Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Gilson fecha com Reali e Adelson com José Augusto


Leandro Baldini
Da Sucursal de Diadema

07/12/2007 | 08:32


A disputa pela Prefeitura de Diadema no próximo ano deverá ser polarizada entre o PT e o PSDB. Depois de algumas frentes ensaiarem novas formações para o embate com as maiores forças políticas da cidade, informações extra-oficiais garantem que ambas as legendas já realizaram os acordos de adesão nos bastidores, que marcam uma nova disputa.

Em relação aos tucanos, que mais uma vez terão como candidato ao Executivo o deputado estadual José Augusto da Silva Ramos, a aliança foi fechada com o PSB (leia reportagem nesta página).

No PT, a informação veiculada dentro do próprio partido, já dá como certa a nomeação do ex-prefeito Gilson Menezes (PSC) como vice na chapa que será encabeçada pelo também deputado estadual Mário Reali.

Ventila-se entre importantes nomes petistas que Gilson tem mantido encontros freqüentes com o prefeito José de Filippi Júnior, Reali e demais integrantes do alto escalão, que só não tornam oficial o fato, porque existe uma resistência grande à aliança entre os militantes petistas.

Outra informação dá ainda outra versão: haveria um acordo financeiro, cuja proposta, de R$ 500 mil, teria sido feita a Menezes para ser firmada a aliança.

Respostas - Procurado pelo Diário, o candidato petista à Prefeitura não foi encontrado para comentar o assunto.

Já Gilson Menezes, que foi um dos principais apoiadores do PT no segundo turno da última eleição, confirma ter se encontrado com Filippi e Reali. “Foram encontros casuais, onde não ocorreram articulações políticas. Sou candidato a prefeito pelo PSC, mas estou aberto a propostas, que até o momento não foram feitas”, comenta o ex-prefeito, garantindo que qualquer oficialização terá de passar pela aprovação de seu atual partido.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Gilson fecha com Reali e Adelson com José Augusto

Leandro Baldini
Da Sucursal de Diadema

07/12/2007 | 08:32


A disputa pela Prefeitura de Diadema no próximo ano deverá ser polarizada entre o PT e o PSDB. Depois de algumas frentes ensaiarem novas formações para o embate com as maiores forças políticas da cidade, informações extra-oficiais garantem que ambas as legendas já realizaram os acordos de adesão nos bastidores, que marcam uma nova disputa.

Em relação aos tucanos, que mais uma vez terão como candidato ao Executivo o deputado estadual José Augusto da Silva Ramos, a aliança foi fechada com o PSB (leia reportagem nesta página).

No PT, a informação veiculada dentro do próprio partido, já dá como certa a nomeação do ex-prefeito Gilson Menezes (PSC) como vice na chapa que será encabeçada pelo também deputado estadual Mário Reali.

Ventila-se entre importantes nomes petistas que Gilson tem mantido encontros freqüentes com o prefeito José de Filippi Júnior, Reali e demais integrantes do alto escalão, que só não tornam oficial o fato, porque existe uma resistência grande à aliança entre os militantes petistas.

Outra informação dá ainda outra versão: haveria um acordo financeiro, cuja proposta, de R$ 500 mil, teria sido feita a Menezes para ser firmada a aliança.

Respostas - Procurado pelo Diário, o candidato petista à Prefeitura não foi encontrado para comentar o assunto.

Já Gilson Menezes, que foi um dos principais apoiadores do PT no segundo turno da última eleição, confirma ter se encontrado com Filippi e Reali. “Foram encontros casuais, onde não ocorreram articulações políticas. Sou candidato a prefeito pelo PSC, mas estou aberto a propostas, que até o momento não foram feitas”, comenta o ex-prefeito, garantindo que qualquer oficialização terá de passar pela aprovação de seu atual partido.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;