Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

França quer relatório sobre lavagem de dinheiro em Mônaco


Do Diário do Grande ABC

22/06/2000 | 13:05


O ministro francês das Finanças, Laurent Fabius, anunciou nesta quinta-feira ter pedido um relatório sobre Mônaco, após a publicaçao, nesta quarta-feira, de um documento parlamentar acusando o principado de ser um lugar propício para a lavagem de ``dinheiro sujo''.

``Mônaco é um dos territórios mais hipócritas na luta contra a lavagem de capitais'', resumiu nesta quarta-feira, em Paris, o deputado relator de uma comissao investigadora francesa, Arnaud de Montebourg.

Mônaco é ``um lugar propício para a lavagem de capitais'', indica o informe parlamentar apresentado por Montebourg, que pediu ao governo francês que revise seus acordos com este principado mediterrâneo, a fim de salvaguardar a credibilidade da França em seu combate contra a delinqüência financeira internacional.

No relatório, se explica que a implicaçao de Paris no funcionamento das estruturas de decisao monegascas ``contribui para desacreditar'' sua vontade política de lutar contra a lavagem de ``dinheiro sujo''.

Por sua vez, o governo monesgasco anunciou nesta quinta-feira ter tomado nota da existência do informe parlamentar francês e informou que fará os comentários ``necessários'' depois de ter tomado conhecimento do documento, segundo comunicado do Centro de Imprensa do principado.

O governo de Mônaco ``nao deixará de comunicar as observaçoes e comentários que pareçam necessários'' depois de ter tomado conhecimento do informe parlamentar francês, indica o comunicado.

``Esta questao será evocada dentro das relaçoes de cooperaçao entre o governo monegasco e as autoridades da República Francesa'', conclui o documento do Centro de Imprensa de Mônaco.

O deputado socialista havia informado que o mecanismo de sociedade ``off-shore'' empregado pelos ``criminosos'' financeiros ``nao só é tolerado como também é organizado'' em Mônaco.

No principado nao há controles bancários rigorosos, a legislaçao garante o anonimato das transaçoes, o Cassino nao tem qualquer controle e a cooperaçao administrativa e judicial internacional é ``desfalecente'', disse.

O informe parlamentar ataca também diretamente o Cassino de Montecarlo, do qual é acionista o príncipe Rainier, afirmando que esse estabelecimento funciona à margem de qualquer sistema de normas e dentro de uma estratégia de ``cortina de fumaça judicial'' que favorece a lavagem.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

França quer relatório sobre lavagem de dinheiro em Mônaco

Do Diário do Grande ABC

22/06/2000 | 13:05


O ministro francês das Finanças, Laurent Fabius, anunciou nesta quinta-feira ter pedido um relatório sobre Mônaco, após a publicaçao, nesta quarta-feira, de um documento parlamentar acusando o principado de ser um lugar propício para a lavagem de ``dinheiro sujo''.

``Mônaco é um dos territórios mais hipócritas na luta contra a lavagem de capitais'', resumiu nesta quarta-feira, em Paris, o deputado relator de uma comissao investigadora francesa, Arnaud de Montebourg.

Mônaco é ``um lugar propício para a lavagem de capitais'', indica o informe parlamentar apresentado por Montebourg, que pediu ao governo francês que revise seus acordos com este principado mediterrâneo, a fim de salvaguardar a credibilidade da França em seu combate contra a delinqüência financeira internacional.

No relatório, se explica que a implicaçao de Paris no funcionamento das estruturas de decisao monegascas ``contribui para desacreditar'' sua vontade política de lutar contra a lavagem de ``dinheiro sujo''.

Por sua vez, o governo monesgasco anunciou nesta quinta-feira ter tomado nota da existência do informe parlamentar francês e informou que fará os comentários ``necessários'' depois de ter tomado conhecimento do documento, segundo comunicado do Centro de Imprensa do principado.

O governo de Mônaco ``nao deixará de comunicar as observaçoes e comentários que pareçam necessários'' depois de ter tomado conhecimento do informe parlamentar francês, indica o comunicado.

``Esta questao será evocada dentro das relaçoes de cooperaçao entre o governo monegasco e as autoridades da República Francesa'', conclui o documento do Centro de Imprensa de Mônaco.

O deputado socialista havia informado que o mecanismo de sociedade ``off-shore'' empregado pelos ``criminosos'' financeiros ``nao só é tolerado como também é organizado'' em Mônaco.

No principado nao há controles bancários rigorosos, a legislaçao garante o anonimato das transaçoes, o Cassino nao tem qualquer controle e a cooperaçao administrativa e judicial internacional é ``desfalecente'', disse.

O informe parlamentar ataca também diretamente o Cassino de Montecarlo, do qual é acionista o príncipe Rainier, afirmando que esse estabelecimento funciona à margem de qualquer sistema de normas e dentro de uma estratégia de ``cortina de fumaça judicial'' que favorece a lavagem.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;