Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 6 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Entenda quais são os limites do turismo com animais selvagens

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Redação
Do Rota de Férias

02/03/2020 | 10:48


O turismo com animais selvagens pode proporcionar uma experiência única. Porém, é necessário que haja alguns cuidados para realizar essas atividades. O ideal é buscar opções que não sejam prejudiciais para os viajantes e nem aos bichos.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link

Por vezes, as intenções dos turistas são as melhores possíveis. Segundo pesquisa do World Animal Protection (Proteção Animal Mundial), realizada com 13 mil pessoas de 14 países, 48% dos viajantes que já realizaram uma experiência com espécies silvestres o fez por “amor aos animais”. Esse dado mostra a falta consciência sobre o dano causado e como é importante informar sobre a dura realidade dos bichos em algumas situações.

Turismo com animais selvagens: riscos

Segundo a Wildilife Conservation Research Unit (WildCRU), 550 mil animais silvestres sofrem no mundo todo por conta de atrações turísticas irresponsáveis. Entre o nado com golfinhos, o passeio montado em elefante e as fotos com animais aprisionados, não faltam exemplos negativos. Por outro lado, as possibilidades de passeios responsáveis existem também, e expor suas práticas é importante na hora da conscientização. Exemplo disso são os safáris de observação, como os realizados pelo Sabi Sabi Private Game Reserve, hotel localizado na reserva de Sabi Sands, ao sudoeste do Kruger National Park, na África do Sul.

No complexo, os animais não são tirados de seu habitat natural e a única atividade realizada é a de observação. É possível ver leões, elefantes, leopardos, rinocerontes e búfalos, entre muitos outros animais, como girafas, guepardos e antílopes vivendo suas vidas livres e interagindo de acordo com os ciclos da natureza, sem interferência humana. Não à toa, os avistamentos do safári dependem do treinamento dos guias, que rastreiam pegadas e fezes, por exemplo, e também de sorte, afinal nenhuma situação é forçada ou estimulada.

LEIA MAIS: TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA FAZER UM SAFÁRI NO JALAPÃO
HOTEL SAFÁRI NA ÁFRICA DO SUL É BOA OPÇÃO PARA TURISTAS BRASILEIROS

A oportunidade de ver os animais vivendo livremente é emocionante, seja na fofura de um filhote que bebe o leite da mãe, ou na dureza de um leão que caça e come um impala. São experiências que carregam um valor real, diferentemente das situações forçadas, que podem, muitas vezes, resultar em maus tratos aos animais.

Safáris da África

Na galeria, veja imagens dos grandes safáris africanos.

  • Além de explorar a natureza e ver animais selvagens, os visitantes da Reserva Nacional de Masai Mara, no Quênia, podem fazer passeios de balão
  • Crédito: Visualhunt
    Com 22 mil quilômetros quadrados, os parques nacionais de Tsavo (Tsavo East National Park and Tsavo West National Park) fazem com que o complexo seja o maior do Quênia
  • O Parque Nacional do Serengeti, na Tanzânia, oferece um dos safáris mais bonitos e famosos da África. As savanas do local inspiraram o cenário do clássico "O Rei Leão" (1994)
  • A região de Ngorongoro, também na Tanzânia, abriga um ecossistema com centenas de espécies de animais que vivem em uma grande cratera
  • Além dos mamíferos selvagens, é fácil avistar aves de diferentes espécies no Parque Nacional de Arusha, na Tanzânia
  • Localizado na África do Sul, o Parque Nacional Kruger é a maior referência do país quando o assunto é safari. Vale a pena ficar hospedado nas acomodações dentro da reserva
  • Zebras, rinocerontes e leões são alguns dos animais selvagens que podem ser observados pelos visitantes do Santuário de Vida Selvagem Mlilwane, em Suazilândia
  • Crédito: Carine06 via Visualhunt / CC BY-SA
    Os turistas visitam o Parque Nacional dos Vulcões, em Ruanda, para ver os famosos gorilas que vivem nas montanhas da região
  • Localizado dentro do Delta do Okavango, em Botswana, o Duba Plains é o local ideal para fazer um safári com conforto e ainda observar mamíferos selvagens
  • Crédito:
  • Crédito: travfotos via Visualhunt / CC BY-NC
    No Zimbábue, o Parque Nacional Hwange chama a atenção por abrigar o grupo de animais Big Five: leão, leopardo, elefante, rinoceronte e búfalo
  • Quase na fronteira com o Congo, o Parque Nacional Impenetrável Bwindi, em Uganda, e é lar de uma enorme população de gorilas da montanha
  • O Parque Nacional Kafue, na Zâmbia, tem 22.400 quilômetros quadrados e é o maior da África. Além dos animais selvagens, a observação de pássaros e a pesca são bastante procuradas
  • O Parque Nacional de Etosha, na Namíbia, abriga centenas de animais selvagens, incluindo o raríssimo Rinoceronte-Preto
  • Crédito: Divulgação
    Cortado pelo Rio Chobe, o Parque Nacional do Chobe, em Botsuana, tem lodges confortáveis e conta com uma das maiores populações de elefantes do mundo


