Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Saddam se prepara para a guerra


Da AFP

30/01/2003 | 15:12


O presidente iraquiano, Saddam Hussein, se prepara para a guerra e promete combater até o fim o seu inimigo, enquanto Washington tenta empurrá-lo para o exílio.

"Nossa determinação (de combater) é sólida, ainda que tenhamos que recorrer a pistolas e fuzis para combater o inimigo e vencê-lo", disse o líder iraquiano quarta-feira ao passar em revista seus oficiais superiores nos dispositivos instalados para rechaçar um eventual ataque americano.

"Se (o inimigo) persiste em querer nos agredir, quebraremos seu pescoço", disse aos presentes, entre os quais se achava seu filho caçula, Qussai, que dirige as unidades de elite do governo, e o ministro da defesa, Sultão Hachem Ahmad.

Hussein - que é igualmente o chefe supremo das forças armadas iraquianas - afirmou em seguida na televisão estatal que suas forças armadas estão tomando as disposições necessárias para rechaçar um eventual ataque "com linhas defensivas múltiplas (...) e um máximo de equipamentos".

Seus oficiais lhe asseguraram que estavam trabalhando "dia e noite para reforçar os preparativos destinados a enfrentar o agressor americano, em colaboração com as formações (militares) do partido Baath" (no poder).

Saddam Hussein, no entanto, mostrou ainda ter esperanças de que se possa evitar uma guerra com os Estados Unidos.

"Nosso desejo é que não haja um conflito militar em grande escala entre nós e os Estados Unidos e seus aliados, e rogamos a Deus que o dissuada", assinalou.

"Digo isto na televisão sabendo que os americanos nos estão ouvindo. Faço-lhes esta advertência para que não tenham a ilusão de que o Iraque será uma presa fácil. Poderão nos danificar, mas imaginam os danos que eles próprios sofrerão?", indagou.

O presidente iraquiano multiplicou desde o início de janeiro as reuniões com os chefes militares, no momento em que os Estados Unidos continuam reunindo tropas na região com vistas a um eventual ataque contra o governo de Bagdá, acusado de possuir armas proibidas de destruição em massa.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Saddam se prepara para a guerra

Da AFP

30/01/2003 | 15:12


O presidente iraquiano, Saddam Hussein, se prepara para a guerra e promete combater até o fim o seu inimigo, enquanto Washington tenta empurrá-lo para o exílio.

"Nossa determinação (de combater) é sólida, ainda que tenhamos que recorrer a pistolas e fuzis para combater o inimigo e vencê-lo", disse o líder iraquiano quarta-feira ao passar em revista seus oficiais superiores nos dispositivos instalados para rechaçar um eventual ataque americano.

"Se (o inimigo) persiste em querer nos agredir, quebraremos seu pescoço", disse aos presentes, entre os quais se achava seu filho caçula, Qussai, que dirige as unidades de elite do governo, e o ministro da defesa, Sultão Hachem Ahmad.

Hussein - que é igualmente o chefe supremo das forças armadas iraquianas - afirmou em seguida na televisão estatal que suas forças armadas estão tomando as disposições necessárias para rechaçar um eventual ataque "com linhas defensivas múltiplas (...) e um máximo de equipamentos".

Seus oficiais lhe asseguraram que estavam trabalhando "dia e noite para reforçar os preparativos destinados a enfrentar o agressor americano, em colaboração com as formações (militares) do partido Baath" (no poder).

Saddam Hussein, no entanto, mostrou ainda ter esperanças de que se possa evitar uma guerra com os Estados Unidos.

"Nosso desejo é que não haja um conflito militar em grande escala entre nós e os Estados Unidos e seus aliados, e rogamos a Deus que o dissuada", assinalou.

"Digo isto na televisão sabendo que os americanos nos estão ouvindo. Faço-lhes esta advertência para que não tenham a ilusão de que o Iraque será uma presa fácil. Poderão nos danificar, mas imaginam os danos que eles próprios sofrerão?", indagou.

O presidente iraquiano multiplicou desde o início de janeiro as reuniões com os chefes militares, no momento em que os Estados Unidos continuam reunindo tropas na região com vistas a um eventual ataque contra o governo de Bagdá, acusado de possuir armas proibidas de destruição em massa.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;