Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Polêmica apimenta dérbi em Itaquera

Além da vaga na decisão do Paulista, Corinthians e Palmeiras colocam números à prova


Vinícius Ramalho
Especial para o Diário

19/04/2015 | 07:00


Corinthians e Palmeiras escrevem hoje, às 16h, na Arena, em Itaquera, mais um capítulo da história de um dos maiores clássicos do futebol brasileiro. A rivalidade entre os clubes é conhecida por todos, mas durante a semana discussão sobre o retrospecto no dérbi apimentou ainda mais o jogo, que decide vaga na final do Paulista.

A polêmica, que agitou as discussões dos torcedores, começou porque os clubes divergem em relação aos números. Para o time do Parque São Jorge, foram 345 dérbis, com 120 vitórias a seu favor, 121 para o Verdão e 104 empates. Desta forma, uma vitória hoje faria o Timão igualar o clássico.

Para o Verdão, são 11 jogos a mais: 356 duelos no total, com 125 triunfos alviverdes, 123 do arquirrival e 108 empates.

Além dos números, o confronto da primeira fase não sai da cabeça dos torcedores. Naquele duelo, o Timão venceu por 1 a 0, em falha do zagueiro Vitor Hugo, e segurou o resultado mesmo com um a menos.

Os times chegam prestigiados para o duelo de hoje. O Corinthians, que se apoia na velocidade de Elias, vem embalado pela classificação na Libertadores, e o Palmeiras, que tem em Dudu a referência no ataque, pela boa vitória (1 a 0) sobre o Botafogo, na semifinal.

Certo é que se quiser chegar à final do Paulista, fato que não acontece desde 2008, o Verdão terá que quebrar jejum de nove partidas sem vencer seu maior rival. Já o Corinthians busca voltar a decidir o Paulistão após ficar de fora dos mata-matas na temporada passada.

Tite fecha treino e faz mistério na escalação do Corinthians

A maratona de jogos enfrentada pelo Corinthians, que se divide entre o Campeonato Paulista e a Copa Libertadores, fez o técnico Tite mudar a rotina de preparação para o clássico contra o Palmeiras.

Após o empate contra o San Lorenzo, quinta-feira, que garantiu classificação antecipada para as oitavas de final do torneio continental, os jogadores fizeram reposição rápida de carboidratos comendo macarrão. Na sexta-feira, os corintianos realizaram treino regenerativo e já ficaram concentrados no CT Joaquim Grava.

Ontem, o horário do treino, que habitualmente é feito pela manhã, foi alterado para o período da tarde, e os jornalistas só puderam acompanhar 15 minutos da atividade. A parte tática foi fechada e, assim, o mistério em relação aos 11 que entram como titulares no dérbi foi mantido.

A única certeza é que o ataque considerado titular pelo técnico corintiano não vai para o jogo. Emerson Sheik está suspenso após receber o terceiro cartão amarelo no confronto das quartas de final contra a Ponte Preta, quando simulou um pênalti, e Guerrero, que recebeu alta na sexta-feira após seis dias internado se recuperando de quadro de dengue, também fica de fora.

A tendência é que o veloz Stiven Mendoza, que foi bem no clássico da primeira fase diante do Palmeiras, faça dupla com Vagner Love. O jovem Malcom corre por fora na briga pela vaga no ataque corintiano.

Outra novidade é a volta de Fábio Santos que, recuperado de lesão, deverá ser opção no banco de reservas.

Com Zé Roberto na lista, Verdão testa pênaltis e ensaia bola parada

Dúvida durante toda a semana após sentir lesão na coxa direita, o lateral Zé Roberto trabalhou normalmente ontem pela manhã, na Academia de Futebol, na última atividade antes do jogo diante do Corinthians.

Assim como fez o corintiano Tite, Oswaldo de Oliveira também privou o trabalho da imprensa. O elenco ensaiou jogadas de bola parada e cobranças de pênalti com a participação de Zé Roberto, que foi relacionado para a partida.

Mesmo assim, o treinador convocou Wellington, zagueiro que não estava inscrito na primeira fase do Paulistão e poderá atuar improvisado na lateral esquerda, caso Zé Roberto não tenha condições de jogo.

Além dele, outra novidade na relação foi o volante Andrei Girotto, que também poderá ter oportunidade de estrear. O jogador foi chamado em razão da extensa lista de desfalques para o confronto de hoje.

Com sete baixas por contusões e suspensões, o treinador palmeirense pode comemorar o retorno da jovem promessa Gabriel Jesus, que esteve servindo à Seleção Sub-20 em torneio amistoso na Áustria e desfalcou o Verdão no confronto de quartas de final, contra o Botafogo.

