Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 12 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Empresa cujo navio poluiu Guanabara recebe multa de R$ 250 mil


Da Agência Brasil

08/06/2005 | 12:22


A Ceca (Comissão estadual de Controle Ambiental) multou na terça-feira em R$ 250 mil a Transhipping Agenciamento Marítimo, empresa responsável pelo navio Alminufiyah, de bandeira egípcia, pelo vazamento de óleo no final de maio que poluiu mais de quatro quilômetros da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

A Procuradoria Geral do Rio entrou no dia 1º com uma ação civil na Vara de Fazenda Pública contra a empresa pedindo a recomposição integral dos danos causados ao meio ambiente e indenização pelos prejuízos provocados ao ecossistema.

De acordo com o procurador-geral Francesco Conte, a ação tinha o caráter punitivo, por meio de pedido de indenização, cunho pedagógico, para que outras empresas evitem acidentes como esse e de ressarcimento com as despesas da Feema (Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente), em razão do vazamento.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Empresa cujo navio poluiu Guanabara recebe multa de R$ 250 mil

Da Agência Brasil

08/06/2005 | 12:22


A Ceca (Comissão estadual de Controle Ambiental) multou na terça-feira em R$ 250 mil a Transhipping Agenciamento Marítimo, empresa responsável pelo navio Alminufiyah, de bandeira egípcia, pelo vazamento de óleo no final de maio que poluiu mais de quatro quilômetros da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

A Procuradoria Geral do Rio entrou no dia 1º com uma ação civil na Vara de Fazenda Pública contra a empresa pedindo a recomposição integral dos danos causados ao meio ambiente e indenização pelos prejuízos provocados ao ecossistema.

De acordo com o procurador-geral Francesco Conte, a ação tinha o caráter punitivo, por meio de pedido de indenização, cunho pedagógico, para que outras empresas evitem acidentes como esse e de ressarcimento com as despesas da Feema (Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente), em razão do vazamento.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;