Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Caixa vai reduzir juros de crédito pessoal


Do Diário do Grande ABC

22/06/2000 | 13:03


Na esteira da decisao do Comitê de Política Monetária (Copom) de reduzir os juros básicos da economia de 18,5% ao ano para 17,5%, a Caixa Econômica Federal (CEF) deve anunciar na segunda-feira a diminuiçao das taxas de algumas de suas operaçoes de crédito. "Vamos reduzir os juros de algumas linhas ", disse o diretor de Finanças e Controladoria da CEF, Valdery Albuquerque.

O diretor antecipou que a reduçao será nas operaçoes de crédito pessoal e de algumas linhas específicas de cheque especial. "Nao fechamos ainda a nova taxa a ser aplicada no crédito pessoal, vamos decidir isto na segunda-feira", disse Valdery. Os juros nas operaçoes de crédito pessoal parcelado sao de 4,90% ao mês, lembrou, taxa que considera "bastante competitiva".

Os juros do cheque especial da Caixa garantidos com recursos aplicados em caderneta de poupança, de acordo com O diretor, cairao de 3% para 2% ao mês. "Levando em conta que a Selic hoje está em 1,3% ao mês, esta é uma taxa bastante competitiva", comentou. As taxas do cheque especial concedido pela CEF aos empregados de empresas conveniadas dentro do programa Caixa-Trabalhador serao reduzidas de 6,5% para 6% ao mês. Nestes dois casos, a reduçao só entrará em vigor em 1º de julho.

A CEF ainda nao decidiu se diminuirá os juros do cheque especial concedido em geral aos seus clientes. "Nao temos nenhuma decisao sobre isto ainda", disse Valdery. Ele nao esconde a preferência da Caixa em trabalhar com crédito pessoal em vez do cheque especial. "As operaçoes de crédito pessoal sao mais estruturadas e previsíveis, enquanto os empréstimos com cheque especial sao muito episódicos", argumentou.

A reduçao dos juros foi motivada tanto pela decisao do Copom de diminuir os juros básicos da economia como pela queda do compulsório sobre os depósitos à vista de 55% para 45% anunciada pelo Banco Central recentemente. "Levamos em conta este dois fatores", disse o diretor da Caixa. Com a diminuiçao do compulsório, a CEF conseguiu reaver cerca de R$ 340 milhoes que estavam depositados no BC.

BB - O superintendente executivo da área comercial do Banco do Brasil (BB), Edson Monteiro, disse que a instituiçao também deverá reduzir os juros de suas operaçoes de crédito para pessoa jurídica e física nos próximos dias. "A tendência é que haja um ajuste fino das taxas em funçao da decisao do Copom", afirmou Monteiro. O raciocínio de Monteiro é de que a queda dos juros básicos aumente a percepçao de que a atividade econômica se elevará no futuro provocando um possível aumento de demanda. "Para responder a isso, as empresas precisarao de mais crédito para expandir a produçao e aumentar seus estoques", disse.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Caixa vai reduzir juros de crédito pessoal

Do Diário do Grande ABC

22/06/2000 | 13:03


Na esteira da decisao do Comitê de Política Monetária (Copom) de reduzir os juros básicos da economia de 18,5% ao ano para 17,5%, a Caixa Econômica Federal (CEF) deve anunciar na segunda-feira a diminuiçao das taxas de algumas de suas operaçoes de crédito. "Vamos reduzir os juros de algumas linhas ", disse o diretor de Finanças e Controladoria da CEF, Valdery Albuquerque.

O diretor antecipou que a reduçao será nas operaçoes de crédito pessoal e de algumas linhas específicas de cheque especial. "Nao fechamos ainda a nova taxa a ser aplicada no crédito pessoal, vamos decidir isto na segunda-feira", disse Valdery. Os juros nas operaçoes de crédito pessoal parcelado sao de 4,90% ao mês, lembrou, taxa que considera "bastante competitiva".

Os juros do cheque especial da Caixa garantidos com recursos aplicados em caderneta de poupança, de acordo com O diretor, cairao de 3% para 2% ao mês. "Levando em conta que a Selic hoje está em 1,3% ao mês, esta é uma taxa bastante competitiva", comentou. As taxas do cheque especial concedido pela CEF aos empregados de empresas conveniadas dentro do programa Caixa-Trabalhador serao reduzidas de 6,5% para 6% ao mês. Nestes dois casos, a reduçao só entrará em vigor em 1º de julho.

A CEF ainda nao decidiu se diminuirá os juros do cheque especial concedido em geral aos seus clientes. "Nao temos nenhuma decisao sobre isto ainda", disse Valdery. Ele nao esconde a preferência da Caixa em trabalhar com crédito pessoal em vez do cheque especial. "As operaçoes de crédito pessoal sao mais estruturadas e previsíveis, enquanto os empréstimos com cheque especial sao muito episódicos", argumentou.

A reduçao dos juros foi motivada tanto pela decisao do Copom de diminuir os juros básicos da economia como pela queda do compulsório sobre os depósitos à vista de 55% para 45% anunciada pelo Banco Central recentemente. "Levamos em conta este dois fatores", disse o diretor da Caixa. Com a diminuiçao do compulsório, a CEF conseguiu reaver cerca de R$ 340 milhoes que estavam depositados no BC.

BB - O superintendente executivo da área comercial do Banco do Brasil (BB), Edson Monteiro, disse que a instituiçao também deverá reduzir os juros de suas operaçoes de crédito para pessoa jurídica e física nos próximos dias. "A tendência é que haja um ajuste fino das taxas em funçao da decisao do Copom", afirmou Monteiro. O raciocínio de Monteiro é de que a queda dos juros básicos aumente a percepçao de que a atividade econômica se elevará no futuro provocando um possível aumento de demanda. "Para responder a isso, as empresas precisarao de mais crédito para expandir a produçao e aumentar seus estoques", disse.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;