Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 14 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Pequenas da região vendem 4,5% mais

Orlando Filho/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

09/12/2010 | 07:16


As vendas das micro e pequenas empresas do Grande ABC deram uma reanimada em outubro. Em relação a setembro, as receitas cresceram 4,5%, o equivalente a R$ 56,9 milhões. Porém, quando o desempenho é comparado com o mesmo mês no ano passado, há expressiva queda de 13,8%, diferença de R$ 213,1 milhões.

Ambos os resultados destoam dos obtidos como média em todo o Estado de São Paulo. O faturamento das MPEs (Micro e Pequenas Empresas) paulistas em outubro obteve elevação de 0,2% ante setembro - resultado bastante inferior ao registrado na região.

Em relação ao mesmo mês em 2009, por sua vez, o desempenho das vendas do Estado foi bem melhor do que o do Grande ABC, com aumento de 1,5%.

Segundo o consultor do Sebrae-SP Pedro João Gonçalves, as duas variações foram diferentes da média estadual devido ao perfil predominante das companhia da região. "Na comparação mensal, o Grande ABC foi favorecido em outubro pela concentração setorial da indústria e de serviços ligados a empresas, caso dos transportes, bastante solicitados para abastecer o comércio", explica.

Já em relação a outubro do ano passado, Gonçalves explica que no último trimestre de 2009 a recuperação estava vigorosa, o que deixou uma base forte de comparação.

Para se ter ideia, em outubro do ano passado frente a outubro de 2008, período da crise, quando a base de comparação estava depreciada, houve alta de 11,2%. No Estado, a elevação foi de 4,6%.

ACUMULADO - No acumulado do ano, o faturamento das MPEs do Grande ABC ainda mantem elevação de 2,3% em relação ao mesmo período do ano passado. As vendas do Estado de São Paulo, entretanto, de janeiro a outubro, cresceram 9%. Não é a toa que a expectativa de crescimento das receitas das MPEs paulistas é de 8% ante 2009.

Não há perspectiva em percentuais para o Grande ABC. No ano passado, houve recuo de 2,8% em relação a 2008. O Estado diminuiu 5,5% no mesmo período. "O movimento deve prosseguir positivo até o fim do ano", diz Gonçalves, referindo-se à comparação mensal.

PESQUISA - Dos 2.716 donos de MPEs entrevistados, em um universo de 1,3 milhão de empresas formais no Estado de São Paulo, 62% acreditam que a receita aumente ou se mantenha nos próximos seis meses e 37% não fazem ideia do que irá acontecer.

Quanto à economia brasileira, a parcela de empresários que acredita em aumento no nível de atividade da economia nos próximos seis meses é de 32%, sendo que 29% acreditam que se manterá no nível de atividade atual e 37% não têm expectativa sobre o nível de atividade.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pequenas da região vendem 4,5% mais

Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

09/12/2010 | 07:16


As vendas das micro e pequenas empresas do Grande ABC deram uma reanimada em outubro. Em relação a setembro, as receitas cresceram 4,5%, o equivalente a R$ 56,9 milhões. Porém, quando o desempenho é comparado com o mesmo mês no ano passado, há expressiva queda de 13,8%, diferença de R$ 213,1 milhões.

Ambos os resultados destoam dos obtidos como média em todo o Estado de São Paulo. O faturamento das MPEs (Micro e Pequenas Empresas) paulistas em outubro obteve elevação de 0,2% ante setembro - resultado bastante inferior ao registrado na região.

Em relação ao mesmo mês em 2009, por sua vez, o desempenho das vendas do Estado foi bem melhor do que o do Grande ABC, com aumento de 1,5%.

Segundo o consultor do Sebrae-SP Pedro João Gonçalves, as duas variações foram diferentes da média estadual devido ao perfil predominante das companhia da região. "Na comparação mensal, o Grande ABC foi favorecido em outubro pela concentração setorial da indústria e de serviços ligados a empresas, caso dos transportes, bastante solicitados para abastecer o comércio", explica.

Já em relação a outubro do ano passado, Gonçalves explica que no último trimestre de 2009 a recuperação estava vigorosa, o que deixou uma base forte de comparação.

Para se ter ideia, em outubro do ano passado frente a outubro de 2008, período da crise, quando a base de comparação estava depreciada, houve alta de 11,2%. No Estado, a elevação foi de 4,6%.

ACUMULADO - No acumulado do ano, o faturamento das MPEs do Grande ABC ainda mantem elevação de 2,3% em relação ao mesmo período do ano passado. As vendas do Estado de São Paulo, entretanto, de janeiro a outubro, cresceram 9%. Não é a toa que a expectativa de crescimento das receitas das MPEs paulistas é de 8% ante 2009.

Não há perspectiva em percentuais para o Grande ABC. No ano passado, houve recuo de 2,8% em relação a 2008. O Estado diminuiu 5,5% no mesmo período. "O movimento deve prosseguir positivo até o fim do ano", diz Gonçalves, referindo-se à comparação mensal.

PESQUISA - Dos 2.716 donos de MPEs entrevistados, em um universo de 1,3 milhão de empresas formais no Estado de São Paulo, 62% acreditam que a receita aumente ou se mantenha nos próximos seis meses e 37% não fazem ideia do que irá acontecer.

Quanto à economia brasileira, a parcela de empresários que acredita em aumento no nível de atividade da economia nos próximos seis meses é de 32%, sendo que 29% acreditam que se manterá no nível de atividade atual e 37% não têm expectativa sobre o nível de atividade.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;