Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 15 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Site de 'carecas' convoca para luta contra nordestinos


Do Diário OnLine

22/02/2000 | 05:36


A prisao de 18 integrantes dos Carecas do ABC, acusados de espancar até a morte o adestrador de caes Edson Neri, no dia 6 de fevereiro, nao intimidou os skinheads. Um grupo que se identifica como Orgulho Paulista mantém um site em que defende e convoca, abertamente, à "luta contra os inimigos de nosso Estado", os migrantes nordestinos "que vêm para o Sul apenas para explorar, e nao para ajudar a construir". Apesar de afirmar que nao sao a favor "da prática de atos de violência contra os migrantes", os skinheads convocam simpatizantes: "Sao Paulo é nossa terra e por ela temos que unirmos (sic) e lutar!".

Os skinheads fazem uma convocaçao à violência ao lembrar a Revoluçao Constitucionalista, em que Sao Paulo se revoltou contra os demais Estados Brasileiros. "Em 1932, a Naçao Paulista despertou e pegou nas armas para defender nossa hegemonia. Por que nao tomar como exemplo nossos antepassados? Qual Paulista nato nunca ouviu falar da Revoluçao Constitucionalista de 32?", prega o site. Ao lado, um cartaz inspirado na época, com soldados perfilados empunhando as bandeiras de Sao Paulo e do Brasil, com a inscriçao: 'Eles estao a sua espera. Para completar o batalhao, aliste-se".

Em uma mostra de que se trata de um grupo organizado, o Orgulho Paulista disponibiliza material de divulgaçao, como banners, a bandeira de Sao Paulo com o nome da facçao, um pôster que pode ser printado e um folheto para distribuiçao intitulado 'Despertar do Povo Paulista', com os dizeres: 'nao permita que continuem destruindo seu Estado, seu povo e sua cultura. Diga nao à migraçao'.

Trabalho semelhante foi feito no ano passado pelo estudante da USP André Schmid Guerra, que foi preso ao defender uma triagem no Terminal Rodoviário do Tietê. "André foi preso acusado de racismo e preconceito contra o migrante nordestino. Isto é correto? Até que ponto teremos que ser 'compreensivos' com os inimigos de nosso Estado enquanto destroem nossa história e nossa raízes?", questionam os skinheads.

Virtuais - Em seu site, o Orgulho Paulista se diz uma comunidade virtual. "Em breve, pretendemos criar uma sede real, para poder reunir os camaradas e discutir idéias", diz um certo A. Ramirez, autor da seçao Perguntas e Respostas do site. De acordo com ele, "os que se dizem à favor da democracia e membros de partidos esquerdistas estao contra nosso trabalho e tentam de tudo para poder nos calar de dizer (sic) a verdade e despertar nosso povo para lutar pelo que é seu".

O mesmo A. Ramirez assina o texto 'O skinhead e seu dever', ilustrado pela imagem de um homem pregado à uma cruz. "Os skinheads têm o dever de alertar a populaçao e alarmar sobre os atos dos nossos inimigos", diz o autor. "As penitenciárias de Sao Paulo estao lotadas e a grande maioria sao nordestinos. Como podemos levar a sério um povo que tem como seu ídolo um bandido estuprador que foi Lampiao? Um povo que admite que o Sul sustenta eles pois eles querem 'viver' a vida? Nesse momento só resta unir nossas forças e LUTAR pelo que é nosso: nosso Estado, nossa Regiao, nosso Povo e nossa Naçao!", prossegue, em um português repleto de erros.

Sobram também farpas à imprensa, "podre repreensiva, que vem sujando nossa imagem a cada dia". E, atentos às implicaçoes legais de se manter um site do gênero no país, os skinheads avisam: "aos intolerantes: este site é mantido nos Estados Unidos, longe de qualquer juiz intolerante brasileiro".

Links - O Orgulho Paulista nao está sozinho na Internet. O site integra a United Skins Webring, uma comunidade virtual que lista centenas de páginas de neonazistas - que mantêm até seçoes para crianças. Traz links diretos também à página do Manifesto do Eixo Sul Livre, que prega a separaçao de Sao Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul do Brasil, sob a bandeira do 'poder branco'.

Também há um atalho para o site brasileiro Fhreihet, que se diz 'revisionista' e contra neonazistas, carecas, skinheads e afins, mas que prega a soberania branca.

