Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Games e desenhos animados podem causar epilepsia


Do Diário do Grande ABC

22/02/2000 | 12:09


Os jogos de videogame e os desenhos animados podem desencadear crises de epilepsia em crianças cujo cérebro é incapaz de controlar a resposta a estímulos de flashes luminosos ou a imagens tremidas, com contrastes em preto e branco, afirmam cientistas italianos.

Os trabalhos da equipe do médico Vittorio Porciatti, da Universidade de Pisa, estao sendo publicados pela revista especializada Nature Neuroscience, em sua ediçao de março.

As pesquisas começaram depois que uma série de crises epiléticas afetaram, em 1997, 685 crianças japonesas que assistiram a um episódio do desenho animado ``Pokémon''. Uma das cenas emitiu uma seqüência de flashes luminosos.

Entre 0,5% e 0,8% das crianças de 4 a 14 anos sao afetadas por uma forma de epilepsia chamada ``epilepsia fotossensível'', decorrente da sensibilidade aos estímulos luminosos intermitentes. O problema surge a partir da incapacidade do cérebro de interpretar cenas com grandes variaçoes de contrastes luminosos.

Os cientistas registraram a atividade eletrônica do cérebro de 23 jovens, 11 dos quais sofrem desta forma de epilepsia. Nos indivíduos normais, a atividade cerebral aumenta quando o contraste (branco-preto) alcança 20%, e logo volta a cair. Já nos indivíduos que têm predisposiçao à doença, o cérebro continua num ritmo frenético quando é exposto a estímulos maiores.

Esta resposta anormal aos estímulos visuais intermitentes se produz com freqüências relativamente baixas (4-10 hertz) e somente com contrastes branco-preto, e nao com cores.

A descoberta poderá ajudar fabricantes e criadores de videogames ou desenhos animados a evitar situaçoes capazes de desencadear tais crises epiléticas, acrescentaram os cientistas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Games e desenhos animados podem causar epilepsia

Do Diário do Grande ABC

22/02/2000 | 12:09


Os jogos de videogame e os desenhos animados podem desencadear crises de epilepsia em crianças cujo cérebro é incapaz de controlar a resposta a estímulos de flashes luminosos ou a imagens tremidas, com contrastes em preto e branco, afirmam cientistas italianos.

Os trabalhos da equipe do médico Vittorio Porciatti, da Universidade de Pisa, estao sendo publicados pela revista especializada Nature Neuroscience, em sua ediçao de março.

As pesquisas começaram depois que uma série de crises epiléticas afetaram, em 1997, 685 crianças japonesas que assistiram a um episódio do desenho animado ``Pokémon''. Uma das cenas emitiu uma seqüência de flashes luminosos.

Entre 0,5% e 0,8% das crianças de 4 a 14 anos sao afetadas por uma forma de epilepsia chamada ``epilepsia fotossensível'', decorrente da sensibilidade aos estímulos luminosos intermitentes. O problema surge a partir da incapacidade do cérebro de interpretar cenas com grandes variaçoes de contrastes luminosos.

Os cientistas registraram a atividade eletrônica do cérebro de 23 jovens, 11 dos quais sofrem desta forma de epilepsia. Nos indivíduos normais, a atividade cerebral aumenta quando o contraste (branco-preto) alcança 20%, e logo volta a cair. Já nos indivíduos que têm predisposiçao à doença, o cérebro continua num ritmo frenético quando é exposto a estímulos maiores.

Esta resposta anormal aos estímulos visuais intermitentes se produz com freqüências relativamente baixas (4-10 hertz) e somente com contrastes branco-preto, e nao com cores.

A descoberta poderá ajudar fabricantes e criadores de videogames ou desenhos animados a evitar situaçoes capazes de desencadear tais crises epiléticas, acrescentaram os cientistas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;