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Entenda quais são os limites do turismo com animais selvagens

Redação
Do Rota de Férias

02/03/2020 | 10:48


O turismo com animais selvagens pode proporcionar uma experiência única. Porém, é necessário que haja alguns cuidados para realizar essas atividades. O ideal é buscar opções que não sejam prejudiciais para os viajantes e nem aos bichos.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link

Por vezes, as intenções dos turistas são as melhores possíveis. Segundo pesquisa do World Animal Protection (Proteção Animal Mundial), realizada com 13 mil pessoas de 14 países, 48% dos viajantes que já realizaram uma experiência com espécies silvestres o fez por “amor aos animais”. Esse dado mostra a falta consciência sobre o dano causado e como é importante informar sobre a dura realidade dos bichos em algumas situações.

Turismo com animais selvagens: riscos

Segundo a Wildilife Conservation Research Unit (WildCRU), 550 mil animais silvestres sofrem no mundo todo por conta de atrações turísticas irresponsáveis. Entre o nado com golfinhos, o passeio montado em elefante e as fotos com animais aprisionados, não faltam exemplos negativos. Por outro lado, as possibilidades de passeios responsáveis existem também, e expor suas práticas é importante na hora da conscientização. Exemplo disso são os safáris de observação, como os realizados pelo Sabi Sabi Private Game Reserve, hotel localizado na reserva de Sabi Sands, ao sudoeste do Kruger National Park, na África do Sul.

No complexo, os animais não são tirados de seu habitat natural e a única atividade realizada é a de observação. É possível ver leões, elefantes, leopardos, rinocerontes e búfalos, entre muitos outros animais, como girafas, guepardos e antílopes vivendo suas vidas livres e interagindo de acordo com os ciclos da natureza, sem interferência humana. Não à toa, os avistamentos do safári dependem do treinamento dos guias, que rastreiam pegadas e fezes, por exemplo, e também de sorte, afinal nenhuma situação é forçada ou estimulada.

LEIA MAIS: TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA FAZER UM SAFÁRI NO JALAPÃO
HOTEL SAFÁRI NA ÁFRICA DO SUL É BOA OPÇÃO PARA TURISTAS BRASILEIROS

A oportunidade de ver os animais vivendo livremente é emocionante, seja na fofura de um filhote que bebe o leite da mãe, ou na dureza de um leão que caça e come um impala. São experiências que carregam um valor real, diferentemente das situações forçadas, que podem, muitas vezes, resultar em maus tratos aos animais.

Safáris da África

Na galeria, veja imagens dos grandes safáris africanos.

  • Além de explorar a natureza e ver animais selvagens, os visitantes da Reserva Nacional de Masai Mara, no Quênia, podem fazer passeios de balão
  • Crédito: Visualhunt
    Com 22 mil quilômetros quadrados, os parques nacionais de Tsavo (Tsavo East National Park and Tsavo West National Park) fazem com que o complexo seja o maior do Quênia
  • O Parque Nacional do Serengeti, na Tanzânia, oferece um dos safáris mais bonitos e famosos da África. As savanas do local inspiraram o cenário do clássico "O Rei Leão" (1994)
  • A região de Ngorongoro, também na Tanzânia, abriga um ecossistema com centenas de espécies de animais que vivem em uma grande cratera
  • Além dos mamíferos selvagens, é fácil avistar aves de diferentes espécies no Parque Nacional de Arusha, na Tanzânia
  • Localizado na África do Sul, o Parque Nacional Kruger é a maior referência do país quando o assunto é safari. Vale a pena ficar hospedado nas acomodações dentro da reserva
  • Zebras, rinocerontes e leões são alguns dos animais selvagens que podem ser observados pelos visitantes do Santuário de Vida Selvagem Mlilwane, em Suazilândia
  • Crédito: Carine06 via Visualhunt / CC BY-SA
    Os turistas visitam o Parque Nacional dos Vulcões, em Ruanda, para ver os famosos gorilas que vivem nas montanhas da região
  • Localizado dentro do Delta do Okavango, em Botswana, o Duba Plains é o local ideal para fazer um safári com conforto e ainda observar mamíferos selvagens
  • Crédito:
  • Crédito: travfotos via Visualhunt / CC BY-NC
    No Zimbábue, o Parque Nacional Hwange chama a atenção por abrigar o grupo de animais Big Five: leão, leopardo, elefante, rinoceronte e búfalo
  • Quase na fronteira com o Congo, o Parque Nacional Impenetrável Bwindi, em Uganda, e é lar de uma enorme população de gorilas da montanha
  • O Parque Nacional Kafue, na Zâmbia, tem 22.400 quilômetros quadrados e é o maior da África. Além dos animais selvagens, a observação de pássaros e a pesca são bastante procuradas
  • O Parque Nacional de Etosha, na Namíbia, abriga centenas de animais selvagens, incluindo o raríssimo Rinoceronte-Preto
  • Crédito: Divulgação
    Cortado pelo Rio Chobe, o Parque Nacional do Chobe, em Botsuana, tem lodges confortáveis e conta com uma das maiores populações de elefantes do mundo

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;