Carecas - Os skinheads nao sao da mesma facçao dos Carecas do ABC. Apesar de terem como fonte de inspiraçao o movimento surgido nos anos 60 na Inglaterra, os dois grupos têm divergências ideológicas. Enquanto os Carecas do ABC permitem o ingresso de nordestinos e negros em suas fileiras, os skinheads adotam a idéia da força branca (White Power), abertamente racista. A violência é partilhada pelas duas gangues, os Carecas do ABC contra homossexuais e os skinheads, contra negros e judeus. No entanto, ambos sao conhecidos como 'carecas' no Brasil.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Site de 'carecas' convoca para luta contra nordestinos

Do Diário OnLine

22/02/2000 | 05:36


A prisao de 18 integrantes dos Carecas do ABC, acusados de espancar até a morte o adestrador de caes Edson Neri, no dia 6 de fevereiro, nao intimidou os skinheads. Um grupo que se identifica como Orgulho Paulista mantém um site em que defende e convoca, abertamente, à "luta contra os inimigos de nosso Estado", os migrantes nordestinos "que vêm para o Sul apenas para explorar, e nao para ajudar a construir". Apesar de afirmar que nao sao a favor "da prática de atos de violência contra os migrantes", os skinheads convocam simpatizantes: "Sao Paulo é nossa terra e por ela temos que unirmos (sic) e lutar!".

Os skinheads fazem uma convocaçao à violência ao lembrar a Revoluçao Constitucionalista, em que Sao Paulo se revoltou contra os demais Estados Brasileiros. "Em 1932, a Naçao Paulista despertou e pegou nas armas para defender nossa hegemonia. Por que nao tomar como exemplo nossos antepassados? Qual Paulista nato nunca ouviu falar da Revoluçao Constitucionalista de 32?", prega o site. Ao lado, um cartaz inspirado na época, com soldados perfilados empunhando as bandeiras de Sao Paulo e do Brasil, com a inscriçao: 'Eles estao a sua espera. Para completar o batalhao, aliste-se".

Em uma mostra de que se trata de um grupo organizado, o Orgulho Paulista disponibiliza material de divulgaçao, como banners, a bandeira de Sao Paulo com o nome da facçao, um pôster que pode ser printado e um folheto para distribuiçao intitulado 'Despertar do Povo Paulista', com os dizeres: 'nao permita que continuem destruindo seu Estado, seu povo e sua cultura. Diga nao à migraçao'.

Trabalho semelhante foi feito no ano passado pelo estudante da USP André Schmid Guerra, que foi preso ao defender uma triagem no Terminal Rodoviário do Tietê. "André foi preso acusado de racismo e preconceito contra o migrante nordestino. Isto é correto? Até que ponto teremos que ser 'compreensivos' com os inimigos de nosso Estado enquanto destroem nossa história e nossa raízes?", questionam os skinheads.

Virtuais - Em seu site, o Orgulho Paulista se diz uma comunidade virtual. "Em breve, pretendemos criar uma sede real, para poder reunir os camaradas e discutir idéias", diz um certo A. Ramirez, autor da seçao Perguntas e Respostas do site. De acordo com ele, "os que se dizem à favor da democracia e membros de partidos esquerdistas estao contra nosso trabalho e tentam de tudo para poder nos calar de dizer (sic) a verdade e despertar nosso povo para lutar pelo que é seu".

O mesmo A. Ramirez assina o texto 'O skinhead e seu dever', ilustrado pela imagem de um homem pregado à uma cruz. "Os skinheads têm o dever de alertar a populaçao e alarmar sobre os atos dos nossos inimigos", diz o autor. "As penitenciárias de Sao Paulo estao lotadas e a grande maioria sao nordestinos. Como podemos levar a sério um povo que tem como seu ídolo um bandido estuprador que foi Lampiao? Um povo que admite que o Sul sustenta eles pois eles querem 'viver' a vida? Nesse momento só resta unir nossas forças e LUTAR pelo que é nosso: nosso Estado, nossa Regiao, nosso Povo e nossa Naçao!", prossegue, em um português repleto de erros.

Sobram também farpas à imprensa, "podre repreensiva, que vem sujando nossa imagem a cada dia". E, atentos às implicaçoes legais de se manter um site do gênero no país, os skinheads avisam: "aos intolerantes: este site é mantido nos Estados Unidos, longe de qualquer juiz intolerante brasileiro".

Links - O Orgulho Paulista nao está sozinho na Internet. O site integra a United Skins Webring, uma comunidade virtual que lista centenas de páginas de neonazistas - que mantêm até seçoes para crianças. Traz links diretos também à página do Manifesto do Eixo Sul Livre, que prega a separaçao de Sao Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul do Brasil, sob a bandeira do 'poder branco'.

Também há um atalho para o site brasileiro Fhreihet, que se diz 'revisionista' e contra neonazistas, carecas, skinheads e afins, mas que prega a soberania branca.

Carecas - Os skinheads nao sao da mesma facçao dos Carecas do ABC. Apesar de terem como fonte de inspiraçao o movimento surgido nos anos 60 na Inglaterra, os dois grupos têm divergências ideológicas. Enquanto os Carecas do ABC permitem o ingresso de nordestinos e negros em suas fileiras, os skinheads adotam a idéia da força branca (White Power), abertamente racista. A violência é partilhada pelas duas gangues, os Carecas do ABC contra homossexuais e os skinheads, contra negros e judeus. No entanto, ambos sao conhecidos como 'carecas' no Brasil.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;