Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 14 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Explosão mata borracheiro em Mauá


Renata Gonçalez
Do Diário do Grande ABC

22/05/2005 | 09:50


A explosão de um compressor de ar usado na calibragem de pneus causou a morte do borracheiro José Valentim de Medeiros, 55 anos, sexta à noite, na rua São Sebastião, Jardim Oratório, em Mauá. A vítima era dona do estabelecimento e estava sozinha na hora do acidente. A explosão ocorreu por volta das 19h, horário em que José Valentim tinha por hábito fechar a borracharia, de acordo com familiares.

Vizinhos da vítima comunicaram a polícia e o filho mais velho de Madeiros, que mora nas imediações da borracharia. André Segal de Medeiros, 26 anos, que era sócio do pai, correu ao local do acidente, mas encontrou o corpo de José Valentim já sem vida. “A explosão lançou meu pai para o teto e depois ao chão. A pancada deve ter sido muito forte, porque havia ferimentos graves por todo o corpo”, disse.

André afirmou que o pai havia aberto a borracharia no Jardim Oratório há quatro anos, e que “trabalhava de domingo a domingo”. Antes, José Valentim atuou como vigilante. O mesmo compressor de ar era utilizado pela vítima desde a abertura do estabelecimento. O filho do borracheiro disse desconhecer a existência de qualquer defeito no equipamento que explodiu.

A ocorrência foi registrada pela equipe plantonista do 1º Distrito Policial de Mauá, que vai investigar a hipótese de homicídio culposo. Para tanto, equipe de peritos do IC (Instituto de Criminalística) será enviada à borracharia nesta segunda para avaliar as condições de uso do compressor de ar, e se o mesmo passava periodicamente por manutenção. Caso constate algum tipo de defeito de fabricação ou falha da mantenedora do equipamento, a empresa pode ser indiciada pela morte do borracheiro.

José Valentim de Medeiros era separado, tinha um casal de filhos e duas netas. O corpo do borracheiro foi enterrado sábado à tarde, no Cemitério Santa Lídia, em Mauá.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Explosão mata borracheiro em Mauá

Renata Gonçalez
Do Diário do Grande ABC

22/05/2005 | 09:50


A explosão de um compressor de ar usado na calibragem de pneus causou a morte do borracheiro José Valentim de Medeiros, 55 anos, sexta à noite, na rua São Sebastião, Jardim Oratório, em Mauá. A vítima era dona do estabelecimento e estava sozinha na hora do acidente. A explosão ocorreu por volta das 19h, horário em que José Valentim tinha por hábito fechar a borracharia, de acordo com familiares.

Vizinhos da vítima comunicaram a polícia e o filho mais velho de Madeiros, que mora nas imediações da borracharia. André Segal de Medeiros, 26 anos, que era sócio do pai, correu ao local do acidente, mas encontrou o corpo de José Valentim já sem vida. “A explosão lançou meu pai para o teto e depois ao chão. A pancada deve ter sido muito forte, porque havia ferimentos graves por todo o corpo”, disse.

André afirmou que o pai havia aberto a borracharia no Jardim Oratório há quatro anos, e que “trabalhava de domingo a domingo”. Antes, José Valentim atuou como vigilante. O mesmo compressor de ar era utilizado pela vítima desde a abertura do estabelecimento. O filho do borracheiro disse desconhecer a existência de qualquer defeito no equipamento que explodiu.

A ocorrência foi registrada pela equipe plantonista do 1º Distrito Policial de Mauá, que vai investigar a hipótese de homicídio culposo. Para tanto, equipe de peritos do IC (Instituto de Criminalística) será enviada à borracharia nesta segunda para avaliar as condições de uso do compressor de ar, e se o mesmo passava periodicamente por manutenção. Caso constate algum tipo de defeito de fabricação ou falha da mantenedora do equipamento, a empresa pode ser indiciada pela morte do borracheiro.

José Valentim de Medeiros era separado, tinha um casal de filhos e duas netas. O corpo do borracheiro foi enterrado sábado à tarde, no Cemitério Santa Lídia, em Mauá.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;