Em relação à escalação da equipe que enfrentou o arquirrival em fevereiro, pela primeira fase do Paulistão, serão ao menos seis mudanças: Tobio, Vitor Hugo, Amaral, Allione, Maikon Leite e Leandro Pereira, que eram titulares naquela partida, não começam o confronto decisivo de hoje.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Polêmica apimenta dérbi em Itaquera

Além da vaga na decisão do Paulista, Corinthians e Palmeiras colocam números à prova

Vinícius Ramalho
Especial para o Diário

19/04/2015 | 07:00


Corinthians e Palmeiras escrevem hoje, às 16h, na Arena, em Itaquera, mais um capítulo da história de um dos maiores clássicos do futebol brasileiro. A rivalidade entre os clubes é conhecida por todos, mas durante a semana discussão sobre o retrospecto no dérbi apimentou ainda mais o jogo, que decide vaga na final do Paulista.

A polêmica, que agitou as discussões dos torcedores, começou porque os clubes divergem em relação aos números. Para o time do Parque São Jorge, foram 345 dérbis, com 120 vitórias a seu favor, 121 para o Verdão e 104 empates. Desta forma, uma vitória hoje faria o Timão igualar o clássico.

Para o Verdão, são 11 jogos a mais: 356 duelos no total, com 125 triunfos alviverdes, 123 do arquirrival e 108 empates.

Além dos números, o confronto da primeira fase não sai da cabeça dos torcedores. Naquele duelo, o Timão venceu por 1 a 0, em falha do zagueiro Vitor Hugo, e segurou o resultado mesmo com um a menos.

Os times chegam prestigiados para o duelo de hoje. O Corinthians, que se apoia na velocidade de Elias, vem embalado pela classificação na Libertadores, e o Palmeiras, que tem em Dudu a referência no ataque, pela boa vitória (1 a 0) sobre o Botafogo, na semifinal.

Certo é que se quiser chegar à final do Paulista, fato que não acontece desde 2008, o Verdão terá que quebrar jejum de nove partidas sem vencer seu maior rival. Já o Corinthians busca voltar a decidir o Paulistão após ficar de fora dos mata-matas na temporada passada.

Tite fecha treino e faz mistério na escalação do Corinthians

A maratona de jogos enfrentada pelo Corinthians, que se divide entre o Campeonato Paulista e a Copa Libertadores, fez o técnico Tite mudar a rotina de preparação para o clássico contra o Palmeiras.

Após o empate contra o San Lorenzo, quinta-feira, que garantiu classificação antecipada para as oitavas de final do torneio continental, os jogadores fizeram reposição rápida de carboidratos comendo macarrão. Na sexta-feira, os corintianos realizaram treino regenerativo e já ficaram concentrados no CT Joaquim Grava.

Ontem, o horário do treino, que habitualmente é feito pela manhã, foi alterado para o período da tarde, e os jornalistas só puderam acompanhar 15 minutos da atividade. A parte tática foi fechada e, assim, o mistério em relação aos 11 que entram como titulares no dérbi foi mantido.

A única certeza é que o ataque considerado titular pelo técnico corintiano não vai para o jogo. Emerson Sheik está suspenso após receber o terceiro cartão amarelo no confronto das quartas de final contra a Ponte Preta, quando simulou um pênalti, e Guerrero, que recebeu alta na sexta-feira após seis dias internado se recuperando de quadro de dengue, também fica de fora.

A tendência é que o veloz Stiven Mendoza, que foi bem no clássico da primeira fase diante do Palmeiras, faça dupla com Vagner Love. O jovem Malcom corre por fora na briga pela vaga no ataque corintiano.

Outra novidade é a volta de Fábio Santos que, recuperado de lesão, deverá ser opção no banco de reservas.

Com Zé Roberto na lista, Verdão testa pênaltis e ensaia bola parada

Dúvida durante toda a semana após sentir lesão na coxa direita, o lateral Zé Roberto trabalhou normalmente ontem pela manhã, na Academia de Futebol, na última atividade antes do jogo diante do Corinthians.

Assim como fez o corintiano Tite, Oswaldo de Oliveira também privou o trabalho da imprensa. O elenco ensaiou jogadas de bola parada e cobranças de pênalti com a participação de Zé Roberto, que foi relacionado para a partida.

Mesmo assim, o treinador convocou Wellington, zagueiro que não estava inscrito na primeira fase do Paulistão e poderá atuar improvisado na lateral esquerda, caso Zé Roberto não tenha condições de jogo.

Além dele, outra novidade na relação foi o volante Andrei Girotto, que também poderá ter oportunidade de estrear. O jogador foi chamado em razão da extensa lista de desfalques para o confronto de hoje.

Com sete baixas por contusões e suspensões, o treinador palmeirense pode comemorar o retorno da jovem promessa Gabriel Jesus, que esteve servindo à Seleção Sub-20 em torneio amistoso na Áustria e desfalcou o Verdão no confronto de quartas de final, contra o Botafogo.

Em relação à escalação da equipe que enfrentou o arquirrival em fevereiro, pela primeira fase do Paulistão, serão ao menos seis mudanças: Tobio, Vitor Hugo, Amaral, Allione, Maikon Leite e Leandro Pereira, que eram titulares naquela partida, não começam o confronto decisivo de hoje.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;