentes na região. Dois órgãos já existentes e subsidiados pela Prefeitura movimentam a política cultural pública no município: a Fundarte (Fundação das Artes) e a Fundação Pró-Memória. Ambos respondem ao Depec (Departamento de Educação e Cultura), dirigido por Maria Helena Cadioli, mas quem comanda as fundações historicamente tem liberdade para gerenciar.

Com a reeleição de Luiz Tortorello, a historiadora e filósofa Sônia Maria Franco Xavier assume a Fundação Pró-Memória, após duas décadas à frente do Museu Histórico Municipal de São Caetano.

Já o maestro da Orquestra Filarmônica da cidade, Antonio Carlos Neves Pinto, continua na direção da Fundarte, cargo assumido em 1999. Sua história na entidade já dura 26 anos, dos quais dez como aluno e os outros 16 como funcionário.

No ano passado, os dois teatros do município (Paulo Machado de Carvalho e Santos Dumont) passaram a ser administrados pela Fundarte. Com isso, além de manter sua vocação de formadora de artistas (hoje com 1.875 alunos), passou também a cuidar de parte da agenda cultural da cidade.

Pró-Memória - Em dois anos, as ruas de São Caetano ganharão uma nova função: corredores de museu. É essa, pelo menos, a proposta de um projeto que a Fundação Pró-Memória está realizando em parceria com o MAE (Museu de Arqueologia e Etnologia) da USP (Universidade de São Paulo), para restaurar e sinalizar pontos artísticos e a arquitetura da cidade. À frente da entidade está, desde janeiro, a historiadora e filósofa Sônia Maria Franco Xavier.

Depois de quase 20 anos como titular do Museu Histórico Municipal de São Caetano, Sônia foi nomeada para dirigir a Pró-Memória, onde pretende criar grupos especializados em pesquisa e exposições, além de fortalecer a divulgação. Uma nova atribuição da entidade é a administração da Pinacoteca, que será inaugurada ainda este ano. Publicações, como a revista Raízes, continuam na pauta de atividades, além da realização de exposições.

O calendário de mostras está fechado até junho. Haverá eventos comemorativos aos 50 anos do Rotary de São Caetano (maio) e sobre a história do circo (abril), entre outros. Em junho, mês em que a Pró-Memória completa 10 anos de existência, acontecerá um evento lembrando a data e, também, a exposição Falando de Amor, que trará uma coleção de cartas de amor antigas.

Leia trechos da entrevista com Neves Pinto e Sônia Xavier

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;