Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ministério da Saúde distribui 22 mi de camisinhas no carnaval


Das Agências

24/02/2001 | 15:15


Está tudo pronto para a distribuição de 22 milhões de camisinhas durante o carnaval. A iniciativa partiu do Ministério da Saúde, que lançou uma campanha nacional de prevenção à AIDS no carnaval. A idéia do governo é proteger os foliões do vírus HIV e de doenças sexualmente transmissíveis.

As Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde e algumas organizações não-governamentais já estão com o material. Este ano, o Ministério da Saúde vai distribuir mais que o dobro de camisinhas distribuídas no ano passado.

O objetivo é atingir o maior número possível de pessoas. Para isso, o Ministério lançou campanhas no rádio e na TV: um anjinho e um diabinho são os principais personagens da campanha.

Além dos comerciais, o ministério vai distribuir cartazes e camisetas. Todo trabalho é para lembrar os brasileiros da necessidade de se protegerem contra a AIDS durante o carnaval.

A preocupação do Ministério da Saúde tem fundamento. Dados da Coordenação DST/AIDS do Ministério confirmam mais de 190 mil casos da doença registrados no país. Desse total, 95 mil pessoas já morreram por causa do vírus HIV.

Apesar dos números negativos, o governo também tem boas notícias. Uma pesquisa encomendada pelo governo sobre o comportamento sexual do brasileiro mostra que boa parte da população sexualmente ativa está consciente da necessidade de usar preservativos. A pesquisa comprova que o preservativo é adotado por cerca de 54% das pessoas solteiras. Mas entre os casados, o uso da camisinha cai para cerca de 13%. O número aumenta entre os homens que mantêm relações eventuais: 63% deles usam camisinha. Entre os jovens de 16 a 25 anos, a taxa de uso é de 44%.

Entre as mulheres casadas, a camisinha é adotada por 22% delas. Entre as mulheres solteiras, 69% exigem que seus parceiros usem a camisinha.

Além da camisinha masculina, as mulheres também podem fazer uso do preservativo feminino. A recomendação é dos técnicos do Ministério da Saúde. Eles lembram ainda que a camisinha feminina pode ser comprada nas farmácias. É mais uma arma na prevenção da doença, que tem crescido entre as mulheres.

Os técnicos do Ministério lembram ainda que o uso de preservativos evita a contaminação por pelos menos dez tipos de doenças transmitidas por meio de relações sexuais. Eles lembram que as campanhas são realizadas justamente para conscientizar a população sobre os riscos da Aids e das doenças sexualmente transmissíveis.

Informações da Agência Brasil.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ministério da Saúde distribui 22 mi de camisinhas no carnaval

Das Agências

24/02/2001 | 15:15


Está tudo pronto para a distribuição de 22 milhões de camisinhas durante o carnaval. A iniciativa partiu do Ministério da Saúde, que lançou uma campanha nacional de prevenção à AIDS no carnaval. A idéia do governo é proteger os foliões do vírus HIV e de doenças sexualmente transmissíveis.

As Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde e algumas organizações não-governamentais já estão com o material. Este ano, o Ministério da Saúde vai distribuir mais que o dobro de camisinhas distribuídas no ano passado.

O objetivo é atingir o maior número possível de pessoas. Para isso, o Ministério lançou campanhas no rádio e na TV: um anjinho e um diabinho são os principais personagens da campanha.

Além dos comerciais, o ministério vai distribuir cartazes e camisetas. Todo trabalho é para lembrar os brasileiros da necessidade de se protegerem contra a AIDS durante o carnaval.

A preocupação do Ministério da Saúde tem fundamento. Dados da Coordenação DST/AIDS do Ministério confirmam mais de 190 mil casos da doença registrados no país. Desse total, 95 mil pessoas já morreram por causa do vírus HIV.

Apesar dos números negativos, o governo também tem boas notícias. Uma pesquisa encomendada pelo governo sobre o comportamento sexual do brasileiro mostra que boa parte da população sexualmente ativa está consciente da necessidade de usar preservativos. A pesquisa comprova que o preservativo é adotado por cerca de 54% das pessoas solteiras. Mas entre os casados, o uso da camisinha cai para cerca de 13%. O número aumenta entre os homens que mantêm relações eventuais: 63% deles usam camisinha. Entre os jovens de 16 a 25 anos, a taxa de uso é de 44%.

Entre as mulheres casadas, a camisinha é adotada por 22% delas. Entre as mulheres solteiras, 69% exigem que seus parceiros usem a camisinha.

Além da camisinha masculina, as mulheres também podem fazer uso do preservativo feminino. A recomendação é dos técnicos do Ministério da Saúde. Eles lembram ainda que a camisinha feminina pode ser comprada nas farmácias. É mais uma arma na prevenção da doença, que tem crescido entre as mulheres.

Os técnicos do Ministério lembram ainda que o uso de preservativos evita a contaminação por pelos menos dez tipos de doenças transmitidas por meio de relações sexuais. Eles lembram que as campanhas são realizadas justamente para conscientizar a população sobre os riscos da Aids e das doenças sexualmente transmissíveis.

Informações da Agência Brasil.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;