Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Branca de Neve presa entre ação e drama


Luís Felipe Soares
Do Diário do Grande ABC

01/06/2012 | 07:00


Os contos de fadas fizeram parte da infância de muitas gerações. Hoje, essas histórias da literatura continuam a figurar o imaginário de crianças e jovens, mas com apelo completamente diferente. Se antes os pequenos romances eram caracterizados por enredos leves e com morais apresentadas em seu fim, as atuais versões parecem querer agitar esse universo.
Uma das fábulas mais tradicionais serve de inspiração para o longa-metragem "Branca de Neve e o Caçador". A delicada princesa aprendeu a enfrentar sua madrasta e arrumou seguidores bons de briga em adaptação com clima sombrio.

O diretor Rupert Sanders leva o público a um reino próspero que está mais feliz com o nascimento da princesa Branca de Neve (Kristen Stewart, a Bela da saga "Crepúsculo"). Mas a situação começa a piorar quando a rainha morre, o rei se casa com Ravenna (papel de Charlize Theron), estranha mulher que se revela uma perigosa feiticeira.
 
No início da vida adulta, a princesa consegue escapar da torre onde está aprisionada e foge para a misteriosa Floresta Negra. A rainha teme perder a garota que pode fazer com que seja jovem para sempre e contrata um caçador (Chris Hemsworth, conhecido por viver o super-herói Thor no cinema) para encontrá-la de qualquer maneira.
Como nas telas qualquer coisa é possível, talvez as principais comparações da produção não sejam quanto ao conto original, mas sim em relação ao recente filme "Espelho, Espelho Meu", de Tarsem Singh. Os filmes irão aproveitar da inevitável rivalidade a ser criada para chamarem a atenção. Apesar de partirem do mesmo ponto, buscam públicos distintos e contam com abordagens bem diferentes. A estética é ponto fundamental dos títulos, com Singh brincando com as cores a todo o momento e Sanders trabalhando com uma perspectiva mais dark.   É justamente ao montar esse universo mais tenso que o cineasta busca flertar com a ação vista em obras como a trilogia "O Senhor dos Anéis". A opção por trazer batalhas um tanto quanto épicas para o pequeno reino será capaz de agradar ao público masculino que sempre esboça sorriso ao ver grupos de cavaleiros se enfrentando em meio a chuva de flechas e bolas de fogo arremessadas. Detalhe para os momentos cômicos protagonizados pelo grupo de anões que se escondem na floresta.

O fato de um caçador ajudar a protagonista vem bem a calhar não somente na trama. Apesar de dividir a responsabilidade das atuações com outros astros, Kristen Stewart simplesmente não consegue demonstrar emoção. Enquanto a antagonista de Charlize Theron grita e faz ‘carões', Branca de Neve chora, suspira e mantém a esperança de reerguer o povoado local com a mesma expressão. É notável que a personagem passa por dramas complicados, porém a atriz ainda parece fria demais. Se suas atuações irão melhorar, apenas um espelho mágico pode revelar.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Branca de Neve presa entre ação e drama

Luís Felipe Soares
Do Diário do Grande ABC

01/06/2012 | 07:00


Os contos de fadas fizeram parte da infância de muitas gerações. Hoje, essas histórias da literatura continuam a figurar o imaginário de crianças e jovens, mas com apelo completamente diferente. Se antes os pequenos romances eram caracterizados por enredos leves e com morais apresentadas em seu fim, as atuais versões parecem querer agitar esse universo.
Uma das fábulas mais tradicionais serve de inspiração para o longa-metragem "Branca de Neve e o Caçador". A delicada princesa aprendeu a enfrentar sua madrasta e arrumou seguidores bons de briga em adaptação com clima sombrio.

O diretor Rupert Sanders leva o público a um reino próspero que está mais feliz com o nascimento da princesa Branca de Neve (Kristen Stewart, a Bela da saga "Crepúsculo"). Mas a situação começa a piorar quando a rainha morre, o rei se casa com Ravenna (papel de Charlize Theron), estranha mulher que se revela uma perigosa feiticeira.
 
No início da vida adulta, a princesa consegue escapar da torre onde está aprisionada e foge para a misteriosa Floresta Negra. A rainha teme perder a garota que pode fazer com que seja jovem para sempre e contrata um caçador (Chris Hemsworth, conhecido por viver o super-herói Thor no cinema) para encontrá-la de qualquer maneira.
Como nas telas qualquer coisa é possível, talvez as principais comparações da produção não sejam quanto ao conto original, mas sim em relação ao recente filme "Espelho, Espelho Meu", de Tarsem Singh. Os filmes irão aproveitar da inevitável rivalidade a ser criada para chamarem a atenção. Apesar de partirem do mesmo ponto, buscam públicos distintos e contam com abordagens bem diferentes. A estética é ponto fundamental dos títulos, com Singh brincando com as cores a todo o momento e Sanders trabalhando com uma perspectiva mais dark.   É justamente ao montar esse universo mais tenso que o cineasta busca flertar com a ação vista em obras como a trilogia "O Senhor dos Anéis". A opção por trazer batalhas um tanto quanto épicas para o pequeno reino será capaz de agradar ao público masculino que sempre esboça sorriso ao ver grupos de cavaleiros se enfrentando em meio a chuva de flechas e bolas de fogo arremessadas. Detalhe para os momentos cômicos protagonizados pelo grupo de anões que se escondem na floresta.

O fato de um caçador ajudar a protagonista vem bem a calhar não somente na trama. Apesar de dividir a responsabilidade das atuações com outros astros, Kristen Stewart simplesmente não consegue demonstrar emoção. Enquanto a antagonista de Charlize Theron grita e faz ‘carões', Branca de Neve chora, suspira e mantém a esperança de reerguer o povoado local com a mesma expressão. É notável que a personagem passa por dramas complicados, porém a atriz ainda parece fria demais. Se suas atuações irão melhorar, apenas um espelho mágico pode revelar.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;