Fechar
Publicidade

Sábado, 6 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ucrânia identifica corpo decapitado como de um jornalista


Das Agências

10/01/2001 | 10:06


Um corpo decapitado, descoberto em novembro perto de Kiev, foi identificado como o de um jornalista de oposição desaparecido em Kiev há quatro meses, anunciou nesta quarta-feira ante o parlamento o procurador geral Mikhailo Potebenko.

Depois um exame forense, a probabilidade de o cadáver descoberto ser do jornalista Gueorgui Gongadze ‘‘chega a 99,6%’’, declarou Potebenko ante o parlamento ucraniano.

Gueorgui Gongadze, 31 anos, diretor de um jornal de oposição na Internet, desapareceu em 16 de setembro passado.

As revelações no final de novembro, por parte de um oficial dos serviços de segurança ucranianos, que acusou o presidente Leonid Kuchma de ter ordenado o seqüestro do jornalista provocaram uma onda de protestos na Ucrânia.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ucrânia identifica corpo decapitado como de um jornalista

Das Agências

10/01/2001 | 10:06


Um corpo decapitado, descoberto em novembro perto de Kiev, foi identificado como o de um jornalista de oposição desaparecido em Kiev há quatro meses, anunciou nesta quarta-feira ante o parlamento o procurador geral Mikhailo Potebenko.

Depois um exame forense, a probabilidade de o cadáver descoberto ser do jornalista Gueorgui Gongadze ‘‘chega a 99,6%’’, declarou Potebenko ante o parlamento ucraniano.

Gueorgui Gongadze, 31 anos, diretor de um jornal de oposição na Internet, desapareceu em 16 de setembro passado.

As revelações no final de novembro, por parte de um oficial dos serviços de segurança ucranianos, que acusou o presidente Leonid Kuchma de ter ordenado o seqüestro do jornalista provocaram uma onda de protestos na Ucrânia.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;